Connect with us

Corporações

Ângelo Correia pode arrecadar mais de 10 milhões de euros com venda da EMMAC Lifesciences

Publicado

em

Foto: D.R. | João Relvas / Lusa

Ângelo Correia pode ganhar mais de 10 milhões de euros, com a venda da Emmac Life Sciences à empresa americana Curaleaf Holdings por mais de 286 milhões de dólares (239,2 milhões de euros). O anúncio do acordo de aquisição da inglesa EMMAC, onde o ex-deputado do PSD tem 4,32% de participação, foi feito na passada terça-feira, num comunicado da Curaleaf, e será finalizado dentro de alguns meses.

Em 2019, com a operação de compra da portuguesa Terra Verde, o ex-ministro da Administração Interna ficou, segundo dados da Pomanda, com uma participação social de 4,32% na EMMAC, equivalente a 12 milhões de acções ordinárias. Esta posição de Ângelo Correia na EMMAC mostrou-se agora bastante lucrativa, podendo obter uma receita pela venda das acções que ascende aos 11,5 milhões de euros.

No acordo, ficou estabelecido que o montante da aquisição é subscrito através 15% de capital a ser pago directamente aos accionistas pela Curaleaf, sendo que os restantes 85% são subscritos em acções da empresa norte-americana. O negócio resultará em proveitos proporcionais à participação, sendo que com a participação de 4,32%, Ângelo Correia receberá mais de 1,5 milhões de euros em dinheiro e mais de 8,78 milhões de euros em acções da americana Curaleaf.

Segundo o comunicado de Imprensa da Curaleaf, o acordo de aquisição da EMMAC já foi assinado e o pagamento será feito da seguinte forma: 286 milhões de dólares adiantados, com mais 57 milhões de dólares (47,68 milhões de euros) dependentes do cumprimento de metas de eficiência específicas, sugerindo que a oferta pode chegar aos 343 milhões de dólares. Isto quer dizer que, além dos mais de 10 milhões, Ângelo Correia poderá vir a receber mais 2 milhões de euros.

Os negócios multi-milionários da canábis
A jornada de aquisições no sector da canábis começa a tornar-se cada vez mais evidente, com cada vez mais empresas de capital privado a serem adquiridas pelas grandes companhias multinacionais. A Terra Verde Lda. foi a primeira empresa de canábis medicinal a instalar-se em Portugal, em 2014, pela mão do ex-Ministro da Administração Interna, Ângelo Correia, e do israelita David Yarkoni, que com a venda da empresa ficou também a deter 6,48% da EMMAC.

A EMMAC detém actividade comercial em oito países europeus, desde o Reino Unido à Alemanha, passando por Itália, Portugal e Espanha. A empresa exporta canábis cultivada em Portugal para outros mercados, e prepara-se também para aumentar substancialmente a capacidade de manufactura este ano, segundo nota enviada à imprensa.

“O mercado europeu de canábis tem condições de ir além do mercado dos EUA a longo prazo e também ajudará a sustentar o nosso desenvolvimento por vários anos”, declarou o presidente da Curaleaf, Boris Jordan, em comunicado.

Já Antonio Costanzo, CEO da EMMAC, afirmou que a oferta “não é apenas um marco considerável para a EMMAC, mas para o mercado europeu de canábis na sua totalidade”.

De acordo com o Financial Times, no início de 2020 a Curaleaf ganhava 90% do total das suas receitas com a canábis medicinal, mas hoje essa percentagem está à volta de 60% das receitas da empresa, sendo os restantes 40% resultantes da canábis recreativa.

Antonio Costanzo afirmou ao Financial Times que a Europa está três a quatro anos atrás dos EUA, mas “estamos a antever a abertura do uso adulto nos próximos anos na Europa. No entanto, a curto prazo, a canábis medicinal irá certamente irá impulsionar o desenvolvimento”, afirmou.

“Com uma população europeia de quase 748 milhões, o mercado potencial endereçável é mais do que o dobro do mercado dos EUA”, salientou o comunicado da Curaleaf.

O presidente da Câmara de Comércio Luso-Árabe, Ângelo Correia, discursa durante a 3.ª edição das Jornadas Árabes “Memórias Árabe-Islâmicas, Diálogo entre Civilizações”, organizada pela Câmara de Comércio e Indústria Árabe-Portuguesa, no Auditório do Arquivo Nacional da Torre do Tombo, em Lisboa, 17 de maio de 2017. JOÃO RELVAS/LUSA

creditreport_11253633_1615550582075

Apoie o Laura Ramos and João Costa on Patreon!
Publicidade

O CannaReporter é um projecto independente e completamente suportado pela comunidade.

Para continuar a desenvolver este projecto e para garantir os recursos para acompanhar a indústria em Portugal, o apoio dos leitores é fundamental.


l

Clique abaixo e torne-se apoiante do CannaReporter!

Torna-te Patreon e contribui para o projecto CannaReporter!
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *