Connect with us

Nacional

Núcleo de Investigação Criminal da GNR faz investigação de três meses para apreender duas plantas de canábis

Publicado

em

Foto: D.R. | GNR Faro

O Comando Territorial da Guarda Nacional Republicana (GNR) de Faro deteve “em flagrante” um homem de 50 anos por cultivo de canábis. Em comunicado de Imprensa, a GNR disse que a detenção aconteceu “na sequência de uma investigação por tráfico de estupefacientes que decorria há cerca de três meses no Núcleo de Investigação Criminal (NIC) de Tavira” tendo apreendido duas plantas de canábis e várias cabeças de canábis em fase de secagem.

De acordo com o comunicado da GNR, a detenção do homem de 50 anos aconteceu “em flagrante” no passado dia 10 de Novembro, em Vila Nova de Cacela, no concelho de Vila Real de Santo António, no Algarve. “Na sequência de uma investigação por tráfico de estupefacientes que decorria há cerca de três meses, os militares da Guarda deram cumprimento a um mandado de busca domiciliária, tendo apreendido duas plantas de canábis e várias cabeças de canábis em fase de secagem”, pode ler-se no mesmo comunicado de Imprensa.

O detido foi constituído arguido e os factos foram remetidos ao Tribunal Judicial de Faro.

Portugal descriminalizou a posse e o consumo de todas as drogas em 2001, mas a compra, a venda e o cultivo de canábis continuam a ser punidos por lei, com centenas de processos de detenções a acabar nos tribunais por tráfico de pequenas quantidades de estupefacientes. Raramente os detidos são, efectivamente, presos, sendo libertadas depois de presentes a um Juiz. A GNR efectua detenções por posse ou cultivo de canábis em Portugal praticamente todos os dias.

O CannaReporter é um projecto independente e completamente suportado pela comunidade. Para continuar a desenvolver este projecto, o apoio dos leitores é fundamental.
Clique abaixo e torne-se apoiante do CannaReporter desde 3€ por mês !
Publicidade
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *