Connect with us

Cânhamo

Falta de infra-estruturas para processamento de fibras atrasa indústria do cânhamo

Avatar

Publicado

em

D. R. - Hemp Inc. 

Apesar do seu potencial, o crescimento da indústria embrionária da fibra de cânhamo na América do Norte está a ser restringido pela falta de infraestruturas de processamento, revela um artigo da New Frontier Data.

Embora a fibra de cânhamo já tenha sido uma cultura comum em todo o continente, a proibição de 81 anos fez com que todas as instalações capazes de o processar fechassem e o cânhamo acabou por ser substituído por outros materiais. Por isso, quase toda a cadeia de abastecimento de fibras precisa ser reconstruída do zero.

O artigo publicado pela New Frontier Data dá conta das lacunas na cadeia de abastecimento de cânhamo industrial na América do Norte, predominantemente no processamento primário, que consiste essencialmente na decorticação, com foco especial nos Estados Unidos da América. A decorticação é um processo mecânico que separa os caules de cânhamo em fibra e hurds ou shivs (estrangeirismos utilizados pela indústria para identificar o núcleo lenhoso da planta).

Potencial a 5 anos das aplicações industriais da fibra do cânhamo, de acordo com a New Frontier Data

Este é o processo mais essencial em toda a cadeia de produção, pois cria uma fonte de fornecimento estável de fibra e shivs, que pode então passar para processamento adicional para uso final no fabrico de produtos.

A América do Norte (à semelhança de Portugal, por exemplo) tem uma escassez de capacidade de processamento, manifestada pela falta de instalações capazes de descorticar a fibra de cânhamo. A escassez é largamente atribuída à “pescadinha de rabo na boca” de que não faz sentido construir uma instalação de processamento quando há pouco cânhamo a ser cultivado. Por outro lado, não faz igualmente sentido cultivar cânhamo em larga escala sem uma fábrica com a capacidade e dimensionamento para processá-lo. A indústria de produção de CBD foi responsável em grande parte pelos aumentos explosivos nas áreas cultivadas com cânhamo industrial, mas este não é mais o caso. Neste momento, está mais cânhamo a ser cultivado do que aquele que pode ser processado através das infraestruturas existentes. Este fenómeno cria várias situações em que o mercado se confronta com rupturas ao nível do processamento e ao nível do fornecimento de matéria transformada.

Instabilidade desencoraja agricultores e investidores

A extrema volatilidade no preço da fibra desencoraja os agricultores e processadores de fazer grandes compromissos de investimento, ao passo que o fornecimento instável e não uniforme complica os esforços no fabrico e na transformação. As instalações de processamento de fibra também podem ser extremamente intensivas quanto aos requisitos de capital – podendo o custo de construção variar entre 3 a 25 milhões de dólares – e, pelo facto da inviabilidade económica do transporte de caules de cânhamo crus, as instalações de processamento são geograficamente limitadas ao processamento do cânhamo cultivado num raio não superior a 150 quilómetros.

Capacidade de processamento dos EUA e Canadá e Rendimento da Fibra por Acre, segundo a New Frontier Data

Além disso, o processamento da fibra oferece margens menores quando comparado ao processamento de CBD. Os primeiros participantes na indústria do CBD derivado de cânhamo industrial enfrentaram várias barreiras no que toca à educação do consumidor, regulamentação governamental e logística, mas tiraram enormes proveitos antes de o mercado ficar saturado. Os primeiros participantes no ramo da fibra enfrentarão desafios semelhantes, sem a promessa equivalente de lucros tão rápidos e tão significativos.

Apesar dos desafios, algumas empresas investem 

Em dezembro de 2019, o processador Panda Biotech, com sede em Dallas, anunciou planos de construir, até 2021, a maior instalação de processamento de cânhamo da América do Norte – capaz de processar mais de 130.000 toneladas de fibra de cânhamo anualmente. Também a Collective Growth Corporation – uma empresa de aquisição de propósito especial (SPAC) formada pelo fundador e ex-CEO da Canopy Growth Bruce Linton – anunciou, em Maio, a intenção de investir 150 milhões de dólares na indústria de fibra de cânhamo em 2021.

Numerosas operações de menor escala, respectivamente, aplicaram capital financeiro em torno dos pontos críticos do cânhamo no Texas, Montana e Dakota do Sul, entre outros. Devido ao grande investimento de capital necessário, à natureza desta commodity baseada no volume do processamento e também devido às limitações geográficas para o fornecimento de matéria-prima, existe uma vantagem significativa para os pioneiros no processamento da fibra primária. Esta dinâmica de mercado – que resulta particularmente das limitações geográficas – significa que a presença precoce de processadores primários numa determinada área provavelmente atrairá processadores secundários, concentrando a produção de fibra de cânhamo perto de centros regionais. Essas regiões serão as primeiras a obter retornos em escala e, assim, desfrutar de vantagens competitivas na atração de investimentos e na abertura de novos mercados.

O resultado será que, devido às barreiras consideráveis ​​à entrada e à sua importância para a cadeia de abastecimento de fibra em geral, o processamento primário continua a ser o principal motivador das rupturas na cadeia de produção, que atrasam significativamente o crescimento da indústria.

_____________________________________________________________________

Imagem de Destaque: Direitos Reservados – Hemp Inc.

Publicidade

O CannaReporter é um projecto independente e completamente suportado pela comunidade.

Para continuar a desenvolver este projecto e para garantir os recursos para acompanhar a indústria em Portugal, o apoio dos leitores é fundamental.


l

Clique abaixo e torne-se apoiante do CannaReporter!

Torna-te Patreon e contribui para o projecto CannaReporter!
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *