Connect with us

Internacional

Ministro da Saúde do Brasil a favor da canábis medicinal, mas contra cultivo da planta

Publicado

em

Ouvir este artigo

O Ministro da Saúde do Brasil, Luiz Henrique Mandetta, disse na quarta-feira, 21 de Agosto, ser favorável ao registo de medicamentos à base de canabidiol, mas afirmou-se, no entanto, contra o cultivo comercial de canábis, mesmo para fins medicinais, pela possibilidade de esta ser desviada para mercados ilícitos e aumentar desnecessariamente a exposição aos malefícios da planta. 

De notar que em 2015 o canabidiol foi retirado da lista de substâncias proibidas no país. Nos anos seguintes, foi regulamentado e permitido o registo de medicamentos à base do princípio activo CBD. No entanto, o canabidiol ainda não pode ser produzido no Brasil, e são apenas aceites registos de óleos produzidos fora do Brasil.

Mandetta afirmou que a substância tem mostrado eficiência, principalmente no tratamento de síndromes em que os pacientes apresentam convulsões que não são controláveis com a medicação convencional. De acordo com o Ministro, por se tratar de um número restrito de pacientes, não se justifica a produção de canábis no país. Além disto, o Mandetta acredita que o uso do THC pode aumentar com a instalação de explorações de canábis para fins medicinais.

“Então a gente acha que deve dar o registo [do canabidiol], deve trazer a molécula. Se quiser importar, importa. Mas não vejo nenhuma razão para a gente colocar um estoque enorme de THC, com os malefícios que o THC traz”, afirmou. “Esse número de pacientes é um número muito restrito, que vai precisar desse medicamento. Como o volume é pequeno, não justifica você fazer uma fábrica. Você vai ficar com um preço enorme para aqueles pacientes”, concluiu o Ministro da Saúde.

Mandetta afirmou que o Ministério da Saúde é favorável ao cultivo de canábis para pesquisas científicas. Nesta terça, dia 20 de Agosto, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) concluiu uma consulta pública sobre o cultivo de canábis medicinal. Esta consulta pública contou com 554 contribuições.

A próxima etapa é a análise dessas participações pelos diretores da agência, que irão tomar uma decisão final sobre o tema. Caso a conclusão seja permitir o cultivo, a Anvisa já tem duas propostas para regulamentação, aprovadas em junho. Em diversas ocasiões, o governo federal posicionou-se contra o cultivo de canábis, mesmo para fins medicinais.

No entanto, a Anvisa argumenta que pode decidir sozinha. Em nota ao G1, a Anvisa esclareceu que faz parte de suas atribuições legais decidir sobre a fabricação e o controle de medicamentos, por isso as decisões nessa área não precisam ser reiteradas pelo governo nem pelo Congresso.

“O processo normativo se encerra na Anvisa, já que se trata de uma atribuição legal dada à agência dentro das competências referentes à regulamentação da fabricação e controle de medicamentos. Isso porque a consulta trata da produção de canábis para a fabricação de medicamentos industrializados e o fornecimento exclusivo para instituição de pesquisa ou fabricante de insumos farmacêuticos ou de medicamentos”, declarou a Anvisa numa nota de imprensa.

 

____________________________________________________________________________________________________

[Aviso: Por favor, tenha em atenção que este texto foi originalmente escrito em Português e é traduzido para inglês e outros idiomas através de um tradutor automático. Algumas palavras podem diferir do original e podem verificar-se gralhas ou erros noutras línguas.]

____________________________________________________________________________________________________

O que fazes com 3€ por mês? Torna-te um dos nossos Patronos! Se acreditas que o Jornalismo independente sobre canábis é necessário, subscreve um dos níveis da nossa conta no Patreon e terás acesso a brindes únicos e conteúdos exclusivos. Se formos muitos, com pouco fazemos a diferença!

Sou um dos directores do CannaReporter, que fundei em conjunto com a Laura Ramos. Sou natural da inigualável Ilha da Madeira, onde resido actualmente. Enquanto estive em Lisboa na FCUL a estudar Engenharia Física, envolvi-me no panorama nacional do cânhamo e canábis tendo participado em várias associações, algumas das quais, ainda integro. Acompanho a industria mundial e sobretudo os avanços legislativos relativos às diversas utilizações da canábis.

Posso ser contactado pelo email joao.costa@cannareporter.eu

Clique aqui para comentar
Subscribe
Notify of

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Publicidade


Veja o Documentário "Pacientes"

Documentário Pacientes Laura Ramos Ajude-nos a crescer

Mais recentes

Cânhamo18 horas atrás

Itália: Alteração que queria proibir canábis light foi arquivada

A alteração que o governo de Giorgia Meloni queria fazer na lei da canábis em Itália e que pretendia proibir...

Cânhamo19 horas atrás

A confusão do cânhamo em Portugal: ASAE apreende CBD na Kings Yard, mas deixa flores por serem para “coleccionismo”

A Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) apreendeu cerca de 845 produtos numa loja da Kings Yard, que “apresentavam na sua...

Cânhamo4 dias atrás

Portugal: Estudo revela disparidades alarmantes na rotulagem do CBD, que continua proibido no país

Um estudo recente sobre os produtos de CBD em Portugal revela disparidades alarmantes entre o conteúdo de canabinóides anunciado e...

Internacional4 dias atrás

Espanha: Câmara de Barcelona encerra dezenas de clubes de canábis

A Câmara Municipal de Barcelona deu início a uma forte repressão contra os clubes de canábis da cidade, ordenando o...

Internacional6 dias atrás

Alemanha aprova o primeiro clube social de canábis após a legalização

A Ministra da Agricultura da Baixa Saxónia, Miriam Staudte, anunciou esta segunda-feira que o seu gabinete autorizou o primeiro clube...

Cânhamo1 semana atrás

Tailândia cada vez mais perto de reclassificar a canábis e o cânhamo como substâncias controladas

A Tailândia deu mais um passo decisivo no sentido de voltar a proibir a canábis no país. Na passada sexta-feira,...

Internacional2 semanas atrás

Observatório Europeu da Droga e da Toxicodependência (OEDT) passa a ser Agência da União Europeia das Drogas (EUDA)

A 2 de Julho de 2024 o Observatório Europeu da Droga e da Toxicodependência (EMCDDA) passará a ser a Agência...

Eventos3 semanas atrás

ICRS – International Cannabinoid Research Society reúne médicos e investigadores em Salamanca para o 34º Simpósio sobre Canabinoides

Se pensa que a investigação com canábis é algo recente e que inda não há estudos suficientes… pense outra vez! É...

Crónica3 semanas atrás

Terroir 101 – Uma Introdução

Este artigo inicia uma série sobre temas necessários para os que acreditam que esta planta merece ser reverenciada e elevada...

Eventos3 semanas atrás

Editora do CannaReporter®, Laura Ramos, nomeada “Jornalista do Ano” nos prémios Business of Cannabis

A indústria da canábis está prestes a reunir-se em Londres para dois dias de Cannabis Europa e uma noite de...