Connect with us
Publicidade
Publicidade

Internacional

Tailândia retira extractos de canábis da lista de narcóticos

Publicado

em

A Tailândia removeu os extractos de cânhamo da sua lista de substâncias narcóticas, segundo comunicado das autoridades no dia 2 de Setembro de 2019. Este é o mais recente esforço do Governo Tailandês para promover o desenvolvimento de produtos de canábis para fins medicinais.

A Tailândia, que tem uma tradição de usar canábis para aliviar dores e fadiga, legalizou a canábis para uso médico e as pesquisas no ano passado, com o intuito de ajudar a aumentar os proveitos agrícolas.

“A intenção é permitir que extratos sejam usados ​​em medicamentos, cosméticos e alimentos e apoiar o cânhamo como uma colheita comercial”, disse Tares Krassanairawiwong, secretário-geral da Administração de Alimentos e Medicamentos da Tailândia, aos repórteres, acrescentando que a semente e o óleo de cânhamo também serão isentos.

Os extratos de plantas de canábis e cânhamo, como CBD puro, produtos à base de CBD e produtos com teor de THC inferior a 0,2%, o ingrediente psicoativo da canábis, foram removidos da Categoria 5 da lista de substâncias controladas, informou o órgão regulador.

Nascimento de um mercado

Neste momento, apenas os hospitais e centros de pesquisas e investigação podem solicitar licenças para desenvolver extratos médicos de canábis, mas as empresas vêem na Tailândia uma oportunidade de negócio. Ishaan Shah, da família bilionária Shah, fundou o Ganja Group em Bangcoc e tem planos para fornecer canábis medicinal ao braço farmacêutico do GP Group, a Megalife Sciences Pcl, que é gerido pela família Shah. “Estamos a trabalhar para a extracção de canabidiol (CBD), esse é nosso objetivo a curto prazo”, disse Shah à Reuters.

O mercado de canábis da Tailândia poderá atingir mais um valor de mais de 500 milhões de Euros até 2024, segundo a análise da empresa Prohibition Partners.

As licenças ainda não estão disponíveis para empresas

As drogas da categoria 5 são puníveis com até 15 anos de prisão e multas de até 1,5 milhão de baht (45 mil Euros). A Expara, gestora de fundos de capital de risco em estágio inicial, tem como objetivo arrecadar 27 milhões de Euros até dezembro deste ano para investir em tecnologia relacionada com a canábis, disse o diretor administrativo Douglas Abrams.

“Acreditamos que a mudança no ambiente regulatório é um indicador líder de rápido crescimento neste novo setor”, disse ele à Reuters. A produção, o cultivo e a venda de canábis são limitados aos produtores tailandeses, que recebem licenças de cinco anos para proteger a indústria doméstica, disse Tares, acrescentando que estava a rever os regulamentos que permitirão que as empresas solicitem licenças.

Até agora, foram diferidos 334 pedidos, principalmente para hospitais e agências de saúde, segundo o site da FDA. A Tailândia entregou seu primeiro patch de 10.000 garrafas de extrato de óleo de canábis para pacientes no mês passado.

 

1 Comment
Subscribe
Notify of
1 Comentário
Inline Feedbacks
View all comments
2 anos atrás

I believe this site has some really superb information for everyone :D. “Do not go where the path may lead, go instead where there is no path and leave a trail.” by Ralph Waldo Emerson.

Publicidade
Publicidade

Veja o Documentário "Pacientes"

Documentário Pacientes Laura Ramos Ajude-nos a crescer

Mais recentes

Internacional16 horas atrás

High Tide e Sanity Group unem forças para a legalização na Alemanha

A High Tide Inc., uma empresa canadiana especializada na distribuição de acessórios para fumadores e produtos ligados ao consumo de...

Internacional21 horas atrás

Suíça iniciou vendas legais de canábis com software de rastreio focado na transparência

Após 6 meses de atraso, a Suíça está pronta a fazer história com a venda legal de canábis no país,...

Internacional21 horas atrás

Argentina cria Agência Regulatória da Indústria do Cânhamo e da Canábis Medicinal

A Argentina deu um passo ousado no sentido de se tornar um actor importante no mercado global da canábis, ao...

Internacional2 dias atrás

Como vão funcionar as associações de canábis em Malta?

A Autoridade para o Uso Responsável de Canábis (ARUC), entidade Maltesa com responsabilidade na regulamentação da indústria legal e recreativa...

Corporações2 dias atrás

Organigram notificada pela Nasdaq por falhar valor mínimo de negociação

A Organigram Holdings Inc. foi notificada pela Nasdaq de que terá até ao próximo mês de Julho para atingir o...

Cânhamo2 dias atrás

EUA: FDA recusa regulamentar CBD devido a preocupações de segurança

A Food and Drug Administration (FDA) rejeitou iniciar o processo de regulamentação do CBD em produtos alimentares, por não considerar...

Internacional3 dias atrás

Hong Kong: Proibição do CBD entra em vigor a 1 de Fevereiro, com multas milionárias e penas de prisão perpétua

Hong Kong vai classificar oficialmente o Canabidiol (CBD) como uma “droga perigosa” já a partir desta quarta-feira, 1 de Fevereiro,  e...

Internacional6 dias atrás

Japão dá passos para legalizar o uso medicinal de canábis

O governo do Japão está a considerar uma revisão da sua Lei de Controlo da Canábis, que permitiria o uso...

Comunicados de Imprensa7 dias atrás

EUA: Curaleaf encerra operações na Califórnia, Colorado e Oregon

A Curaleaf Holdings anunciou hoje em comunicado de Imprensa o encerramento proactivo da maioria das suas operações na Califórnia, Colorado...

Corporações7 dias atrás

Bedrocan expande produção de canábis medicinal para a Dinamarca

O produtor holandês de canábis medicinal Bedrocan vai abrir uma nova instalação na Dinamarca, de forma a responder à procura...