Connect with us
Publicidade
Publicidade

Corporações

High Times poderá entrar na bolsa a 20 de Abril

Publicado

em

O CEO da High Times Holdings, Peter Horvath, afirmou que a empresa está a trabalhar na entrada nos mercados bolsistas, anunciou o portal de notícias Cheddar. A High Times está a consolidar todas as exigências de Securities Exchange Comission, análoga à CMVM, e a entrada poderá realizar-se a 20 de Abril.

A High Times Magazine é a revista da empresa de comunicação social mais ampla High Times Holding e tem sido uma presença constante na cultura da canábis desde que deu início a sua cobertura aberta e focada na legalização da canábis, no início dos anos 70. Contudo, o seu papel icónico na história da canábis não a salvou dos problemas que assolam a indústria da comunicação e da vulgarização da canábis.

Em maio de 2020, Horvath assumiu a função de CEO e sucede uma série de administradores que tinham como meta a entrada nos mercados públicos de capitais. A High Times tenta desde 2017 listar-se no mercado público. As expectativas diminuíram ao longo do tempo, principalmente da listagem Nasdaq e, eventualmente, o actual plano de mini-IPO nos mercados de balcão foi a opção. A tão esperada estreia da empresa depende da sua conformidade com a Securities Exchange Commission, que exige que relatórios financeiros actualizados sejam arquivados e disponibilizados aos investidores. A High Times não pode fechar a oferta, de acordo com o Marijuana Business Daily, até que apresente e divulgue demonstrações financeiras semestrais para o final de 2019 e o primeiro semestre de 2020, que Horvath disse que poderia estar pronto já em Março.

“As nossas auditorias estão a progredir. Estamos a fechar os nossos livros do ano passado, e isso qualifica-nos para seguir em frente. E isso é iminente. Estamos a algumas semanas de avançar”, disse Horvath.

O CEO insiste que a empresa está numa posição muito melhor do que estava em 2019, quando divulgou, no seu último relatório semestral, que “perdas operacionais recorrentes, défices de fluxo de caixa operacional líquido e um défice acumulado” significavam que havia “dúvida substancial” de que a empresa poderia até mesmo continuar a operar um ano após a listagem. Horvath disse que o segundo semestre de 2021 será quando os investidores começarão a ver os resultados dos esforços do retalho, incluindo “mais activos no balanço patrimonial” e dívidas que “foram pagas até certo ponto”.

Horvath também acredita que a sua experiência no retalho podem guiar a empresa no caminho do sucesso, tendo ocupado cargos executivos na DSW, American Eagle e L Brands, a empresa que controla a Victoria’s Secret. Seu último papel foi como CEO da Green Growth Brands, uma empresa de bens de consumo embalados de CBD apoiada pela família Schottenstein, que faliu no meio da pandemia. Horvath disse que planeia aplicar os mesmos fundamentos do retalho que aprendeu ao longo de suas décadas de experiência. “Conseguimos conquistar as equipas, aumentar o tráfego para as lojas e aumentar drasticamente a venda média em dólares e simplesmente, com todas as coisas que aprendi em 37 anos, especialmente trabalhando muito próximo de alguns dos comerciantes de maior sucesso do mundo. Estamos a descobrir que sim, os fundamentos do retalho realmente importam na canábis “, explicou.

A High Times planeia abrir quatro lojas de retalho adicionais até o verão. Além disso, através de um acordo de licenciamento com a Red White & Bloom, listada no CSE, Horvath disse que a empresa poderia ter 30 a 40 dispensários com a marca High Times até ao final de 2021. Horvath também não está imune ao optimismo da indústria em relação à possibilidade de reforma federal da canábis, sob a administração do presidente Joe Biden.

Apesar de não querer estar, para já, a prever especificamente quando poderá acabar a proibição federal da canábis nos EUA, disse que se sentiu animado com o apoio dos democratas da Câmara à Lei de Reinvestimento e Expurgo de Oportunidades de Canábis (MORE, na sigla inglesa) e optimista sobre a aprovação do Acto Bancário Seguro e Justo (SAFE). “Estamos muito optimistas e acho que os mercados, aliás, estão a reflectir esse optimismo”, concluiu.

Clique aqui para comentar
Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Publicidade
Publicidade

Veja o Documentário "Pacientes"

Documentário Pacientes Laura Ramos Ajude-nos a crescer

Mais recentes

Internacional8 horas atrás

Como vão funcionar as associações de canábis em Malta?

A Autoridade para o Uso Responsável de Canábis (ARUC), entidade Maltesa com responsabilidade na regulamentação da indústria legal e recreativa...

Corporações8 horas atrás

Organigram notificada pela Nasdaq por falhar valor mínimo de negociação

A Organigram Holdings Inc. foi notificada pela Nasdaq de que terá até ao próximo mês de Julho para atingir o...

Cânhamo1 dia atrás

EUA: FDA recusa regulamentar CBD devido a preocupações de segurança

A Food and Drug Administration (FDA) rejeitou iniciar o processo de regulamentação do CBD em produtos alimentares, por não considerar...

Internacional1 dia atrás

Hong Kong: Proibição do CBD entra em vigor a 1 de Fevereiro, com multas milionárias e penas de prisão perpétua

Hong Kong vai classificar oficialmente o Canabidiol (CBD) como uma “droga perigosa” já a partir desta quarta-feira, 1 de Fevereiro,  e...

Internacional4 dias atrás

Japão dá passos para legalizar o uso medicinal de canábis

O governo do Japão está a considerar uma revisão da sua Lei de Controlo da Canábis, que permitiria o uso...

Comunicados de Imprensa5 dias atrás

EUA: Curaleaf encerra operações na Califórnia, Colorado e Oregon

A Curaleaf Holdings anunciou hoje em comunicado de Imprensa o encerramento proactivo da maioria das suas operações na Califórnia, Colorado...

Corporações5 dias atrás

Bedrocan expande produção de canábis medicinal para a Dinamarca

O produtor holandês de canábis medicinal Bedrocan vai abrir uma nova instalação na Dinamarca, de forma a responder à procura...

Internacional5 dias atrás

Malta: Registo para obter licenças de canábis inicia a 28 de Fevereiro

Já passou quase um ano desde que Malta aprovou a legislação para regulamentar o uso adulto da canábis, permitindo a posse...

Internacional6 dias atrás

França dá um passo em frente na legalização da canábis

O Conselho Económico, Social e Ambiental (Cese) de França propôs uma “legalização supervisionada” da canábis, num esforço para “ser orientado...

Comunicados de Imprensa6 dias atrás

Suíça: Linnea obtém licença para produção e exportação de API’s com alto teor de THC

A Linnea SA obteve a licença de narcóticos da Swissmedic, a equivalente suíça ao Infarmed I.P., tornando-a numa das primeiras...