Connect with us

Eventos

Cannabis Europa: “Estamos num mercado em baixa, mas a canábis europeia é um touro”

Publicado

em

Ouvir este artigo
Foto: Laura Ramos | Cannareporter

Artigo original publicado por Ben Stevens na BusinessCann

A CANNABIS Europa abriu as suas portas a mais de 1.200 delegados de mais de 30 países, esta terça-feira, em Old Billingsgate, Londres, reunindo as principais vozes da canábis europeia para o primeiro de dois dias de inspiração e debates. O CEO e co-fundador da Prohibition Partners, Stephen Murphy, dirigiu-se a uma sala de conferências lotada, dando as boas-vindas a um público cada vez mais diversificado e com crescente interesse pela canábis europeia.

Dando o tom para os eventos do dia, Murphy disse que, num clima económico e político em que “todos precisamos de razões para ser optimistas”, acredita que “a indústria europeia de canábis nos dá essa esperança de que as coisas estão e podem melhorar”.

Apontando para os recentes desenvolvimentos em Espanha, que na semana passada praticamente confirmou os planos para legalizar a canábis medicinal, juntamente com os planos em evolução da Alemanha, Suíça, Portugal e Dinamarca para um mercado recreativo, Murphy disse acreditar que este é ‘o nosso curso para mudar a política de drogas na Europa e direito internacional para sempre’.

Em meio a pedidos de optimismo, ele reconheceu que ainda havia trabalho a ser feito para permitir que a indústria da canábis atingisse o seu potencial e que sabia “em primeira mão que o dinheiro está apertado agora”.

“Estamos num mercado em baixa, economicamente, mas a canábis europeia é um touro e está apenas a começar. A Europa ainda está em escala significativa, as avaliações ainda são muito atraentes para os investidores internacionais. Portanto, mantenha-se comprometido e mantenha o foco. É impossível ter sucesso sozinho.”

Destaque na Alemanha

Duas sessões sucessivas focadas nos desenvolvimentos em rápida evolução na Alemanha seguiram logo depois, incluindo uma entrevista com Kristine Lütke MdB, membro do Partido Democrático Livre e do Bundestag alemão. Lütke, que actualmente participa em audiências de especialistas com o Ministério da Saúde na Alemanha para determinar o futuro do mercado legal, começou assegurando ao público, através videoconferência, que ela estava “bastante optimista de que legalizaremos a canábis dentro deste período legislativo’, caso um projecto de lei seja apresentado até o final do ano.

Deixando de lado as preocupações em torno da pandemia, da guerra na Ucrânia e da inflacção levantada pelo apresentador da sessão, o editor da Krautinvest, Moritz Förster, Lütke acrescentou que a coligação ainda está “disposta a cumprir as tarefas que nos demos”, incluindo a legalização da canábis para uso recreativo.

Apesar do optimismo em torno do ritmo das discussões, Lütke disse que a complexidade da questão e as várias autoridades envolvidas significam que é importante ‘não apressar demasiado as coisas’, acrescentando que ‘não ajuda ninguém se ficarmos sem fôlego no último metro’.

Embora Lütke se tenha recusado a entrar em detalhes sobre os meandros da legislação, já que as ‘audiências eram confidenciais’, disse que, aos seus olhos, o elemento mais crucial era garantir que a Alemanha pudesse ‘fornecer canábis legal suficiente para atender às necessidades do mercado e dos consumidores’, acrescentando que estava ‘a contar com as empresas privadas para abrir esse novo mercado’.

Pressionada sobre o que ela acredita ser o maior obstáculo para o lançamento do mercado, Lütke disse acreditar que “o maior problema ainda é a Convenção Única da ONU e o acordo de Schengen”.

Mas o seu optimismo não foi partilhado por todos os membros do painel de discussão que se seguiu, incluindo o sócio-gerente do Carlsquare Group, Arnold Holle, que disse duvidar que o governo pudesse atingir todos os seus objectivos até o final do período legislativo, estimando que um mercado legal surja apenas por volta de 2026 .

No entanto, acrescentou que acreditava que as empresas alemãs de canábis seriam “pelo menos tão fortes” quanto as suas congéneres americanas quando o mercado fosse lançado. Pedindo paciência, acrescentou que “um ano aqui ou ali não fará muita diferença”.

Os outros membros do painel, incluindo o co-fundador da AlephSana, Boris Moshkovits, sugeriram que a data seria mais próxima do final de 2023, argumentando que, se não fosse alcançada até o final deste período legislativo, poderia não acontecer.

A discussão voltou-se para a questão central da sessão, se a Alemanha deveria seguir uma estratégia de “Califórnia ou Cautela”, com todos os membros apontando para a necessidade de equilíbrio.

Finn Hänsel, fundador do Sanity Group, disse que nenhum lugar encontrou ainda o compromisso perfeito, acrescentando que ser muito restritivo impulsionará o mercado ilícito, mas ser negligente levará a um influxo insalubre de pessoas que usam canábis pela primeira vez.

Quando questionado se o preço proposto de 10 euros por grama permitiria que as empresas fossem lucrativas, Moshkovits disse acreditar que os clientes estariam dispostos, eventualmente, a pagar pela maior qualidade.

Ele explicou que acreditava que o mesmo nível de “sofisticação que entrou na Califórnia” acabaria surgindo na Alemanha, com Holle a concordar que a diferença de preço entre o mercado legal e o ilícito acabará por ser justificada pelo produto final.

Para que o mercado tenha sucesso, Hänsel argumentou que obter canábis legal tinha que ser tão conveniente quanto um ‘traficante que entregaria à sua porta em 10 minutos’, e que ‘se não conseguirmos isso, a lei falhou ‘.

Um mercado global

As sessões seguintes focaram-se na possibilidade de um mercado global de canábis e em como a regulamentação global unificada da canábis poderia ser. Chris Murray, diretor da Fox North, argumentou que o recém-lançado Hodges Review poderá fornecer algumas orientações sobre como uma estrutura regulatória global pode ser explorada.

Mais tarde, durante uma sessão com foco nas cadeias de fornecimento globais, o CEO da Cannavigia, Luc Richner, sugeriu que apenas quando “temos um sistema global harmonizado” podemos efectivamente acabar com o mercado ilícito global. O director de estratégia da Metrc, Lewis Koski, acrescentou que esses regulamentos globais e “melhores práticas” poderão ser estabelecidos na Europa, e não nos EUA, graças ao seu forte mercado médico.

Ele acrescentou que outras indústrias podem aprender com a indústria da canábis, que foi um dos poucos mercados em que as cadeias de fornecimento conseguiram resistir à tempestade da pandemia.

No final do dia, a discussão voltou-se para o momento, especificamente o “momento certo” para as empresas entrarem na Europa. O co-fundador da Artemis Growth Partners, William Muecke, disse que, embora os “pioneiros” geralmente tenham uma vantagem no mercado, eles também podem ser os primeiros a falhar. “Você pode fazer tudo certo e, se o mercado não estiver lá quando você estiver pronto, você ficará sentado à espera. Você tem algumas vantagens se escolher os passos certos desde o início, mas não é a panaceia ser cedo. É uma óptima notícia para a Europa agora, não é tarde demais. Se é um empreendedor, se é um investidor, não é tarde demais para o mercado”, concluiu.

 

____________________________________________________________________________________________________

[Aviso: Por favor, tenha em atenção que este texto foi originalmente escrito em Português e é traduzido para inglês e outros idiomas através de um tradutor automático. Algumas palavras podem diferir do original e podem verificar-se gralhas ou erros noutras línguas.]

____________________________________________________________________________________________________

O que fazes com 3€ por mês? Torna-te um dos nossos Patronos! Se acreditas que o Jornalismo independente sobre canábis é necessário, subscreve um dos níveis da nossa conta no Patreon e terás acesso a brindes únicos e conteúdos exclusivos. Se formos muitos, com pouco fazemos a diferença!

Clique aqui para comentar
Subscribe
Notify of

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Publicidade


Veja o Documentário "Pacientes"

Documentário Pacientes Laura Ramos Ajude-nos a crescer

Mais recentes

Eventos4 dias atrás

ICBC Berlim volta a brilhar. É o início de uma nova era para a indústria da canábis na Alemanha

A ICBC Berlin foi a primeira grande conferência internacional sobre canábis a ocorrer após a legalização do uso adulto na...

Internacional4 dias atrás

EUA: Produtos de Mike Tyson recolhidos por contaminação de bolor

As autoridades da Califórnia emitiram um aviso de recolha obrigatória para dois produtos da marca de canábis de Mike Tyson,...

Eventos6 dias atrás

O 4:20 está a chegar e há celebrações no Porto e em Lisboa

A data da celebração da cultura da canábis está a chegar! Este sábado, 20 de Abril, é o dia em...

Internacional1 semana atrás

Paul Bergholts, alegado líder da Juicy Fields, detido na República Dominicana

Paul Bergholts, o alegado líder do esquema em pirâmide Juicy Fields, terá sido detido na República Dominicana e será submetido a...

Saúde2 semanas atrás

Canabinóides revelam resultados promissores no tratamento do Transtorno da Personalidade Borderline

Uma investigação levada a cabo pela Khiron LifeSciences e coordenada por Guillermo Moreno Sanz sugere que os medicamentos à base de...

Internacional2 semanas atrás

Caso Juicy Fields: 9 detidos pela Europol e Eurojustice. Burla ultrapassa 645 milhões de euros

Uma investigação conjunta conduzida por várias autoridades europeias, apoiadas pela Europol e pela Eurojust, culminou na detenção de nove suspeitos...

Internacional2 semanas atrás

Utilizadores regulares de canábis podem necessitar de mais anestesia durante procedimentos médicos

Os utilizadores regulares de canábis podem necessitar de mais anestesia durante os procedimentos médicos para permanecerem sedados, se comparados com...

Internacional2 semanas atrás

O futuro do CBD no Japão: Como as reformas legais irão moldar o mercado

No final do ano passado, o Japão deu um grande passo em direcção à reforma da canábis depois de aprovar...

Nacional2 semanas atrás

Portugal: GreenBe Pharma obtém certificação EuGMP nas instalações de Elvas

A GreenBe Pharma, uma empresa de canábis medicinal localizada em Elvas, Portugal, obteve a certificação EU-GMP, ao abrigo dos regulamentos...

Nacional3 semanas atrás

Álvaro Covões, da Everything is New, compra instalações da Clever Leaves no Alentejo por 1.4 milhões de euros

Álvaro Covões, fundador e CEO da agência promotora de espectáculos ‘Everything is New‘, que organiza um dos maiores festivais de...