Connect with us
Publicidade
Publicidade

Internacional

Brasil dá um passo atrás na regulamentação da canábis medicinal

Publicado

em

Foto: D.R. | Oregon Cannabis Connection

O Conselho Federal de Medicina do Brasil publicou esta semana uma nova normativa relativa à canábis medicinal, que proíbe aos médicos a prescrição de canábis in natura para uso medicinal, bem como quaisquer outros derivados que não o canabidiol (CBD). A Resolução 2324/2022, que aprova “o uso do canabidiol para o tratamento de epilepsias da criança e do adolescente refratárias às terapias convencionais na Síndrome de Dravet e Lennox-Gastaut e no Complexo de Esclerose Tuberosa” — as mesmas descritas na bula do Epidyolex — proíbe ainda os médicos brasileiros de prescrever CBD em quaisquer outras indicações terapêuticas e de ministrar palestras ou cursos sobre uso do CBD e/ou produtos derivados da canábis fora do ambiente científico.

A medida está a causar indignação um pouco por todo o Brasil, desde associações de pacientes, a advogados, juristas e profissionais de saúde, que a consideram “um retrocesso” na legislação. O documento, publicado a 11 de Outubro no Diário Oficial da União (DOU), “aprova o uso do canabidiol para o tratamento de epilepsias da criança e do adolescente refratárias às terapias convencionais na Síndrome de Dravet e Lennox-Gastaut e no Complexo de Esclerose Tuberosa”, exactamente as mesmas descritas na bula do Epidyolex, deixando de fora todas as outras patologias para as quais a canábis já estava a ser utilizada por milhares de pessoas no Brasil.

De acordo com a Resolução 2324/2022, é agora vedada ao médico “a prescrição de canabidiol para indicação terapêutica diversa da prevista nesta Resolução, salvo em estudos clínicos autorizados pelo Sistema CEP/CONEP”. Fica também proibida “a prescrição da cannabis in natura para uso medicinal, bem como quaisquer outros derivados que não o canabidiol”, o que invalida completamente a utilização medicinal de espectros completos da canábis e de outros canabinóides, como o THC, CBN ou CBG, entre outros.

Além disso, os médicos ficam ainda proibidos de “ministrar palestras e cursos sobre uso do canabidiol e/ou produtos derivados de Cannabis fora do ambiente científico, bem como fazer divulgação publicitária”, pode ler-se no documento.

A Resolução, assinada por José Hiran da Silva Gallo, Presidente do Conselho Federal de Medicina do Brasil, estabelece ainda que a norma “deverá ser revista no prazo de 3 (três) anos a partir da data de sua publicação, quando deverá ser avaliada a literatura científica”.

Resolução contradiz totalmente a realidade actual do Brasil
Há cerca de um ano, a ANVISA, a autoridade sanitária do Brasil, autorizou uma lista de 249 derivados da canábis para importação no Brasil, dos quais cinco contêm essencialmente THC e os restantes CBD. Além disso, nos últimos anos, os tribunais do Brasil emitiram centenas de Habeas Corpus, que permitiram a pacientes e associações cultivar canábis como única forma de acesso. Por outro lado, existem associações, como a Santa Cannabis, que estão a cultivar canábis para os seus pacientes e a ministrar cursos de cultivo e extracção na base da desobediência civil.

Fica por responder como é que a nova Resolução será implementada numa realidade que está em total contra-senso com a medida que se quer implementar.

O Cannareporter está a pedir reacções a vários intervenientes da sociedade civil no Brasil, como médicos, educadores e associações de pacientes, e irá actualizar esta informação à medida que for recebendo as reacções.

Publicidade
Publicidade cannadouro

Veja o Documentário "Pacientes"

Documentário Pacientes Laura Ramos Ajude-nos a crescer

Mais recentes

Nacional13 horas atrás

Portugal: Movimento Mães pela Canábis lança petição pelo direito ao cultivo pessoal e associativo

O Movimento Mães pela Canábis, fundado em Portugal em Maio de 2022 por centenas de pacientes que procuram aceder à canábis...

Comunicados de Imprensa6 dias atrás

GNR: 10 meses de investigação para apreender 32 doses de haxixe e 48 de cocaína

O Comando Territorial do Porto, através do Núcleo de Investigação Criminal (NIC) de Felgueiras, no dia 28 de novembro, deteve...

Entrevistas6 dias atrás

André Paquete Carvalho: “Amesterdão é muito aberta, mas ainda se vivem tempos de tolerância. A canábis aqui continua a ser ilegal”

As entrevistas “Trabalhar com Canábis”, publicadas na Cannadouro Magazine, procuram dar a conhecer portugueses que trabalham no sector da canábis...

Cânhamo2 semanas atrás

Canábis ou cânhamo? Estará Espanha a cometer os mesmos erros de Portugal?

A Guardia Civil anunciou recentemente a maior apreensão de canábis de sempre em Espanha, mas logo em seguida várias vozes vieram...

Nacional3 semanas atrás

Conta da Cannadouro desaparece do Instagram a 1 dia do evento

A conta de Instagram da CannaDouro terá sido apagada ou bloqueada pelo provedor da rede social. O acesso à página foi...

Cânhamo3 semanas atrás

As receitas da Pedrêz: Como fazer betão de cânhamo cofrado in situ

Em 2018, a oficina Pedrêz iniciou, na rua do Paraíso 331, no centro histórico do Porto, a construção do primeiro...

Eventos3 semanas atrás

Cannadouro regressa à Alfândega do Porto já no próximo fim-de-semana

Pouco depois de o Porto ter sido eleito pelos World Travel Awards como o melhor destino de cidade do mundo...

Internacional3 semanas atrás

Irlanda: People Before Profit quer alterar legislação para permitir o uso adulto de canábis

O partido político irlandês People Before Profit vai apresentar dentro de duas semanas um projecto de lei que pretende alterar a...

Internacional3 semanas atrás

EUA: Presidente do Instituto Nacional de Justiça Militar exige extensão do indulto por delitos de canábis a militares

A presidente do Instituto Nacional de Justiça Militar dos Estados Unidos da América (EUA) pediu ao presidente Joe Biden que...

Entrevistas3 semanas atrás

César Cardoso: “Construir em cânhamo é uma verdadeira alternativa verde”

Estimular a inovação na arquitectura moderna, recorrendo a materiais naturais ou reciclados, de baixo impacto ambiental, é  uma das prioridades...