Connect with us
Publicidade
Publicidade

Nacional

Tilray exporta 3 milhões de canábis medicinal de Portugal para a Alemanha

Publicado

em

A Tilray vai exportar três milhões de euros de canábis medicinal produzida em Portugal para a CannaMedical, na Alemanha. Em comunicado de Imprensa divulgado ontem, a Tilray anuncia que o acordo foi realizado com a subsidiária portuguesa da Cannamedical Pharma GmbH e prevê a exportação em grosso de um lote de canábis medicinal, já no início do Outono de 2019, que será distribuído pelos pacientes sob o programa de Canábis Medicinal Alemão.

Para o CEO da Tilray, Brendan Kennedy, “este é um marco significativo para a Tilray”, que aumenta assim a capacidade do Campus português para atender à procura dos mercados internacionais e permite “gerar receita a partir de Portugal até o final de 2019″. A Cannamedical Pharma é um fornecedor farmacêutico independente, que abastece 2.500 farmácias e clínicas em toda a Alemanha.

Esta será a primeira remessa de canábis medicinal a sair do campus da Tilray em Cantanhede, que ainda não tem, todavia, autorização por parte do Infarmed para a comercializar no mercado português. O Infarmed não atribuiu ainda nenhuma Autorização de Colocação no Mercado (ACM) a empresas que tenham produtos à base de canábis, fazendo com que o acesso dos pacientes a estes produtos continue a fazer-se por via ilegal.

Pacientes portugueses continuam sem acesso, por tempo indeterminado
Para já, a Tilray apenas tem licença de exportação, o que significa que não pode vender os seus produtos em território nacional. Questionada sobre quando isso poderá acontecer e em que ponto está a ACM para que possa vender os seus produtos em Portugal, um porta-voz da Tilray respondeu, por e-mail: “Prevemos a certificação GMP completa no nosso campus da UE em Cantanhede, no outono de 2019. Isso vai permitir-nos servir directamente outros países da UE, incluindo Portugal, bem como outros mercados internacionais, conforme as regulamentações permitirem. Estamos empenhados em fornecer acesso à cannabis medicinal da Tilray a pacientes necessitados em todo o mundo e esperamos atender a mais países ao longo do próximo ano”.

Carla Dias, presidente do OPCM — Observatório Português de Canábis Medicinal, já se manifestou sobre as questões do acesso à canábis medicinal, considerando que “seis meses após a regulamentação da lei da canábis medicinal a situação dos pacientes piorou”. 

Por seu lado, o Infarmed refere que já se realizaram várias reuniões com empresas interessadas na colocação dos seus produtos no circuito nacional de medicamentos, mas apenas um pedido de ACM está sob avaliação. Não se sabe qual a empresa que fez este pedido e, até à data, apenas o medicamento Sativex, da GW Pharmaceuticals, foi aprovado em Portugal. 

Fundada em 2016, a Cannamedical é totalmente licenciada e certificada com Boas Práticas de Distribuição para importar e distribuir produtos médicos de canábis de alta qualidade. O CEO da empresa, David Henn, afirma que “a Cannamedical Pharma está comprometida em ajudar médicos, especialistas e farmacêuticos a melhorar a qualidade de vida dos seus pacientes”. Além disso, “o produto da Tilray ultrapassou os rígidos padrões de controlo de qualidade, podendo assim utilizá-lo nas marcas próprias da Cannamedical”. 

“Estamos satisfeitos por celebrar um acordo com um parceiro que compartilha o compromisso da Tilray com a qualidade, a segurança do produto e o acesso do paciente ”, diz Sascha Mielcarek, diretora administrativa da Tilray na Europa. “Esta remessa inicial será a primeira de muitas do nosso Campus da UE de Portugal para a Alemanha, assim como para outros mercados europeus e internacionais.”
_____________________________________________________________
Foto de Destaque: Miguel Schmitt // CannaReporter

Clique aqui para comentar
Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Publicidade
Publicidade

Veja o Documentário "Pacientes"

Documentário Pacientes Laura Ramos Ajude-nos a crescer

Mais recentes

Internacional8 horas atrás

Como vão funcionar as associações de canábis em Malta?

A Autoridade para o Uso Responsável de Canábis (ARUC), entidade Maltesa com responsabilidade na regulamentação da indústria legal e recreativa...

Corporações8 horas atrás

Organigram notificada pela Nasdaq por falhar valor mínimo de negociação

A Organigram Holdings Inc. foi notificada pela Nasdaq de que terá até ao próximo mês de Julho para atingir o...

Cânhamo1 dia atrás

EUA: FDA recusa regulamentar CBD devido a preocupações de segurança

A Food and Drug Administration (FDA) rejeitou iniciar o processo de regulamentação do CBD em produtos alimentares, por não considerar...

Internacional1 dia atrás

Hong Kong: Proibição do CBD entra em vigor a 1 de Fevereiro, com multas milionárias e penas de prisão perpétua

Hong Kong vai classificar oficialmente o Canabidiol (CBD) como uma “droga perigosa” já a partir desta quarta-feira, 1 de Fevereiro,  e...

Internacional4 dias atrás

Japão dá passos para legalizar o uso medicinal de canábis

O governo do Japão está a considerar uma revisão da sua Lei de Controlo da Canábis, que permitiria o uso...

Comunicados de Imprensa5 dias atrás

EUA: Curaleaf encerra operações na Califórnia, Colorado e Oregon

A Curaleaf Holdings anunciou hoje em comunicado de Imprensa o encerramento proactivo da maioria das suas operações na Califórnia, Colorado...

Corporações5 dias atrás

Bedrocan expande produção de canábis medicinal para a Dinamarca

O produtor holandês de canábis medicinal Bedrocan vai abrir uma nova instalação na Dinamarca, de forma a responder à procura...

Internacional5 dias atrás

Malta: Registo para obter licenças de canábis inicia a 28 de Fevereiro

Já passou quase um ano desde que Malta aprovou a legislação para regulamentar o uso adulto da canábis, permitindo a posse...

Internacional6 dias atrás

França dá um passo em frente na legalização da canábis

O Conselho Económico, Social e Ambiental (Cese) de França propôs uma “legalização supervisionada” da canábis, num esforço para “ser orientado...

Comunicados de Imprensa6 dias atrás

Suíça: Linnea obtém licença para produção e exportação de API’s com alto teor de THC

A Linnea SA obteve a licença de narcóticos da Swissmedic, a equivalente suíça ao Infarmed I.P., tornando-a numa das primeiras...