Connect with us

internacional

Holanda: Coronavírus gera filas enormes às portas dos coffeeshops

Laura Ramos

Published

on

O encerramento dos pontos de venda de canábis na Holanda gerou enormes filas às portas dos coffeeshops, que se viram obrigados a fechar por por tempo indeterminado devido à pandemia de Coronavírus, anunciou a France 24. Os consumidores de canábis acorreram em massa aos coffeeshops, de modo a precaver-se para a quarentena decretada pelas autoridades.

Jonathan, um comprador de canábis holandês, declarou à France 24 que “talvez não possamos obter canábis nos próximos dois meses, então é bom ter pelo menos um pouco em casa”.

O ministro da Saúde, Bruno Bruins, anunciou em conferência de imprensa que todos os restaurantes e bares deveriam permanecer fechados a partir das 18h00 de 15 de Março, além de ginásios, saunas, sex clubs e coffeeshops, os famosos espaços onde o consumo de canábis é permitido.

A decisão do encerramento de espaços de lazer e convívio públicos surge por parte do governo holandês, de modo a combater o surto de Covid-19. “A partir de amanhã, 16 de Março, e até 6 de Abril, as escolas e creches permanecerão fechadas, excepto para as crianças cujos pais tiverem de continuar a trabalhar”, declarou o ministro da Educação, Arie Slob.

Em Roermond, também houve formação de filas, perto da fronteira com a Alemanha, por receio de que o governo alemão feche as fronteiras com a Holanda, assim como fez para quem chegasse de França, Áustria, Suíça, Luxemburgo e Dinamarca.

Tecnicamente, a canábis ainda é ilegal na Holanda, mas a posse de menos de cinco gramas da substância foi descriminalizada em 1976, sob a política de “tolerância”.

 ___________________________________________________________________
Foto de Destaque: France 24

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *