Connect with us

Internacional

Legalização da canábis recreativa associada a redução na prescrição de medicamentos

Publicado

em

Ouvir este artigo
Foto: D.R.

Um estudo norte-americano publicado na revista Wiley – Health Economics revela que os pacientes do programa de saúde “Medicaid” reduziram a utilização de medicamentos prescritos após a legalização do uso adulto de canábis, nomeadamente a medicação para a dor, depressão, ansiedade, sono, psicose e convulsões. Os autores salientam que estes resultados têm implicações importantes, não só ao nível de uma economia de custos para os estados, mas também como uma oportunidade de redução de danos.

O estudo, realizado pela Universidade Cornell, em Ithaca, no estado de Nova York, em parceria com a Universidade de Indiana, incluiu uma amostra de todos os 50 estados norte-americanos, de 2011 a 2019, e foi observada a cada trimestre de cada ano.

Segundo os autores, Shyam Raman 1  e Ashley Bradford 2 , a potencial substituição de medicamentos prescritos por canábis atraiu atenção no contexto das leis de canábis medicinal, mas pouco se sabia sobre a associação entre as leis de canábis recreativa e o uso de medicamentos prescritos. Com as evidências recentes a apoiar a substituição de medicamentos por canábis, após a legalização medicinal, os autores questionaram-se que efeito a legalização recreativa poderia ter nesses resultados.

“Usámos dados trimestrais para todas as prescrições do Medicaid, de 2011 a 2019, para investigar o efeito da legalização recreativa a nível estatal na utilização de medicamentos prescritos. Estimamos esse efeito com uma série de modelos de estudo de eventos de efeitos fixos bidireccionais. Encontrámos reduções significativas no volume de prescrições dentro das classes de medicamentos que se alinham com as indicações médicas para dor, depressão, ansiedade, sono, psicose e convulsões. Os nossos resultados sugerem a substituição de medicamentos prescritos pela canábis e uma potencial economia de custos para os programas estaduais do Medicaid”, referem os autores no estudo.

De acordo com Raman e Bradford, estes resultados têm implicações importantes na redução da utilização de medicamentos. “Fornecem informações sobre potenciais economias de custos para os programas estatais do Medicaid. Os resultados também indicam uma potencial oportunidade de redução de danos, pois os medicamentos farmacêuticos geralmente apresentam efeitos colaterais perigosos ou – como os opióides – potencial para uso indevido”.

Pode ler o estudo completo aqui.
Health Economics - 2022 - Raman - Recreational cannabis legalizations associated with reductions in prescription drug

 

 

____________________________________________________________________________________________________

[Aviso: Por favor, tenha em atenção que este texto foi originalmente escrito em Português e é traduzido para inglês e outros idiomas através de um tradutor automático. Algumas palavras podem diferir do original e podem verificar-se gralhas ou erros noutras línguas.]

____________________________________________________________________________________________________

O que fazes com 3€ por mês? Torna-te um dos nossos Patronos! Se acreditas que o Jornalismo independente sobre canábis é necessário, subscreve um dos níveis da nossa conta no Patreon e terás acesso a brindes únicos e conteúdos exclusivos. Se formos muitos, com pouco fazemos a diferença!

+ posts
Clique aqui para comentar
Subscribe
Notify of

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Publicidade


Veja o Documentário "Pacientes"

Documentário Pacientes Laura Ramos Ajude-nos a crescer

Mais recentes

Eventos15 horas atrás

Maren Krings, autora de “H is for Hemp” apresenta o seu documentário sobre a Ucrania hoje em Lisboa

Maren Krings, fotojornlista autro-alemã e autora do livro “H is for Hemp” está hoje em Lisboa para apresentar o seu...

Internacional3 dias atrás

EUA: Pediatra Bonni Goldstein lança petição contra a proibição de medicamentos de CBD natural na Califórnia

A pediatra norte-americana Bonni Goldstein está a alertar para a tentativa de proibição de medicamentos derivados de CBD natural na...

Internacional3 dias atrás

Europa tem quase 23 milhões de utilizadores de canábis, a mais consumida de todas as substâncias ilícitas

A canábis continua a ser, de longe, a substância ilícita mais consumida na Europa. Estas são as conclusões do “Relatório...

Eventos4 dias atrás

Mary Jane celebra a cultura da canábis legal pela primeira vez na Alemanha

É já no próximo fim-de-semana, de 14  16 de Junho, que se realiza a já habitual Mary Jane, na Messe...

Eventos1 semana atrás

CB Club reúne profissionais da canábis antecipando a Mary Jane, em Berlim

A antecipar a CB Expo (Cannabis Business Expo and Conference), que acontecerá em Dortmund, em Setembro, a CB Company vai...

Reportagem1 semana atrás

África do Sul: a legalização de uma indústria que já prospera

Nas semanas que antecederam as eleições para Assembleia Geral na África do Sul, na passada quarta-feira, 29 de Maio, havia...

Entrevistas1 semana atrás

Rui Reininho: “Eu acho esquisitíssimo andarem os meus colegas da GNR a meter o nariz nas propriedades das pessoas a ver o que é que esta planta faz”

Rui Reininho, músico português que ficou famoso enquanto vocalista dos GNR, dispensa apresentações. Ao contrário do que muitos pensam, não fundou...

Notícias2 semanas atrás

Canadá: Estudo demonstra que utilização de canábis reduz consumo de metanfetaminas

Os utilizadores de poli-drogas, indivíduos que consomem várias substâncias, recorrem frequentemente à canábis como forma de reduzir o seu consumo...

Eventos4 semanas atrás

CannaTrade regressa a Zurique de 24 a 26 de Maio

A CannaTrade – Feira e Festival Internacional do Cânhamo de Zurique atinge em 2024 a maioridade, celebrando a sua 18ª...

Comunicados de Imprensa4 semanas atrás

Grupo SOMAÍ e a sua subsidiária RPK Biopharma ampliam parceria com Cookies para incluir Europa e Reino Unido

LISBOA, PORTUGAL, 16 de maio de 2024 /EINPresswire.com/ — O Grupo SOMAÍ (“SOMAÍ”) e a sua subsidiária, RPK Biopharma expandiram...