Connect with us

Cânhamo

Agricultores ponderam desistir de investimentos no cânhamo em Portugal

Publicado

em

Ouvir este artigo
Agricultor num campo de cânhamo industrial | Foto: D.R.

Se o cânhamo industrial já não era um sector de fácil investimento em Portugal, com a Portaria 14/2022 hoje publicada em Diário da República, vários agricultores e potenciais investidores antevêem ainda mais dificuldades, equacionando desistir dos seus potenciais projectos. Acusam a DGAV e o Ministério da Agricultura de nunca os ter ouvido e criticam as contradições da Ministra da Agricultura, que por um lado assinou um protocolo para incentivar a agricultura familiar e a agro-ecologia, mas que por outro, ao definir um mínimo de 0,5ha, acaba por limitar os pequenos agricultores de cultivar cânhamo, uma cultura que consideram “essencial para a sustentabilidade e a regeneração dos solos”, tal como a Comissão Europeia já tinha confirmado.

André Morais, 39 anos, Enfermeiro Especialista no Reino Unido, estava a considerar o regresso à região do alto Minho, de onde é oriundo, para se dedicar à produção de cânhamo industrial. Com a publicação das novas regras, admite que, provavelmente, irá desistir. “Como potencial produtor de cânhamo em escala mais pequena, definitivamente não compreendo a posição do governo Português em relação a esta planta, que poderia, sem exagerar, revolucionar a economia e a agricultura deste país. Definitivamente, esta portaria desencoraja seriamente o meu retorno a Portugal para produzir cânhamo industrial”. André lamenta ainda que “em vez de progredir, Portugal tem vindo sempre a regredir” em relação às regras, implementando restrições cada vez maiores para “uma planta com tanto potencial para a sustentabilidade”.

Desde há dois anos que também Luís Sezões, 40 anos, a viver há oito na Alemanha, estava a pensar regressar a Portugal com a família. “Andei a pesquisar possíveis cultivos para alguns hectares de terreno que tenho no Alentejo e queria investir no cânhamo. Sempre acreditei no potencial desta planta e acho que é o cultivo do futuro, mas com tudo o que tenho andado a acompanhar em Portugal começo a ficar com dúvidas. Este bicho de sete cabeças que o governo cria em torno de algo que podia ser tão simples e que traria vantagens a muitas pessoas e ao país é simplesmente incompreensível”, lamenta.

Portaria “fecha as portas aos pequenos agricultores”

Rita Oliveira, consultora na área do cânhamo industrial, representa vários agricultores e investidores do sector em Portugal e diz que o facto de a portaria definir 0,5 ha como área mínima de cultivo vem “fechar as portas aos pequenos agricultores. Dos sete pedidos que foram deferidos no ano passado a agricultores que representei, apenas dois tinham mais do que 0,5 ha”. E continua: “Esta é uma planta com potencial de regeneração imenso e os pequenos agricultores, como eu, que estão a fazer regeneração e a trabalhar para a sustentabilidade, fazendo agro-ecologia, não deixam usar esta planta. As parcelas onde faço cânhamo, nos anos a seguir onde planto outras coisas, noto que as hortícolas têm outra qualidade”.

Rita, que já tinha apresentado reclamações na DGAV – Direcção Geral de Alimentação e Veterinária – no ano passado e feito queixa na Provedoria da Justiça, faz ainda referência à contradição que esta portaria representa pouco depois de a Ministra da Agricultura ter assinado um protocolo para a constituição do Centro de Competências da Agricultura Familiar e Agroecologia (CeCAFA), que visa reforçar a investigação, a difusão do conhecimento, a promoção da inovação e a qualificação dos produtores na valorização da agricultura familiar. “Se queremos estimular a agricultura familiar é impensável que, no século XXI, tirem esta cultura aos pequenos agricultores. Havendo já várias forças políticas a trabalhar para a regeneração, proibir ou limitar o cultivo de cânhamo industrial não faz qualquer sentido”.

Agricultores não foram ouvidos
Os agricultores lamentam que, mais uma vez, não tenham sido chamados nem ouvidos para dar o seu contributo para as novas regras do cultivo de cânhamo, apesar dos vários pedidos de reunião. “Desde 2018 que estamos a tentar dialogar com a DGAV e com o Ministério, para que sejam feitas portarias adaptadas à realidade dos agricultores, e de facto estão de portas fechadas. Esta portaria vem confirmar que a DGAV e o MA não estão a trabalhar com os agricultores nem a ouvi-los”, diz Rita Oliveira, que acrescenta ainda:  “A DGAV e quem fez a portaria parece não ter dados reais agronómicos. Por exemplo, a data de 31 de Julho, estabelecida na portaria como limite para submeter os pedidos, não é realista, porque não se planta cânhamo em Agosto.”

Comissão Europeia salienta papel do cânhamo na sustentabilidade
Em 2021, a Comissão Europeia lançou uma página específica para o cânhamo industrial, destacando que “a produção de cânhamo oferece amplas oportunidades para agricultores, sectores industriais e consumidores na União Europeia”, além dos seus benefícios ambientais e da sua importância para a sustentabilidade. A página destaca ainda que “o cultivo de cânhamo contribui para os objectivos do ‘Pacto Ecológico Europeu‘ e que o cânhamo tem vários benefícios ambientais, entre os quais armazenamento de carbono, quebra do ciclo de doenças, prevenção da erosão do solo, contribuição para a biodiversidade e baixo ou nenhum uso de pesticidas. A página da UE faz ainda referência aos diferentes usos do cânhamo, desde a indústria têxtil à construção, passando pela produção de papel ou pelos alimentos e rações, entre outros usos que contribuem para a sustentabilidade. O cultivo de cânhamo na Europa aumentou 75% nos últimos anos, com França a liderar os maiores países produtores.

O Cannareporter enviou um pedido de esclarecimento ao Ministério da Agricultura e à DGAV e encontra-se a aguardar resposta. Contactámos ainda a Cannacasa – Associação do Cânhamo Industrial e a ACCIP – Associação dos Comerciantes de Cânhamo Industrial de Portugal e publicaremos as suas reacções logo que possível.

 

____________________________________________________________________________________________________

[Aviso: Por favor, tenha em atenção que este texto foi originalmente escrito em Português e é traduzido para inglês e outros idiomas através de um tradutor automático. Algumas palavras podem diferir do original e podem verificar-se gralhas ou erros noutras línguas.]

____________________________________________________________________________________________________

O que fazes com 3€ por mês? Torna-te um dos nossos Patronos! Se acreditas que o Jornalismo independente sobre canábis é necessário, subscreve um dos níveis da nossa conta no Patreon e terás acesso a brindes únicos e conteúdos exclusivos. Se formos muitos, com pouco fazemos a diferença!

Licenciada em Jornalismo pela Universidade de Coimbra, Laura Ramos tem uma pós-graduação em Fotografia e é Jornalista desde 1998. Foi correspondente do Jornal de Notícias em Roma, Itália, e Assessora de Imprensa no Gabinete da Ministra da Educação. Tem uma certificação internacional em Permacultura (PDC) e criou o arquivo fotográfico de street-art “O que diz Lisboa?” @saywhatlisbon. Laura é actualmente Editora do CannaReporter e da CannaZine, além de fundadora e directora de programa da PTMC - Portugal Medical Cannabis. Realizou o documentário “Pacientes” e integrou o steering group da primeira Pós-Graduação em GxP’s para Canábis Medicinal em Portugal, em parceria com o Laboratório Militar e a Faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa.

3 Comments
Subscribe
Notify of

3 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

[…] Agricultores ponderam desistir de investimentos no cânhamo em Portugal […]

[…] The minimum production area has been set at half a hectare (5,000 square metres), shutting out some small farmers. […]

2 anos atrás

El Càñamo tradicional industrial debe ser de cultivo obligado en campos abandonados. La falta de verde, la semilla emisiones de gases tóxicos legales petroquímicos y el despilfarro de los basureros y sus emisiones de gas metano que destruyen capa de ozono y provoca achicharre solar DEBE PARAR. Más info al whatsapp 34 641650992 Canamovida.com , antes Alsativa.com, la nueva web de la futura cooperativa cañamera CAÑAMOVIDA

Publicidade


Veja o Documentário "Pacientes"

Documentário Pacientes Laura Ramos Ajude-nos a crescer

Mais recentes

Cânhamo3 dias atrás

Portugal: Estudo revela disparidades alarmantes na rotulagem do CBD, que continua proibido no país

Um estudo recente sobre os produtos de CBD em Portugal revela disparidades alarmantes entre o conteúdo de canabinóides anunciado e...

Internacional3 dias atrás

Espanha: Câmara de Barcelona encerra dezenas de clubes de canábis

A Câmara Municipal de Barcelona deu início a uma forte repressão contra os clubes de canábis da cidade, ordenando o...

Internacional5 dias atrás

Alemanha aprova o primeiro clube social de canábis após a legalização

A Ministra da Agricultura da Baixa Saxónia, Miriam Staudte, anunciou esta segunda-feira que o seu gabinete autorizou o primeiro clube...

Cânhamo7 dias atrás

Tailândia cada vez mais perto de reclassificar a canábis e o cânhamo como substâncias controladas

A Tailândia deu mais um passo decisivo no sentido de voltar a proibir a canábis no país. Na passada sexta-feira,...

Internacional2 semanas atrás

Observatório Europeu da Droga e da Toxicodependência (OEDT) passa a ser Agência da União Europeia das Drogas (EUDA)

A 2 de Julho de 2024 o Observatório Europeu da Droga e da Toxicodependência (EMCDDA) passará a ser a Agência...

Eventos2 semanas atrás

ICRS – International Cannabinoid Research Society reúne médicos e investigadores em Salamanca para o 34º Simpósio sobre Canabinoides

Se pensa que a investigação com canábis é algo recente e que inda não há estudos suficientes… pense outra vez! É...

Crónica3 semanas atrás

Terroir 101 – Uma Introdução

Este artigo inicia uma série sobre temas necessários para os que acreditam que esta planta merece ser reverenciada e elevada...

Eventos3 semanas atrás

Editora do CannaReporter®, Laura Ramos, nomeada “Jornalista do Ano” nos prémios Business of Cannabis

A indústria da canábis está prestes a reunir-se em Londres para dois dias de Cannabis Europa e uma noite de...

Comunicados de Imprensa4 semanas atrás

Cannabis Europa recebe líderes europeus e norte-americanos em Londres para capitalizar o mercado europeu da canábis

A indústria norte-americana de canábis está a criar um movimento significativo através do Atlântico, à medida que os líderes deste...

Internacional4 semanas atrás

Polícia alemã esclarece que não sugeriu consumo de canábis (em vez de álcool) aos adeptos ingleses do Euro 2024

A polícia de Gelsenkirchen, na Alemanha, foi citada numa notícia onde afirmou que as atenções estariam mais centradas nos adeptos...