Connect with us

Nacional

Índica, Sativa ou Híbrida? Não é possível saber que flores se vendem nas farmácias portuguesas

Publicado

em

Ouvir este artigo
Foto: D.R. | Tilray

As primeiras flores de canábis aprovadas pelo Infarmed estão disponíveis nas farmácias portuguesas desde o início de Abril, mas a Tilray não revela qual é o cultivar ou o chemovar das flores THC18 que está a vender em Portugal, nem pediu ainda a sua comparticipação. No folheto informativo, disponibilizado pelo Infarmed, apenas constam o teor de THC (18%) e de CBD (<1%), mas para muitos médicos e pacientes é importante conhecer o perfil de canabinóides e terpenos desta substância, para melhor adequarem o tratamento às diversas patologias e a forma de a consumir.

Portugal segue a mesma linha da Alemanha, onde apenas são revelados os teores de THC e CBD.
Não é facultada ao utente informação sobre os restantes compostos da planta. No Canadá a Tilray comercializa a genética das sementes.

O Cannareporter enviou questões à Tilray, transcritas com as respectivas respostas abaixo, e também ao Infarmed, que até à data desta publicação não respondeu.

As respostas da Tilray foram enviadas via email por Rita Barata, Head of Marketing EMEA & Country Manager Iberia da Tilray.

1 – Qual é o chemovar ou cultivar das flores THC18?
A Tilray, como empresa da indústria farmacêutica, no cumprimento da lei e do código deontológico em vigor da APIFARMA, não pode facultar informações específicas sobre produtos ao público em geral.

2 – Onde pode ser consultado o certificado de análise destas flores? Que outros canabinóides e terpenos estão presentes?
As preparações e substâncias à base da planta da canábis, requerem a submissão de um dossier e posterior aprovação do mesmo, por parte do INFARMED, I.P. Por dossier de qualidade entende-se a submissão do módulo 3, do formato CTD (Common Technical Document), característico da submissão dos medicamentos. É referido, vulgarmente, como o módulo farmacêutico, onde consta toda a informação de produção e controlo de qualidade. A informação que pode ser facultada aos doentes, encontra-se no folheto informativo, que está disponível nos canais adequados.

3 – A Tilray já pediu a comparticipação destas flores ao Infarmed?
Acreditamos que a comparticipação é um passo fundamental para que o acesso com equidade seja alcançado e trabalharemos para isso o mais rápido possível. Contudo, é ainda preciso compatibilizar o regime de comparticipação existente – naturalmente desenhado para os medicamentos – com a nova realidade das preparações e substâncias à base da planta da canábis.

4 – Quantos médicos é que a Tilray já visitou para dar formação sobre esta nova terapia? Em que Hospitais?
A Tilray desenvolve a sua atividade promocional e educativa nos termos da lei em vigor e considera essa informação estratégica como confidencial.

5 – Quantos pacientes estimam que possam vir a beneficiar deste novo produto?
A epidemiologia de doentes não controlados, com as terapêuticas convencionais nas indicações aprovadas, é incerta. Contudo, a evidência disponível aponta para números ainda elevados, como por exemplo na dor crónica oncológica e dor crónica neuropática. Para esta substância à base da planta da canábis para fins medicinais, o INFARMED aprovou as seguintes indicações terapêuticas, nos casos em que os tratamentos convencionais não produziram os efeitos esperados ou provocaram efeitos adversos relevantes:

  • Espasticidade associada à esclerose múltipla ou lesões da espinal medula;
  • Náuseas, vómitos (resultante da quimioterapia, radioterapia e terapia combinada de HIV e medicação para hepatite C);
  • Estimulação do apetite nos cuidados paliativos de doentes sujeitos a tratamentos oncológicos ou com SIDA;
  • Dor crónica (associada a doenças oncológicas ou ao sistema nervoso, como por exemplo na dor neuropática causada por lesão de um nervo, dor do membro fantasma, nevralgia do trigémio ou após herpes zoster);
  • Síndrome de Gilles de la Tourette
  • Glaucoma resistente à terapêutica

Cabe ao médico assistente fazer a avaliação da situação do doente e, em função das características da preparação e/ou substância, decidir sobre a sua utilização e em que condições, determinando se o doente em casa poderá ou não beneficiar desta alternativa terapêutica. Esperamos garantir o acesso a esta terapêutica ao maior número de doentes que dela necessitem, de acordo com os critérios médicos definidos.

 

____________________________________________________________________________________________________

[Aviso: Por favor, tenha em atenção que este texto foi originalmente escrito em Português e é traduzido para inglês e outros idiomas através de um tradutor automático. Algumas palavras podem diferir do original e podem verificar-se gralhas ou erros noutras línguas.]

____________________________________________________________________________________________________

O que fazes com 3€ por mês? Torna-te um dos nossos Patronos! Se acreditas que o Jornalismo independente sobre canábis é necessário, subscreve um dos níveis da nossa conta no Patreon e terás acesso a brindes únicos e conteúdos exclusivos. Se formos muitos, com pouco fazemos a diferença!

Clique aqui para comentar
Subscribe
Notify of

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Publicidade


Veja o Documentário "Pacientes"

Documentário Pacientes Laura Ramos Ajude-nos a crescer

Mais recentes

Saúde2 dias atrás

Canabinóides revelam resultados promissores no tratamento do Transtorno da Personalidade Borderline

Uma investigação levada a cabo pela Khiron LifeSciences e coordenada por Guillermo Moreno Sanz sugere que os medicamentos à base de...

Internacional2 dias atrás

Caso Juicy Fields: 9 detidos pela Europol e Eurojustice. Burla ultrapassa 645 milhões de euros

Uma investigação conjunta conduzida por várias autoridades europeias, apoiadas pela Europol e pela Eurojust, culminou na detenção de nove suspeitos...

Internacional5 dias atrás

Utilizadores regulares de canábis podem necessitar de mais anestesia durante procedimentos médicos

Os utilizadores regulares de canábis podem necessitar de mais anestesia durante os procedimentos médicos para permanecerem sedados, se comparados com...

Internacional6 dias atrás

O futuro do CBD no Japão: Como as reformas legais irão moldar o mercado

No final do ano passado, o Japão deu um grande passo em direcção à reforma da canábis depois de aprovar...

Nacional7 dias atrás

Portugal: GreenBe Pharma obtém certificação EuGMP nas instalações de Elvas

A GreenBe Pharma, uma empresa de canábis medicinal localizada em Elvas, Portugal, obteve a certificação EU-GMP, ao abrigo dos regulamentos...

Nacional2 semanas atrás

Álvaro Covões, da Everything is New, compra instalações da Clever Leaves no Alentejo por 1.4 milhões de euros

Álvaro Covões, fundador e CEO da agência promotora de espectáculos ‘Everything is New‘, que organiza um dos maiores festivais de...

Eventos2 semanas atrás

ICBC regressa a Berlin a 16 e 17 de Abril

É uma das maiores e mais reconhecidas conferências de B2B sobre canábis da Europa e regressa a Berlim já nos...

Internacional2 semanas atrás

A legalização da canábis na Alemanha vista pelos olhos do hacker que criou um mapa essencial

Um hacker de Koblenz, uma cidade do estado da Renânia-Palatinado, criou um mapa com os locais onde, a partir de...

Nacional2 semanas atrás

André Ventura diz que quer “Limpar toda a canábis de Portugal”

André Ventura, o conhecido líder do partido político português de extrema-direita, Chega, disse que quer “limpar toda a canábis de...

Internacional2 semanas atrás

EUA: Kamala Harris diz que classificação actual da canábis é “absurda” e “manifestamente injusta”

A vice-presidente dos Estados Unidos da América (EUA), Kamala Harris, defendeu na semana passada a desclassificação da canábis na tabela...