Connect with us

Internacional

Mercado legal da canábis é um dos que mais contribui para o PIB do Canadá

Publicado

em

Ouvir este artigo
Evolução do mercado legal da canábis no Canadá. Foto: New Frontier Data

Desde que o Canadá adoptou a legalização total, a indústria da canábis foi a que mais contribuiu para o produto interno bruto (PIB) do país, ultrapassando os 43 mil milhões de dólares canadianos (29,4 mil milhões de euros), segundo um relatório da Deloitte, citado pela CTV News. A indústria de canábis legal contribuiu mais para o PIB do Canadá do que a maioria dos outros sectores, de acordo com os dados da Statistics Canada, citados por uma análise da Bloomberg.

Três anos após a regulamentação do uso adulto, o mercado da canábis legal gerou mais para a economia canadiana do que importantes sectores como os Media, a mineração de ferro, ouro, potássio e cobre, a carne, as cervejarias, a confecção de roupa ou os produtos de madeira – estando mesmo perto de superar a indústria de fabrico de automóveis.

Em 2018, o Canadá tornou-se no segundo país do mundo a legalizar a canábis para todos os fins, incluindo o cultivo, produção, venda, posse e consumo, após o Uruguai, que foi o primeiro a legalizar totalmente a planta em 2013.

Três anos depois de a política entrar em vigor, o governo canadiano fez uma análise da evolução da legalização, a fim de escrutinar os impactos na saúde pública, resolver os eventuais problemas que tenham surgido nesse período e estabilizar a indústria.

O porta-voz do Ministério da Saúde, o órgão responsável pela regulamentação da lei, disse à Bloomberg que “tal como acontece com qualquer nova legislação, especialmente para algo tão abrangente como a Lei da Canábis, haverá sempre espaço para melhorias e ajustes, para garantir que [a lei] está a cumprir os seus objetivos: manter a canábis fora das mãos dos jovens, enquanto mantém os lucros longe do crime organizado”.

Mercado da canábis em ascensão

As análises mais optimistas dos especialistas têm a ver precisamente com os impactos positivos do mercado legal da canábis na economia do país. Dados da New Frontier Data revelam que, desde que as vendas legais de canábis começaram no Canadá, em Outubro de 2018, houve um aumento progressivo e constante do mercado. Mais de 1,3 mil milhões de dólares canadianos de produtos de canábis para uso não medicinal foram vendidos no segundo trimestre de 2021, marcando um crescimento de quase 12% em relação ao trimestre anterior. A New Frontier Data projecta que, até 2025, esse número suba para 5,2 mil milhões.

O crescimento das vendas foi apoiado pela introdução de produtos comestíveis e tópicos no final de 2019. Embora as flores secas ainda dominem o mercado, respondendo por 73% dos gastos em todas as categorias no segundo trimestre de 21, essa margem está diminuindo.

Um gráfico da Statista mostra a evolução precisa das vendas mensais das lojas legais de canábis no Canadá, desde Outubro de 2018 a Novembro de 2021, que foi o que mais cresceu nos últimos anos.

“Cannabusiness” ou os negócios da canábis

O mercado da indústria da canábis foi o que mais cresceu no Canadá nos últimos três anos, representando um dos mais importantes para o PIB nacional. Existem mais de 2.700 lojas físicas de canábis legal abertas ao público em todo o país e todas elas ajudaram a erradicar o mercado ilegal e o crime organizado, um dos objectivos principais da política de legalização canadiana.

Actualmente, o mercado ilícito no Canadá é responsável por apenas 39% do mercado, uma percentagem bem abaixo dos 91%, quando a legalização começou há três anos. A expectativa é que o mercado duplique de tamanho no próximo ano, principalmente agora que o mercado está a ajustar-se à legalização e está a ser feita uma revisão governamental da lei, a fim de continuar a regulamentar os pontos necessários.

Consumo de canábis por jovens baixou e comestíveis aumentaram 

Um inquérito realizado pela Statistics Canada em 2021 concluiu que o consumo entre os jovens baixou após a legalização, com os homens a representar uma percentagem maior de utilização de canábis do que as mulheres. O uso relatado nos últimos 12 meses diminuiu entre 2020 e 2021 entre os jovens de 16 a 19 e de 20 a 24 anos de idade.
Quanto aos métodos de consumo, a maioria dos utilizadores (74%) utilizou as flores secas para fumar, uma baixa em relação a 2020, com apenas 18% a optar pelo haxixe. Outros métodos de consumo foram os comestíveis ou alimentos (que aumentaram de 49 para 53%), a vaporização usando uma caneta vape ou cigarro eletrónico (29%), os óleos de canábis para uso oral (26%), as bebidas (16%), a vaporização usando um vaporizador (10%), as aplicações tópicas (9%),  ou o dabbing (6%).

Cerca de 6% recorre ao auto-cultivo para obter canábis de forma legal
Outro estudo da Pesquisa Nacional de Canábis do Canadá, publicado na PubMed, analisou os primeiros trimestres de 2018 e de 2019 e o quarto trimestre de 2020, para examinar as mudanças no uso de canábis (uso geral e uso diário ou quase diário), os métodos de consumo, produtos e fontes. O uso de canábis nos últimos três meses foi maior no final de 2020 (20,0%) do que em 2019 (17,5%) e 2018 (14,0%), e ocorreu principalmente entre: mulheres (para quem as taxas subiram, para igualar as taxas masculinas pela primeira vez) e adultos com 25 anos ou mais. Da mesma forma, o uso diário estabelecido em 7,9%, também aumentou. Percentagens mais altas de canadianos relataram obter a sua canábis de fontes legais ou através do auto-cultivo. No inquérito realizado pela Statistics Canada, cerca de 6% dos canadianos relatou que as suas plantas foram obtidas através do auto-cultivo e 7% relatou preparar comestíveis ou bebidas de canábis em casa.

How cannabis use changed in Canada, 2018 to 2020

Publicidade


Veja o Documentário "Pacientes"

Documentário Pacientes Laura Ramos Ajude-nos a crescer

Mais recentes

Cânhamo24 minutos atrás

Cultivo de Cânhamo nos Açores vai ter sessão de esclarecimento na Ilha Terceira

A Confraria Internacional Cannabis Portugal e a CannAzores unem esforços para promover uma Sessão de Esclarecimento sobre o Cultivo de...

Saúde4 dias atrás

CBD e CBC mostram resultados promissores no carcinoma espinocelular de cabeça e pescoço

Um estudo publicado na revista Cancers descobriu que os extractos de canábis ricos em CBD (canabidiol) podem matar células cancerosas da...

Internacional5 dias atrás

Ucrânia: Zelensky assina projecto de lei para legalizar a canábis medicinal

O presidente ucraniano Volodymyr Zelensky assinou um projecto de lei que legaliza a canábis medicinal na Ucrânia, prevendo-se que os...

Nacional2 semanas atrás

Portugal: Associação Mães pela Canábis publica e-book sobre canábis medicinal

A Associação de Mães pela Canábis (AMC) anunciou o lançamento de um e-book intitulado “Fronteiras da Cannabis: CIÊNCIA, TERAPÊUTICA &...

Corporações3 semanas atrás

Akanda assina carta de intenção para vender RPK Biopharma à Somaí. “Será uma das poucas empresas verticais de canábis da UE”, diz Michael Sassano

A Akanda Corporation, uma empresa internacional de canábis medicinal cotada na Nasdaq (AKAN) e que detém a empresa portuguesa Holigen, anunciou...

Cânhamo3 semanas atrás

Portugal: DGAV admite que o CBD é a sua “grande dor de cabeça” e produtores reclamam utilização da planta inteira

A conferência “Cânhamo Industrial – o (Re)nascer da Fileira em Portugal” promovida pela Cânhamor e pela Consulai, que decorreu dia...

Internacional3 semanas atrás

Pensionista espanhol contorna segurança do aeroporto de Lisboa com 21 kg de canábis

Um pensionista espanhol de 63 anos foi detido em Malta, depois de aterrar no aeroporto num voo proveniente de Lisboa,...

Cânhamo3 semanas atrás

Portugal: O futuro do cânhamo industrial discute-se amanhã em Beja

  O auditório EDIA, em Beja, vai receber amanhã, dia 30 de Janeiro, a partir das 14 horas, uma ronda...

Internacional4 semanas atrás

Espanha: Directora da Fiscalia Especial Antidroga propõe campanhas sobre o risco do consumo de canábis

A directora da Fiscalia Especial Antidroga, Rosa Ana Morán Martínez, alertou recentemente que Espanha se tornou ‘o principal produtor de...

Entrevistas1 mês atrás

Elena Battaglia, Veterinária: “Tenho pacientes oncológicos que se esperava que morressem há dois anos e ainda estão vivos”

Falámos com a veterinária italiana Elena Battaglia, que tem vasta experiência a utilizar canabinóides em animais, e nos explicou de...