Connect with us
Publicidade
Publicidade

Nacional

Audição Pública sobre a legalização da canábis no dia 11 de Dezembro

O Bloco de Esquerda (BE) vai promover na próxima segunda-feira, dia 11 de Dezembro, pelas 17 horas, uma audição pública no Parlamento para debater a legalização da canábis. O evento, que decorrerá no Centro de Acolhimento ao Cidadão, na Assembleia da República (AR), será aberto ao público em geral e nele participarão médicos, activistas, investigadores, […]

Publicado

em

O Bloco de Esquerda (BE) vai promover na próxima segunda-feira, dia 11 de Dezembro, pelas 17 horas, uma audição pública no Parlamento para debater a legalização da canábis. O evento, que decorrerá no Centro de Acolhimento ao Cidadão, na Assembleia da República (AR), será aberto ao público em geral e nele participarão médicos, activistas, investigadores, pacientes, juristas, associações com intervenção na área da redução de riscos e todas as pessoas que queiram intervir no debate.

Moisés Ferreira, deputado do BE e responsável pelos projectos-lei da regulamentação, diz que é necessário discutir a legalização da canábis “para que ela possa ser prescrita e dispensada em caso de doença e para que se possa combater o tráfico, promover a segurança dos consumidores, a saúde pública e o consumo informado”.

Com a legalização, o BE pretende que dois objectivos sejam atingidos: a permissão do auto-cultivo e a possibilidade de aquisição de canábis, de forma controlada, em locais próprios.

Em entrevista à Cannapress, no passado mês de Setembro, Moisés Ferreira tinha já avançado que o que se pretende é que “os médicos possam prescrever a planta ou os seus derivados e que as receitas possam depois ser aviadas na farmácia e comparticipadas após avaliação de quem tutela a área da saúde no governo”. Mas a proposta do BE vai ainda mais longe e quer também que esteja previsto o auto-cultivo para fins medicinais, dando essa possibilidade a quem tiver receita médica e limitando o número de plantas por pessoa, de modo a evitar a venda a terceiros.

Por outro lado, Moisés considera que Portugal deve investir também na investigação da canábis para fins medicinais, uma vez que já são conhecidos os efeitos terapêuticos de muitos dos seus componentes: “Já se sabe do tetra-hidrocanabinol (THC) e começam a ser cada vez mais comprovados os efeitos do canabidiol (CBD), mas existem muitos outros canabinóides e terpenos que continuam relativamente desconhecidos e que têm, certamente, efeitos medicinais muito positivos”, referiu.

Apesar de não ser consumidor de canábis, Moisés Ferreira assume-se favorável  à sua legalização para todos os fins, invocando o combate ao tráfico e o controlo da qualidade do que se consome, evitando a existência de produtos adulterados química ou geneticamente. “Quem quiser fumar acaba por encontrar. Legalizar combate o tráfico e, talvez ainda mais importante, promove a saúde pública, porque permite uma regulamentação e uma avaliação sobre o que realmente está a ser vendido e comprado. Um consumo mais informado é menos perigoso para o indivíduo e para a sociedade”, alega.

A Cannativa — Associação de Estudos sobre Canábis, que reuniu várias vezes com Moisés Ferreira durante este ano para dar o seu contributo e parecer técnico sobre a planta Canábis Sativa L., vai marcar presença na Audição Pública, estando prevista a intervenção de dois dos seus membros fundadores.

Clique aqui para comentar
Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Publicidade
Publicidade

Veja o Documentário "Pacientes"

Documentário Pacientes Laura Ramos Ajude-nos a crescer

Mais recentes

Internacional15 horas atrás

High Tide e Sanity Group unem forças para a legalização na Alemanha

A High Tide Inc., uma empresa canadiana especializada na distribuição de acessórios para fumadores e produtos ligados ao consumo de...

Internacional20 horas atrás

Suíça iniciou vendas legais de canábis com software de rastreio focado na transparência

Após 6 meses de atraso, a Suíça está pronta a fazer história com a venda legal de canábis no país,...

Internacional20 horas atrás

Argentina cria Agência Regulatória da Indústria do Cânhamo e da Canábis Medicinal

A Argentina deu um passo ousado no sentido de se tornar um actor importante no mercado global da canábis, ao...

Internacional2 dias atrás

Como vão funcionar as associações de canábis em Malta?

A Autoridade para o Uso Responsável de Canábis (ARUC), entidade Maltesa com responsabilidade na regulamentação da indústria legal e recreativa...

Corporações2 dias atrás

Organigram notificada pela Nasdaq por falhar valor mínimo de negociação

A Organigram Holdings Inc. foi notificada pela Nasdaq de que terá até ao próximo mês de Julho para atingir o...

Cânhamo2 dias atrás

EUA: FDA recusa regulamentar CBD devido a preocupações de segurança

A Food and Drug Administration (FDA) rejeitou iniciar o processo de regulamentação do CBD em produtos alimentares, por não considerar...

Internacional3 dias atrás

Hong Kong: Proibição do CBD entra em vigor a 1 de Fevereiro, com multas milionárias e penas de prisão perpétua

Hong Kong vai classificar oficialmente o Canabidiol (CBD) como uma “droga perigosa” já a partir desta quarta-feira, 1 de Fevereiro,  e...

Internacional6 dias atrás

Japão dá passos para legalizar o uso medicinal de canábis

O governo do Japão está a considerar uma revisão da sua Lei de Controlo da Canábis, que permitiria o uso...

Comunicados de Imprensa7 dias atrás

EUA: Curaleaf encerra operações na Califórnia, Colorado e Oregon

A Curaleaf Holdings anunciou hoje em comunicado de Imprensa o encerramento proactivo da maioria das suas operações na Califórnia, Colorado...

Corporações7 dias atrás

Bedrocan expande produção de canábis medicinal para a Dinamarca

O produtor holandês de canábis medicinal Bedrocan vai abrir uma nova instalação na Dinamarca, de forma a responder à procura...