Connect with us

Internacional

Legalização da canábis recreativa associada a redução na prescrição de medicamentos

Publicado

em

Ouvir este artigo
Foto: D.R.

Um estudo norte-americano publicado na revista Wiley – Health Economics revela que os pacientes do programa de saúde “Medicaid” reduziram a utilização de medicamentos prescritos após a legalização do uso adulto de canábis, nomeadamente a medicação para a dor, depressão, ansiedade, sono, psicose e convulsões. Os autores salientam que estes resultados têm implicações importantes, não só ao nível de uma economia de custos para os estados, mas também como uma oportunidade de redução de danos.

O estudo, realizado pela Universidade Cornell, em Ithaca, no estado de Nova York, em parceria com a Universidade de Indiana, incluiu uma amostra de todos os 50 estados norte-americanos, de 2011 a 2019, e foi observada a cada trimestre de cada ano.

Segundo os autores, Shyam Raman 1  e Ashley Bradford 2 , a potencial substituição de medicamentos prescritos por canábis atraiu atenção no contexto das leis de canábis medicinal, mas pouco se sabia sobre a associação entre as leis de canábis recreativa e o uso de medicamentos prescritos. Com as evidências recentes a apoiar a substituição de medicamentos por canábis, após a legalização medicinal, os autores questionaram-se que efeito a legalização recreativa poderia ter nesses resultados.

“Usámos dados trimestrais para todas as prescrições do Medicaid, de 2011 a 2019, para investigar o efeito da legalização recreativa a nível estatal na utilização de medicamentos prescritos. Estimamos esse efeito com uma série de modelos de estudo de eventos de efeitos fixos bidireccionais. Encontrámos reduções significativas no volume de prescrições dentro das classes de medicamentos que se alinham com as indicações médicas para dor, depressão, ansiedade, sono, psicose e convulsões. Os nossos resultados sugerem a substituição de medicamentos prescritos pela canábis e uma potencial economia de custos para os programas estaduais do Medicaid”, referem os autores no estudo.

De acordo com Raman e Bradford, estes resultados têm implicações importantes na redução da utilização de medicamentos. “Fornecem informações sobre potenciais economias de custos para os programas estatais do Medicaid. Os resultados também indicam uma potencial oportunidade de redução de danos, pois os medicamentos farmacêuticos geralmente apresentam efeitos colaterais perigosos ou – como os opióides – potencial para uso indevido”.

Pode ler o estudo completo aqui.
Health Economics - 2022 - Raman - Recreational cannabis legalizations associated with reductions in prescription drug

 

Publicidade


Veja o Documentário "Pacientes"

Documentário Pacientes Laura Ramos Ajude-nos a crescer

Mais recentes

Internacional2 dias atrás

Alemanha: Bundestag votou hoje a favor da legalização da canábis, mas ainda é necessária a aprovação do Conselho Federal

O Bundestag debateu e votou esta tarde o projecto da legalização do uso pessoal de canábis no país, com 407...

Internacional3 dias atrás

Alemanha: Legalização vai ser discutida esta sexta-feira, dia 23

O Bundestag da Alemanha vai finalmente deliberar sobre a legalização da canábis para consumo pessoal no país. O debate, que tem sido...

Cânhamo5 dias atrás

Cultivo de Cânhamo nos Açores vai ter sessão de esclarecimento na Ilha Terceira

A Confraria Internacional Cannabis Portugal e a CannAzores unem esforços para promover uma Sessão de Esclarecimento sobre o Cultivo de...

Saúde1 semana atrás

CBD e CBC mostram resultados promissores no carcinoma espinocelular de cabeça e pescoço

Um estudo publicado na revista Cancers descobriu que os extractos de canábis ricos em CBD (canabidiol) podem matar células cancerosas da...

Internacional1 semana atrás

Ucrânia: Zelensky assina projecto de lei para legalizar a canábis medicinal

O presidente ucraniano Volodymyr Zelensky assinou um projecto de lei que legaliza a canábis medicinal na Ucrânia, prevendo-se que os...

Nacional2 semanas atrás

Portugal: Associação Mães pela Canábis publica e-book sobre canábis medicinal

A Associação de Mães pela Canábis (AMC) anunciou o lançamento de um e-book intitulado “Fronteiras da Cannabis: CIÊNCIA, TERAPÊUTICA &...

Corporações3 semanas atrás

Akanda assina carta de intenção para vender RPK Biopharma à Somaí. “Será uma das poucas empresas verticais de canábis da UE”, diz Michael Sassano

A Akanda Corporation, uma empresa internacional de canábis medicinal cotada na Nasdaq (AKAN) e que detém a empresa portuguesa Holigen, anunciou...

Cânhamo3 semanas atrás

Portugal: DGAV admite que o CBD é a sua “grande dor de cabeça” e produtores reclamam utilização da planta inteira

A conferência “Cânhamo Industrial – o (Re)nascer da Fileira em Portugal” promovida pela Cânhamor e pela Consulai, que decorreu dia...

Internacional4 semanas atrás

Pensionista espanhol contorna segurança do aeroporto de Lisboa com 21 kg de canábis

Um pensionista espanhol de 63 anos foi detido em Malta, depois de aterrar no aeroporto num voo proveniente de Lisboa,...

Cânhamo4 semanas atrás

Portugal: O futuro do cânhamo industrial discute-se amanhã em Beja

  O auditório EDIA, em Beja, vai receber amanhã, dia 30 de Janeiro, a partir das 14 horas, uma ronda...