Connect with us
Publicidade
Publicidade

Internacional

África do Sul: King Khoisan detido por plantar canábis em frente à residência do Presidente, Cyril Ramaphosa

Publicado

em

King Khoisan detido pela polícia em Pretória, na África do Sul - Foto: BBC

King Khoisan, líder da comunidade indígena sul africana Khoi-San, foi preso por plantar e vender canábis em frente à residência oficial do Presidente sul-africano, Cyril Ramaphosa, anunciou a BBC. Alguns membros do grupo étnico mais antigo do país, que agora é uma pequena minoria, estavam acampados em frente aos Union Buildings, em Pretória, há três anos, exigindo o reconhecimento oficial das suas línguas.

King Khoisan acredita que a sua detenção foi uma manobra para o remover das imediações da residência do Presidente e silenciar o protesto da sua comunidade, mas garante que continuará a cultivar canábis e que a prisão não o deterá. “Polícia, vocês declararam guerra! Nós estivemos aqui pacificamente e iremos atrás de vocês”, gritou durante a sua detenção.

As buscas foram executadas por 12 polícias, alguns com cães e outros a cavalo. Além do líder, King Khoisan, foram detidos mais três membros da comunidade, mas todos foram libertados no dia seguinte, sob caução. A detenção ocorreu depois de a polícia ter começado a recolher as plantas de canábis e o líder, King Khoisan, se ter oposto veementemente. Nas imagens recolhidas por alguns órgãos de comunicação social, podem ver-se as autoridades a arrastar as plantas às quais King Khoisan se tinha agarrado, sendo arrastado também. Foi também acusado de não usar máscara e recusar-se a colocá-la depois de lhe ter sido pedido.

Um grupo de apoiantes, alguns vestidos com as roupas tradicionais da tribo, esperavam à entrada do tribunal, dançando, cantando e fumando dagga (canábis). À saída, King Khoisan referiu à News24 que “nós não podemos continuar com as leis dos outros”, uma vez que os seus ancestrais fumavam dagga muito antes dos europeus chegarem à África Austral.

A África do Sul legalizou o consumo privado (em casa) e o auto-cultivo para uso próprio da canábis em 2018. Foi revogada ainda a lei que dava pena de até 25 anos de prisão aos consumidores.

Canábis (ou dagga) é usada pela tribo Khoi-San para fins medicinais

Segundo declarações feitas à IOL pela mulher do líder, Queen Cynthia, a dagga é utilizada para fins medicinais, como para ajudar as pessoas que têm cancro ou pressão arterial alta. Diz ainda que o povo Khoisan só quer reconhecimento e queixa-se do facto de o Presidente não mostrar vontade de iniciar um diálogo com esta comunidade.

Os Khoi-San, uma das comunidades mais antigas do país, do continente e do mundo, tem alguns dos seus membros, entre eles o líder e a sua mulher, há mais de 3 anos acampados, em forma de protesto, fora do escritório de Ramaphosa, num espaço verde perto da estátua de Nelson Mandela, em Pretória, uma das 3 capitais da África do Sul. Entre outras coisas, este povo indígena exige ao governo sul-africano que reconheça oficialmente a sua língua, que eles são a primeira nação indígena e que a palavra “coloured” – quando usado em referência às pessoas mestiças -, deve ser retirada de todos os documentos oficiais.

Hoje são uma pequena minoria no país, mas os cientistas acreditam que este grupo étnico é constituído por “populações separadas de pastores-colectores e caçadores-colectores que falam línguas contendo consoantes de “clique”, segundo descreve um artigo publicado na Science News. Ao longo da última década, os pesquisadores descobriram que o seu ADN tem raízes muito mais antigas do que as outras formas de ADN mitocondrial que foram herdadas pelos humanos de hoje em dia. Por outras palavras, a diversidade contida no ADN Khoi-San tem evidências de ser um dos mais antigos do mundo.

Publicidade
Publicidade

Veja o Documentário "Pacientes"

Documentário Pacientes Laura Ramos Ajude-nos a crescer

Mais recentes

Internacional8 horas atrás

Japão dá passos para legalizar o uso medicinal de canábis

O governo do Japão está a considerar uma revisão da sua Lei de Controlo da Canábis, que permitiria o uso...

Comunicados de Imprensa1 dia atrás

EUA: Curaleaf encerra operações na Califórnia, Colorado e Oregon

A Curaleaf Holdings anunciou hoje em comunicado de Imprensa o encerramento proactivo da maioria das suas operações na Califórnia, Colorado...

Corporações1 dia atrás

Bedrocan expande produção de canábis medicinal para a Dinamarca

O produtor holandês de canábis medicinal Bedrocan vai abrir uma nova instalação na Dinamarca, de forma a responder à procura...

Internacional1 dia atrás

Malta: Registo para obter licenças de canábis inicia a 28 de Fevereiro

Já passou quase um ano desde que Malta aprovou a legislação para regulamentar o uso adulto da canábis, permitindo a posse...

Internacional2 dias atrás

França dá um passo em frente na legalização da canábis

O Conselho Económico, Social e Ambiental (Cese) de França propôs uma “legalização supervisionada” da canábis, num esforço para “ser orientado...

Comunicados de Imprensa2 dias atrás

Suíça: Linnea obtém licença para produção e exportação de API’s com alto teor de THC

A Linnea SA obteve a licença de narcóticos da Swissmedic, a equivalente suíça ao Infarmed I.P., tornando-a numa das primeiras...

Internacional2 dias atrás

Alemanha pretende concluir projecto de lei e parecer técnico sobre a legalização até final de Março

O projecto de lei do governo alemão para a legalização da canábis deverá estar concluído até ao final de Março,...

Internacional3 dias atrás

EUA: Supremo Tribunal do Arizona decide que uso de canábis medicinal durante a gravidez não constitui negligência infantil

O Supremo Tribunal do Arizona decidiu que o uso materno de canábis para enjôos matinais não constitui negligência infantil, avançou a...

Internacional4 dias atrás

República Checa: Projecto para a legalização do uso adulto poderá ser apresentado já em Março

A legislação que regulamentará a canábis para fins recreativos na República Checa poderá ver a luz do dia dentro de...

Nacional4 dias atrás

Clever Leaves despede 63 pessoas e sai de Portugal

A Clever Leaves anunciou hoje que vai abandonar as suas operações em Portugal, tendo procedido ao despedimento colectivo de 63 trabalhadores....