Connect with us

Nacional

Comissão de Saúde aprova Projecto de Lei da Canábis Medicinal

Publicado

em

Ouvir este artigo

A Comissão de Saúde, que discutiu durante mais de 120 dias na especialidade os diplomas sobre Canábis Medicinal, deu finalmente luz verde aos projectos de lei do Bloco de Esquerda (BE) e do Pessoas—Animais—Natureza (PAN), na quarta-feira passada, dia 30 de Maio.

Os deputados que integram a Comissão de Saúde da Canábis Medicinal aprovaram o texto final do projecto de lei que deverá ser votado em Plenário, na Assembleia da República, já na próxima semana, mas com algumas ressalvas: sem auto-cultivo e prescrição apenas quando todos os tratamentos convencionais não tiverem surtido efeito.

No entanto, mesmo que o projecto de lei seja agora aprovado no Parlamento, isso não quer dizer que a canábis medicinal fique imediatamente disponível. O Infarmed já veio dizer que a regulamentação poderá demorar “alguns anos”, além de que será ainda necessário formar os profissionais de saúde, principalmente os médicos, que na sua maioria desconhecem as propriedades terapêuticas da canábis.

O projecto de lei discutido na reunião da Comissão de Saúde foi aprovado com os votos a favor do PS, BE e PSD e abstenção do PCP e CDS-PP. Após a reunião, Moisés Ferreira, coordenador do Grupo de trabalho – Utilização de canábis para fins medicinais, disse aos jornalistas que “pela forma como decorreram as votações não há razão nenhuma para que o projecto, na sua versão final, não venha a ser aprovado” em Plenário.

Auto-cultivo não está contemplado
Os autores das propostas já tinham admitido abdicar do auto-cultivo: “Era uma questão de acessibilidade, mas estava a criar ruído na discussão e poderia inviabilizar o projecto. Retirámos, porque o que era central era legalizar a canábis para fins medicinais”, sublinhou Moisés Ferreira.

Na versão final do diploma há algumas alterações a salientar:

  •  Contribuição do Laboratório Militar para a “produção de medicamentos e preparações”, sugerido pelo PCP;
  • As soluções à base de canábis que estão em condições de ser utilizadas com fins terapêuticos e medicinais são determinadas pelo INFARMED;
  • Só pode haver prescrição de canábis quando “os tratamentos convencionais com medicamentos autorizados não estiverem a produzir os efeitos desejados ou se estiverem a provocar efeitos adversos relevantes”;
  • A canábis medicinal poderá ser dispensada em farmácia e não apenas em farmácias hospitalares;
  • A lei irá abranger “substâncias e preparações de canábis para fins medicinais”, como é o caso dos óleos com canabinóides na sua composição.

Aos jornalistas, o BE esclareceu que votou contra a proposta que limita a prescrição de medicamentos ou preparações à base de canábis apenas quando os tratamentos convencionais não produzirem efeitos ou se tiverem efeitos adversos relevantes. Moisés Ferreira explicou que o seu voto contra foi por considerar que “não cabe à lei limitar a decisão clínica”.

Ainda assim, o deputado do BE confessa que “uma versão final que diga claramente que a canábis pode ser utilizada para fins medicinais é uma boa versão e era um passo necessário”. Agora, depois de vários meses de audições e discussões, cabe ao Plenário votar o texto final deste projecto de lei que, se for aprovado, será conduzido para Belém para promulgação pelo Presidente da República.

Já se passaram cinco meses desde que os projectos de lei do BE e do PAN sobre a canábis para fins medicinais subiram a Plenário para discussão na especialidade por parte dos partidos. As discussões e audições na especialidade foram alvo de uma prorrogação do prazo por 60 dias e só na última quarta-feira, dia 30 de Maio, a reunião da Comissão Parlamentar de Saúde agendou a votação do texto de substituição relativo aos projectos de lei, bem como as propostas de alteração apresentadas pelos Grupos Parlamentares do PCP e PSD.
_______________________________________________________________________
Imagem de destaque: DR

 

____________________________________________________________________________________________________

[Aviso: Por favor, tenha em atenção que este texto foi originalmente escrito em Português e é traduzido para inglês e outros idiomas através de um tradutor automático. Algumas palavras podem diferir do original e podem verificar-se gralhas ou erros noutras línguas.]

____________________________________________________________________________________________________

O que fazes com 3€ por mês? Torna-te um dos nossos Patronos! Se acreditas que o Jornalismo independente sobre canábis é necessário, subscreve um dos níveis da nossa conta no Patreon e terás acesso a brindes únicos e conteúdos exclusivos. Se formos muitos, com pouco fazemos a diferença!

+ posts

Sou um dos directores do CannaReporter, que fundei em conjunto com a Laura Ramos. Sou natural da inigualável Ilha da Madeira, onde resido actualmente. Enquanto estive em Lisboa na FCUL a estudar Engenharia Física, envolvi-me no panorama nacional do cânhamo e canábis tendo participado em várias associações, algumas das quais, ainda integro. Acompanho a industria mundial e sobretudo os avanços legislativos relativos às diversas utilizações da canábis.

Posso ser contactado pelo email joao.costa@cannareporter.eu

Clique aqui para comentar
Subscribe
Notify of

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Publicidade


Veja o Documentário "Pacientes"

Documentário Pacientes Laura Ramos Ajude-nos a crescer

Mais recentes

Eventos18 horas atrás

Maren Krings, autora de “H is for Hemp” apresenta o seu documentário sobre a Ucrania hoje em Lisboa

Maren Krings, fotojornlista autro-alemã e autora do livro “H is for Hemp” está hoje em Lisboa para apresentar o seu...

Internacional3 dias atrás

EUA: Pediatra Bonni Goldstein lança petição contra a proibição de medicamentos de CBD natural na Califórnia

A pediatra norte-americana Bonni Goldstein está a alertar para a tentativa de proibição de medicamentos derivados de CBD natural na...

Internacional3 dias atrás

Europa tem quase 23 milhões de utilizadores de canábis, a mais consumida de todas as substâncias ilícitas

A canábis continua a ser, de longe, a substância ilícita mais consumida na Europa. Estas são as conclusões do “Relatório...

Eventos4 dias atrás

Mary Jane celebra a cultura da canábis legal pela primeira vez na Alemanha

É já no próximo fim-de-semana, de 14  16 de Junho, que se realiza a já habitual Mary Jane, na Messe...

Eventos1 semana atrás

CB Club reúne profissionais da canábis antecipando a Mary Jane, em Berlim

A antecipar a CB Expo (Cannabis Business Expo and Conference), que acontecerá em Dortmund, em Setembro, a CB Company vai...

Reportagem1 semana atrás

África do Sul: a legalização de uma indústria que já prospera

Nas semanas que antecederam as eleições para Assembleia Geral na África do Sul, na passada quarta-feira, 29 de Maio, havia...

Entrevistas2 semanas atrás

Rui Reininho: “Eu acho esquisitíssimo andarem os meus colegas da GNR a meter o nariz nas propriedades das pessoas a ver o que é que esta planta faz”

Rui Reininho, músico português que ficou famoso enquanto vocalista dos GNR, dispensa apresentações. Ao contrário do que muitos pensam, não fundou...

Notícias2 semanas atrás

Canadá: Estudo demonstra que utilização de canábis reduz consumo de metanfetaminas

Os utilizadores de poli-drogas, indivíduos que consomem várias substâncias, recorrem frequentemente à canábis como forma de reduzir o seu consumo...

Eventos4 semanas atrás

CannaTrade regressa a Zurique de 24 a 26 de Maio

A CannaTrade – Feira e Festival Internacional do Cânhamo de Zurique atinge em 2024 a maioridade, celebrando a sua 18ª...

Comunicados de Imprensa4 semanas atrás

Grupo SOMAÍ e a sua subsidiária RPK Biopharma ampliam parceria com Cookies para incluir Europa e Reino Unido

LISBOA, PORTUGAL, 16 de maio de 2024 /EINPresswire.com/ — O Grupo SOMAÍ (“SOMAÍ”) e a sua subsidiária, RPK Biopharma expandiram...