Connect with us

Internacional

Afeganistão: Regime Talibã proíbe cultivo de canábis e cânhamo em todo o país

Publicado

em

Ouvir este artigo
Plantação de canábis no Afeganistão. Foto: David Gill (2011) - Afghanistan Analysts Network

Os Talibãs promulgaram recentemente uma lei que proíbe o cultivo de canábis e de cânhamo em todo o Afeganistão, de acordo com uma publicação do seu líder, Hibatullah Akhundzada, no Twitter. O novo decreto proíbe estritamente a plantação de plantas de canábis e qualquer violação desta ordem resultará na destruição completa da plantação e na imposição de uma punição, de acordo com a lei Sharia. O Afeganistão é um dos maiores produtores de canábis do mundo.

A declaração do líder talibã, partilhada no Twitter, enfatiza que o cultivo de canábis e cânhamo em todo o país são completamente proibidos e que qualquer pessoa que viole esta ordem será responsabilizada pelos seus actos. Além disso, os tribunais foram instruídos no sentido de imporem uma punição rigorosa àqueles que violarem esta lei.

Espera-se que a proibição do cultivo de canábis pelos Talibãs tenha um impacto enorme na economia do país e na subsistência da sua população, que vive essencialmente da agricultura e muitas do cultivo de canábis e cânhamo. O governo ainda não anunciou quaisquer culturas alternativas para os agricultores, deixando muitos deles incertos quanto ao seu futuro.

Burros carregam plantas de canábis colhidas em Baharak, Badakhshan. Foto: David Gill (2011), Afghanistan Analysts Network – AAN.

Afeganistão: um dos maiores produtores de canábis do mundo 
O Afeganistão é um dos maiores produtores de canábis do mundo e, de acordo com as Nações Unidas (ONU), tornou-se o principal produtor em 2010. O país tem uma longa história de produção de ópio, que é a matéria-prima para a produção de heroína, bem como de produção de canábis, com cultivos em grande escala em quase metade das suas províncias.

Um relatório de 2010 do Gabinete das Nações Unidas contra a Droga e o Crime (UNODC) declarou que entre 9.000 e 29.000 hectares de canábis eram cultivados todos os anos no Afeganistão, sendo o cultivo principal em 19 das 34 províncias do país. Acredita-se que o comércio ilegal de canábis tenha alimentado a militância no país, antes de os Talibãs tomarem posse em 2021. Antes de chegarem ao poder, os Talibãs tinham alegadamente lucrado com o comércio ilícito de ambas as substâncias, ao imporem impostos aos agricultores e contrabandistas, permitindo-lhes assim a passagem segura dos produtos. O comércio de ópio e canábis no Afeganistão teve também efeitos adversos em países vizinhos, tais como o Paquistão, onde grandes quantidades de drogas ilegais são contrabandeadas através da fronteira todos os anos.

Canábis: uma planta histórica no Afeganistão
De acordo com um relatório publicado pela Afghanistan Analysts Network – AAN, a planta da canábis é nativa da região da qual o Afeganistão faz parte. “Ao longo da história da humanidade, quase todas as partes da planta foram usadas – as fibras para fazer roupas, sementes ricas em óleo como alimento, folhas, flores e resina como remédios e, claro, como uma droga psicoactiva. O haxixe, feito de resina de canábis, é uma substância potente. A sua produção no Afeganistão expandiu-se para além dos mercados tradicionais do país apenas na segunda metade do século XX”.

Jelena Bjelica e Fabrizio Foschini, da AAN, reuniram a escassa literatura histórica e contemporânea, relatórios, estudos e outras fontes que contêm detalhes sobre a história cultural do cultivo de canábis e da produção de haxixe no Afeganistão e publicaram um relatório em duas partes: o cultivo e a produção e o consumo de haxixe.

Publicidade


Veja o Documentário "Pacientes"

Documentário Pacientes Laura Ramos Ajude-nos a crescer

Mais recentes

Internacional2 dias atrás

Alemanha: Bundestag votou hoje a favor da legalização da canábis, mas ainda é necessária a aprovação do Conselho Federal

O Bundestag debateu e votou esta tarde o projecto da legalização do uso pessoal de canábis no país, com 407...

Internacional3 dias atrás

Alemanha: Legalização vai ser discutida esta sexta-feira, dia 23

O Bundestag da Alemanha vai finalmente deliberar sobre a legalização da canábis para consumo pessoal no país. O debate, que tem sido...

Cânhamo5 dias atrás

Cultivo de Cânhamo nos Açores vai ter sessão de esclarecimento na Ilha Terceira

A Confraria Internacional Cannabis Portugal e a CannAzores unem esforços para promover uma Sessão de Esclarecimento sobre o Cultivo de...

Saúde1 semana atrás

CBD e CBC mostram resultados promissores no carcinoma espinocelular de cabeça e pescoço

Um estudo publicado na revista Cancers descobriu que os extractos de canábis ricos em CBD (canabidiol) podem matar células cancerosas da...

Internacional1 semana atrás

Ucrânia: Zelensky assina projecto de lei para legalizar a canábis medicinal

O presidente ucraniano Volodymyr Zelensky assinou um projecto de lei que legaliza a canábis medicinal na Ucrânia, prevendo-se que os...

Nacional2 semanas atrás

Portugal: Associação Mães pela Canábis publica e-book sobre canábis medicinal

A Associação de Mães pela Canábis (AMC) anunciou o lançamento de um e-book intitulado “Fronteiras da Cannabis: CIÊNCIA, TERAPÊUTICA &...

Corporações3 semanas atrás

Akanda assina carta de intenção para vender RPK Biopharma à Somaí. “Será uma das poucas empresas verticais de canábis da UE”, diz Michael Sassano

A Akanda Corporation, uma empresa internacional de canábis medicinal cotada na Nasdaq (AKAN) e que detém a empresa portuguesa Holigen, anunciou...

Cânhamo3 semanas atrás

Portugal: DGAV admite que o CBD é a sua “grande dor de cabeça” e produtores reclamam utilização da planta inteira

A conferência “Cânhamo Industrial – o (Re)nascer da Fileira em Portugal” promovida pela Cânhamor e pela Consulai, que decorreu dia...

Internacional4 semanas atrás

Pensionista espanhol contorna segurança do aeroporto de Lisboa com 21 kg de canábis

Um pensionista espanhol de 63 anos foi detido em Malta, depois de aterrar no aeroporto num voo proveniente de Lisboa,...

Cânhamo4 semanas atrás

Portugal: O futuro do cânhamo industrial discute-se amanhã em Beja

  O auditório EDIA, em Beja, vai receber amanhã, dia 30 de Janeiro, a partir das 14 horas, uma ronda...