Connect with us
Publicidade
Publicidade

Corporações

AppStore já permite venda de canábis através de aplicações

Publicado

em

A Apple levantou as restrições de alojamento na AppStore para as aplicações de entrega de canábis, a partir de Junho de 2021, noticiou o Marijuana Moment. O recente passo da gigante tecnológica, que passou despercebido na comunidade, aconteceu por meio da actualização das directrizes da empresa para a revisão de aplicações.

A Apple lançou no dia 7 de Junho uma nova versão das suas directrizes de revisão  para as aplicações submetidas na App Store, num extenso documento que dita as regras que as aplicações devem cumprir para serem aprovadas pela Apple. O TechCrunch relatou as novas directrizes, e a WeedWeek sinalizou, posteriormente, a orientação específica para a canábis.

As políticas de verificação das aplicações móveis da AppStore passarão a permitir aplicações que forneçam serviços relacionados com a canábis, como entregas ao domicílio. Sob as novas políticas, a Apple criou uma margem de manobra para que “dispensários de canábis licenciados e legais” trabalhem com a Apple, mas as empresas terão restrições geográficas aos locais onde a canábis já é legal. Nesse sentido, as aplicações devem ser submetidas pela entidade legal que fornece os serviços e não por um programador individual.

O que muda?

Anteriormente, as regras da AppStore diziam que as “aplicações que incentivam o consumo de produtos de tabaco e vapor, drogas ilegais ou quantidades excessivas de álcool não são permitidos na App Store. Aplicações que incentivam menores a consumir qualquer uma dessas substâncias serão rejeitados. Facilitar a venda de substâncias controladas (excepto para farmácias licenciadas), canábis ou tabaco não é permitido.”

Nas novas regras pode agora ler-se:

“Aplicações que incentivam o consumo de produtos de tabaco e vapor, drogas ilegais ou quantidades excessivas de álcool não são permitidos na App Store. Aplicações que incentivam menores a consumir qualquer uma dessas substâncias serão rejeitados. Facilitar a venda de substâncias controladas (excepto para farmácias licenciadas e dispensários de canábis licenciados ou legais), ou tabaco não é permitido.”

Android e Google Play continuam a proibir
Em contraste, o hub de aplicações Android do Google actualizou sua política em 2019 para proibir explicitamente os programas ou aplicações que conectam utilizadores com canábis, independentemente de ser legal ou não no Estado onde vivem.

Nas regras do Google pode ler-se que “não permitimos aplicações que facilitem a venda de canábis ou produtos de canábis, independentemente da sua legalidade”, acrescentando que alguns exemplos de violações seriam “permitir que os consumidores peçam canábis através de um recurso de carrinho de compras na aplicação” ou “ auxiliar os utilizadores a providenciar a entrega ou recolha de canábis ”. Pode ler-se ainda que “facilitar a venda de produtos contendo THC (Tetrahidrocanabinol), incluindo produtos como óleos de CBD contendo THC” é contra as suas políticas.

Clique aqui para comentar
Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Publicidade
Publicidade

Veja o Documentário "Pacientes"

Documentário Pacientes Laura Ramos Ajude-nos a crescer

Mais recentes

Internacional7 horas atrás

Como vão funcionar as associações de canábis em Malta?

A Autoridade para o Uso Responsável de Canábis (ARUC), entidade Maltesa com responsabilidade na regulamentação da indústria legal e recreativa...

Corporações7 horas atrás

Organigram notificada pela Nasdaq por falhar valor mínimo de negociação

A Organigram Holdings Inc. foi notificada pela Nasdaq de que terá até ao próximo mês de Julho para atingir o...

Cânhamo1 dia atrás

EUA: FDA recusa regulamentar CBD devido a preocupações de segurança

A Food and Drug Administration (FDA) rejeitou iniciar o processo de regulamentação do CBD em produtos alimentares, por não considerar...

Internacional1 dia atrás

Hong Kong: Proibição do CBD entra em vigor a 1 de Fevereiro, com multas milionárias e penas de prisão perpétua

Hong Kong vai classificar oficialmente o Canabidiol (CBD) como uma “droga perigosa” já a partir desta quarta-feira, 1 de Fevereiro,  e...

Internacional4 dias atrás

Japão dá passos para legalizar o uso medicinal de canábis

O governo do Japão está a considerar uma revisão da sua Lei de Controlo da Canábis, que permitiria o uso...

Comunicados de Imprensa5 dias atrás

EUA: Curaleaf encerra operações na Califórnia, Colorado e Oregon

A Curaleaf Holdings anunciou hoje em comunicado de Imprensa o encerramento proactivo da maioria das suas operações na Califórnia, Colorado...

Corporações5 dias atrás

Bedrocan expande produção de canábis medicinal para a Dinamarca

O produtor holandês de canábis medicinal Bedrocan vai abrir uma nova instalação na Dinamarca, de forma a responder à procura...

Internacional5 dias atrás

Malta: Registo para obter licenças de canábis inicia a 28 de Fevereiro

Já passou quase um ano desde que Malta aprovou a legislação para regulamentar o uso adulto da canábis, permitindo a posse...

Internacional6 dias atrás

França dá um passo em frente na legalização da canábis

O Conselho Económico, Social e Ambiental (Cese) de França propôs uma “legalização supervisionada” da canábis, num esforço para “ser orientado...

Comunicados de Imprensa6 dias atrás

Suíça: Linnea obtém licença para produção e exportação de API’s com alto teor de THC

A Linnea SA obteve a licença de narcóticos da Swissmedic, a equivalente suíça ao Infarmed I.P., tornando-a numa das primeiras...