Connect with us

Opinião

O papel da Enfermagem no cuidado ao paciente submetido a tratamento com canabinóides

Publicado

em

Ouvir este artigo
Foto: D.R. | Unsplash

Hoje, dia 12 de Maio, assinala-se o Dia Mundial do Enfermeiro. De acordo com o código ético e deontológico de enfermagem, o enfermeiro é o agente responsável pela promoção da saúde e pela resposta adequada às necessidades da comunidade em que se insere profissionalmente. A divulgação de informação e respeito à autodeterminação é também um dever destes profissionais de saúde, que assumem um papel crucial na educação do utente.

Desta forma, prestando cuidados de saúde centrados na pessoa, o enfermeiro tem o dever de procurar, em todo o seu ato profissional, a excelência do exercício, mantendo a atualização contínua dos seus conhecimentos e implementando mecanismos de resposta à situação de saúde do utente, colaborando com outros profissionais em programas que respondam às suas necessidades.

As profundas transformações socioculturais, económicas, demográficas e epidemiológicas, que as sociedades modernas enfrentam, são geradoras de realidades complexas que configuram novas necessidades de cuidados pelo incremento de condições e patologias refratárias a opções terapêuticas existentes e  que se traduzem em maiores desafios e exigências para os sistemas de saúde.

A descoberta do sistema endocanabinóide impulsionou não apenas a investigação científica sobre a planta canábis como também a sua utilização para atenuar sintomas decorrentes de diversas patologias. Este interesse culminou na alteração da legislação no sentido de permitir a sua utilização para fins medicinais nos mais diversos países, dos quais se destacam o Canadá, Israel e alguns estados americanos, ou a nível europeu, Alemanha, Itália, Holanda, República Checa, Portugal, entre outros.

A Lei n.º 33/2018 de 18 de julho e respetiva regulamentação pelo Decreto-Lei n.º 8/2019 de 15 de janeiro, estabelecem o quadro legal para a utilização de medicamentos, preparações e substâncias à base da planta, para fins medicinais. Assim, além dos medicamentos contendo canabinóides como princípio ativo, é permitida a prescrição e dispensa de preparações e substâncias à base da canábis, nomeadamente, contendo as folhas e sumidades floridas ou frutificadas, o óleo e outros extratos padronizados ou preparados extraídos ou conseguidos a partir da planta. A prescrição é feita mediante receita médica especial e a sua dispensa exclusiva em farmácia.

As alterações legislativas relacionadas com  uso medicinal desta planta, evidenciam não só a necessidade de uma compreensão correta e abrangente das suas propriedades como também a de investimento na prevenção, diagnóstico e  acompanhamento destes utentes, tornando-se crucial a transição do modelo biomédico para uma abordagem centrada na pessoa e na sua multidimensionalidade.

Estas constantes alterações perspetivam o investimento na educação e formação dos profissionais de saúde de Enfermagem, profissionalizando o seu contributo através da aquisição e consolidação de novos conceitos e competências.

É crucial que, a curto prazo, sejam definidas as normas de boas práticas de enfermagem no âmbito do utente submetido ao tratamento com canabinóides, abrangendo em simultâneo o processo de enfermagem e os requisitos de desempenho profissional de qualquer enfermeiro registado que pretenda incorporar conhecimentos sobre esta terapêutica na sua prática.

Esta aposta irá permitir a formação de equipas multidisciplinares informadas, colaborativas, motivadas e receptivas a novas opções de tratamento, o que se irá traduzir em melhorias significativas na saúde dos doentes, comunidades e sistemas de saúde. _______________________________________________________

*Soraia Tomás é Enfermeira, licenciada pela Escola Superior de Enfermagem de Coimbra em 2015. Desempenhou funções nos cuidados intensivos de cirurgia Cardio-Torácica e transplantação pulmonar em Lisboa. Neste momento trabalha no Spine Center, serviço de cirurgia à coluna e unidade de cuidados intensivos de cirurgia geral no Hospital da Luz em Coimbra, cidade onde reside. Entusiasta na área da Canábis Medicinal, é membro do conselho científico do Observatório Português de Canábis Medicinal, esteve presente em conferências neste âmbito (Portugal Medical Cannabis, Cannabis Europa, CannX, entre outras) e obteve uma pós-graduação em GMP’s para Canábis Medicinal, curso realizado pelo Observatório Português de Canábis Medicinal em parceria com o Laboratório Militar de Produtos Químicos e Farmacêuticos e a Faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa. Presidente da Direcção da APCANNA – Associação Portuguesa de Informação sobre Canábis, pretende desenvolver projetos dedicados à divulgação, educação e formação em canábis medicinal a profissionais de saúde e ao público em geral, promovendo desta forma a excelência na prática profissional e o acesso seguro e eficaz a terapias com canabinóides.

 

____________________________________________________________________________________________________

[Aviso: Por favor, tenha em atenção que este texto foi originalmente escrito em Português e é traduzido para inglês e outros idiomas através de um tradutor automático. Algumas palavras podem diferir do original e podem verificar-se gralhas ou erros noutras línguas.]

____________________________________________________________________________________________________

O que fazes com 3€ por mês? Torna-te um dos nossos Patronos! Se acreditas que o Jornalismo independente sobre canábis é necessário, subscreve um dos níveis da nossa conta no Patreon e terás acesso a brindes únicos e conteúdos exclusivos. Se formos muitos, com pouco fazemos a diferença!

+ posts

Soraia Tomás, licenciada em Enfermagem pela Escola Superior de Enfermagem de Coimbra em 2015, desempenhou funções nos cuidados intensivos de cirurgia Cardio-Torácica e transplantação pulmonar em Lisboa. Neste momento trabalha no Spine Center, serviço de cirurgia à coluna e unidade de cuidados intensivos de cirurgia geral no Hospital da Luz em Coimbra, cidade onde reside. Entusiasta na área da Canábis Medicinal, é membro do conselho científico do Observatório Português de Canábis Medicinal, esteve presente em conferências neste âmbito (Portugal Medical Cannabis, Cannabis Europa, CannX, entre outras) e obteve uma pós-graduação em GMP’s para Canábis Medicinal, curso realizado pelo Observatório Português de Canábis Medicinal em parceria com o Laboratório Militar de Produtos Químicos e Farmacêuticos e a Faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa. Presidente da Direcção Geral da APCANNA– Associação Portuguesa de Informação sobre Canábis, pretende desenvolver projetos dedicados à divulgação, educação e formação em canábis medicinal a profissionais de saúde e ao público em geral, promovendo desta forma a excelência na prática profissional e o acesso seguro e eficaz a terapias com canabinóides.

Clique aqui para comentar
Subscribe
Notify of

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Publicidade


Veja o Documentário "Pacientes"

Documentário Pacientes Laura Ramos Ajude-nos a crescer

Mais recentes

Internacional18 horas atrás

Polícia alemã esclarece que não sugeriu consumo de canábis (em vez de álcool) aos adeptos ingleses do Euro 2024

A polícia de Gelsenkirchen, na Alemanha, foi citada numa notícia onde afirmou que as atenções estariam mais centradas nos adeptos...

Eventos1 dia atrás

Substâncias sintéticas ameaçam enorme sucesso da Mary Jane Berlin

Era expectável que esta edição da Mary Jane Berlin fosse a maior concentração de sempre da comunidade da canábis na...

Nacional3 dias atrás

ICAD promove inquérito europeu sobre consumo de drogas em Portugal

O Instituto para os Comportamentos Aditivos e as Dependências (ICAD) iniciou a 4ª edição do European Web Survey on Drugs...

Eventos4 dias atrás

Maren Krings, autora do livro “H is for Hemp”, apresenta documentário sobre a Ucrânia hoje, em Lisboa

Maren Krings, fotojornalista e autora do livro “H is for Hemp” está hoje em Lisboa para apresentar o seu novo...

Internacional6 dias atrás

EUA: Pediatra Bonni Goldstein lança petição contra a proibição de medicamentos de CBD natural na Califórnia

A pediatra norte-americana Bonni Goldstein está a alertar para a tentativa de proibição de medicamentos derivados de CBD natural na...

Internacional6 dias atrás

Europa tem quase 23 milhões de utilizadores de canábis, a mais consumida de todas as substâncias ilícitas

A canábis continua a ser, de longe, a substância ilícita mais consumida na Europa. Estas são as conclusões do “Relatório...

Eventos7 dias atrás

Mary Jane celebra a cultura da canábis legal pela primeira vez na Alemanha

É já no próximo fim-de-semana, de 14  16 de Junho, que se realiza a já habitual Mary Jane, na Messe...

Eventos2 semanas atrás

CB Club reúne profissionais da canábis antecipando a Mary Jane, em Berlim

A antecipar a CB Expo (Cannabis Business Expo and Conference), que acontecerá em Dortmund, em Setembro, a CB Company vai...

Reportagem2 semanas atrás

África do Sul: a legalização de uma indústria que já prospera

Nas semanas que antecederam as eleições para Assembleia Geral na África do Sul, na passada quarta-feira, 29 de Maio, havia...

Entrevistas2 semanas atrás

Rui Reininho: “Eu acho esquisitíssimo andarem os meus colegas da GNR a meter o nariz nas propriedades das pessoas a ver o que é que esta planta faz”

Rui Reininho, músico português que ficou famoso enquanto vocalista dos GNR, dispensa apresentações. Ao contrário do que muitos pensam, não fundou...