Connect with us

Nacional

Audição Pública sobre a legalização da canábis no dia 11 de Dezembro

O Bloco de Esquerda (BE) vai promover na próxima segunda-feira, dia 11 de Dezembro, pelas 17 horas, uma audição pública no Parlamento para debater a legalização da canábis. O evento, que decorrerá no Centro de Acolhimento ao Cidadão, na Assembleia da República (AR), será aberto ao público em geral e nele participarão médicos, activistas, investigadores, […]

Publicado

em

Ouvir este artigo

O Bloco de Esquerda (BE) vai promover na próxima segunda-feira, dia 11 de Dezembro, pelas 17 horas, uma audição pública no Parlamento para debater a legalização da canábis. O evento, que decorrerá no Centro de Acolhimento ao Cidadão, na Assembleia da República (AR), será aberto ao público em geral e nele participarão médicos, activistas, investigadores, pacientes, juristas, associações com intervenção na área da redução de riscos e todas as pessoas que queiram intervir no debate.

Moisés Ferreira, deputado do BE e responsável pelos projectos-lei da regulamentação, diz que é necessário discutir a legalização da canábis “para que ela possa ser prescrita e dispensada em caso de doença e para que se possa combater o tráfico, promover a segurança dos consumidores, a saúde pública e o consumo informado”.

Com a legalização, o BE pretende que dois objectivos sejam atingidos: a permissão do auto-cultivo e a possibilidade de aquisição de canábis, de forma controlada, em locais próprios.

Em entrevista à Cannapress, no passado mês de Setembro, Moisés Ferreira tinha já avançado que o que se pretende é que “os médicos possam prescrever a planta ou os seus derivados e que as receitas possam depois ser aviadas na farmácia e comparticipadas após avaliação de quem tutela a área da saúde no governo”. Mas a proposta do BE vai ainda mais longe e quer também que esteja previsto o auto-cultivo para fins medicinais, dando essa possibilidade a quem tiver receita médica e limitando o número de plantas por pessoa, de modo a evitar a venda a terceiros.

Por outro lado, Moisés considera que Portugal deve investir também na investigação da canábis para fins medicinais, uma vez que já são conhecidos os efeitos terapêuticos de muitos dos seus componentes: “Já se sabe do tetra-hidrocanabinol (THC) e começam a ser cada vez mais comprovados os efeitos do canabidiol (CBD), mas existem muitos outros canabinóides e terpenos que continuam relativamente desconhecidos e que têm, certamente, efeitos medicinais muito positivos”, referiu.

Apesar de não ser consumidor de canábis, Moisés Ferreira assume-se favorável  à sua legalização para todos os fins, invocando o combate ao tráfico e o controlo da qualidade do que se consome, evitando a existência de produtos adulterados química ou geneticamente. “Quem quiser fumar acaba por encontrar. Legalizar combate o tráfico e, talvez ainda mais importante, promove a saúde pública, porque permite uma regulamentação e uma avaliação sobre o que realmente está a ser vendido e comprado. Um consumo mais informado é menos perigoso para o indivíduo e para a sociedade”, alega.

A Cannativa — Associação de Estudos sobre Canábis, que reuniu várias vezes com Moisés Ferreira durante este ano para dar o seu contributo e parecer técnico sobre a planta Canábis Sativa L., vai marcar presença na Audição Pública, estando prevista a intervenção de dois dos seus membros fundadores.

 

____________________________________________________________________________________________________

[Aviso: Por favor, tenha em atenção que este texto foi originalmente escrito em Português e é traduzido para inglês e outros idiomas através de um tradutor automático. Algumas palavras podem diferir do original e podem verificar-se gralhas ou erros noutras línguas.]

____________________________________________________________________________________________________

O que fazes com 3€ por mês? Torna-te um dos nossos Patronos! Se acreditas que o Jornalismo independente sobre canábis é necessário, subscreve um dos níveis da nossa conta no Patreon e terás acesso a brindes únicos e conteúdos exclusivos. Se formos muitos, com pouco fazemos a diferença!

Licenciada em Jornalismo pela Universidade de Coimbra, Laura Ramos tem uma pós-graduação em Fotografia e é Jornalista desde 1998. Foi correspondente do Jornal de Notícias em Roma, Itália, e Assessora de Imprensa no Gabinete da Ministra da Educação. Tem uma certificação internacional em Permacultura (PDC) e criou o arquivo fotográfico de street-art “O que diz Lisboa?” @saywhatlisbon. Laura é actualmente Editora do CannaReporter e da CannaZine, além de fundadora e directora de programa da PTMC - Portugal Medical Cannabis. Realizou o documentário “Pacientes” e integrou o steering group da primeira Pós-Graduação em GxP’s para Canábis Medicinal em Portugal, em parceria com o Laboratório Militar e a Faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa.

Clique aqui para comentar
Subscribe
Notify of

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Publicidade


Veja o Documentário "Pacientes"

Documentário Pacientes Laura Ramos Ajude-nos a crescer

Mais recentes

Cânhamo3 dias atrás

Portugal: Estudo revela disparidades alarmantes na rotulagem do CBD, que continua proibido no país

Um estudo recente sobre os produtos de CBD em Portugal revela disparidades alarmantes entre o conteúdo de canabinóides anunciado e...

Internacional3 dias atrás

Espanha: Câmara de Barcelona encerra dezenas de clubes de canábis

A Câmara Municipal de Barcelona deu início a uma forte repressão contra os clubes de canábis da cidade, ordenando o...

Internacional5 dias atrás

Alemanha aprova o primeiro clube social de canábis após a legalização

A Ministra da Agricultura da Baixa Saxónia, Miriam Staudte, anunciou esta segunda-feira que o seu gabinete autorizou o primeiro clube...

Cânhamo7 dias atrás

Tailândia cada vez mais perto de reclassificar a canábis e o cânhamo como substâncias controladas

A Tailândia deu mais um passo decisivo no sentido de voltar a proibir a canábis no país. Na passada sexta-feira,...

Internacional2 semanas atrás

Observatório Europeu da Droga e da Toxicodependência (OEDT) passa a ser Agência da União Europeia das Drogas (EUDA)

A 2 de Julho de 2024 o Observatório Europeu da Droga e da Toxicodependência (EMCDDA) passará a ser a Agência...

Eventos2 semanas atrás

ICRS – International Cannabinoid Research Society reúne médicos e investigadores em Salamanca para o 34º Simpósio sobre Canabinoides

Se pensa que a investigação com canábis é algo recente e que inda não há estudos suficientes… pense outra vez! É...

Crónica3 semanas atrás

Terroir 101 – Uma Introdução

Este artigo inicia uma série sobre temas necessários para os que acreditam que esta planta merece ser reverenciada e elevada...

Eventos3 semanas atrás

Editora do CannaReporter®, Laura Ramos, nomeada “Jornalista do Ano” nos prémios Business of Cannabis

A indústria da canábis está prestes a reunir-se em Londres para dois dias de Cannabis Europa e uma noite de...

Comunicados de Imprensa4 semanas atrás

Cannabis Europa recebe líderes europeus e norte-americanos em Londres para capitalizar o mercado europeu da canábis

A indústria norte-americana de canábis está a criar um movimento significativo através do Atlântico, à medida que os líderes deste...

Internacional4 semanas atrás

Polícia alemã esclarece que não sugeriu consumo de canábis (em vez de álcool) aos adeptos ingleses do Euro 2024

A polícia de Gelsenkirchen, na Alemanha, foi citada numa notícia onde afirmou que as atenções estariam mais centradas nos adeptos...