Connect with us

Nacional

Portugal: Iniciativa Liberal submete projecto de lei na Assembleia da República para legalizar o uso adulto de canábis

Publicado

em

Ouvir este artigo
Carlos Guimarães Pinto, deputado da Iniciativa Liberal, na Assembleia da República de Portugal. | Foto: D.R.

Os deputados do partido político Iniciativa Liberal assinalaram o dia 20 de Abril (4:20) de 2023 com a submissão de um projecto de lei na Assembleia da República que propõe a legalização da canábis para fins recreativos em Portugal. O documento propõe a criação de “um mercado livre, aberto e concorrencial de bens e serviços baseados na canábis não-medicinal” e prevê a possibilidade de auto-cultivo. No entanto, a calendarização do Plenário não prevê a discussão deste diploma antes de Junho. O Bloco de Esquerda já tinha avançado ao Cannareporter que o seu projecto de lei deveria ser submetido ao Parlamento em Setembro.

“Uma questão de Liberdade pessoal”. Assim começa o projecto de lei que a IL submeteu hoje no Parlamento Português e que promete trazer a canábis de volta à Assembleia da República, dando o pontapé de saída para a legalização e antecipando-se ao Bloco de Esquerda. O projecto de lei traz para discussão a legalização do cultivo, transformação, distribuição, comercialização, aquisição e posse para consumo pessoal, sem prescrição médica, da planta, substâncias e preparações de canábis.

O projecto de Lei 735/XV/1 deu entrada hoje, 20 de Abril no Parlamento, assinalando a data internacional de celebração da cultura da canábis. Assume como objectivo criar um mercado livre, aberto e concorrencial, de bens e serviços baseados na canábis não-medicinal. A proposta remete as autorizações para a Direção Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV), nas actividades de cultivo, fabrico, comércio por grosso, importação e exportação. No caso do comércio por grosso está sujeito a autorização da Direção Geral das Actividades Económicas e comunicação obrigatória ao Infarmed I.P.. No caso do cultivo para fins pessoais, a proposta não contempla qualquer tipo de registo ou autorização.

Na proposta da IL, os comerciantes serão livres de desenvolver e comercializar quaisquer produtos, nomeadamente através de canábis nas suas formas botânicas e derivados directos, mistura de canábis com tabaco ou outras substâncias fumáveis, incluindo fumo eletrónico, recombinação de canábis na forma de bebidas, incluindo bebidas cafeínadas ou alcoólicas, recombinação de canábis na forma de comestíveis e ainda produtos contendo ingredientes ou aditivos que visem alterar o carácter do produto, nomeadamente os aromas, os sabores, a estética ou o perfil de efeitos psicotrópicos.

Porém, o diploma propõe igualmente a possibilidade de limitar a potência através da fixação de limites de THC nos produtos a comercializar, ao mesmo tempo que cria semelhantes condições de exclusão à venda a menores de 18 anos, portadores de anomalia psíquica ou que estejam visivelmente intoxicados.

Auto-cultivo: restrito a sementes autorizadas

O projecto de lei da IL, apesar de permitir o cultivo para uso pessoal, inclui algumas disposições relativamente aos limites quantitativos nas habitações. Igualmente, restringe a utilização livre de sementes por parte dos consumidores, preferindo a utilização de sementes autorizadas.

Desta forma, aqueles que tenham como objectivo proceder ao auto-cultivo, estarão limitados pelas sementes autorizadas e devem adquiri-las em estabelecimentos licenciados para o efeito. O projecto de lei é ainda pouco claro relativamente ao exercício das actividades de comercialização de sementes e ao próprio breeding (criação de cultivares por cruzamentos).

É igualmente proibida a venda ou qualquer uso comercial do produto obtido pelo auto-cultivo e o governo poderá vir a limitar a concentração de THC das sementes para cultivo pessoal, através de portaria, o que, apesar de dificilmente exequível, fecha por completo o caminho à troca de sementes entre cultivadores e ao desenvolvimento de genéticas próprias e adaptadas a cada espaço geográfico.

Por outro lado, o diploma propõe o aumento dos valores máximos previstos para a posse, permitindo igualmente a venda online. É proposta uma rotulagem para as embalagens de produtos de canábis que contenha informação sobre os componentes e ingredientes presentes no respetivo produto, incluindo proveniência, as respectivas quantidades e concentrações, a concentração de THC e CBD e os efeitos esperados do consumo do produto. Deverá também dar a conhecer as advertências e informações sobre as potenciais consequências para a saúde, incluindo contactos úteis para assistência médica.

No calendário da Assembleia da República ainda não está prevista a discussão em plenário deste diploma, desconhecendo-se se algum outro grupo parlamentar irá avançar com propostas sobre esta matéria. O projecto de lei era já esperado, depois das declarações à porta de São Bento, aquando da Marcha pela Canábis, quando o deputado Rodrigo Saraiva afirmou que poderia ser em 2023 que a canábis voltava ao parlamento.

Agora, as propostas estão de volta e a discussão poderá acontecer já em Junho.

Leia o projecto de lei da IL na ligação abaixo:

f832f512-d7d4-4737-b119-db869a58afd2

1 Comment
Subscribe
Notify of
1 Comentário
Inline Feedbacks
View all comments
Marcello
8 meses atrás

Era hora que que alguien propusiera la equiparación legal de las bebidas alcohólicas con la cannabis. En tiendas y supermercado y no solamente en establecimientos dedicados únicamente para eso. Basta con pedir el mínimo y no obtener nada. Esta superstición de que la marijuana es más mortifera que el alcohol tiene que terminar ya que a frente de 300000 muertos por año debido al alcohol en toda la Unión Europea tenemos cero casos de cannabis. El prohibicionista de la marijuana es generalmente un pobre ignorante o una persona en mala fe.

Publicidade


Veja o Documentário "Pacientes"

Documentário Pacientes Laura Ramos Ajude-nos a crescer

Mais recentes

Internacional12 horas atrás

Conselho de Pacientes do IACM participa pela primeira vez na Comissão de Estupefacientes da ONU

O Conselho de Pacientes da IACM — International Association for Cannabinoid Medicines — vai marcar presença, pela primeira vez, na próxima...

Opinião1 dia atrás

O principal erro da legalização na Alemanha

A primavera alemã vai chegar com novas flores. A Alemanha é o terceiro país da União Europeia a legalizar totalmente a...

Eventos2 dias atrás

Spannabis volta a acolher ICBC Barcelona de 14 a 17 de Março

A International Cannabis Business Conference (ICBC) vai abrir mais uma edição da Spannabis, no próximo dia 14 de Março, com o intuito...

Comunicados de Imprensa3 dias atrás

Porto, Matosinhos, Valongo e Paredes – Oito detidos por tráfico e apreendidas mais de 8000 doses de estupefacientes

O Comando Territorial do Porto, através do Núcleo de Investigação Criminal (NIC) de Santo Tirso, entre os dias 20 e...

Nacional4 dias atrás

Portugal: GNR apreende 3 toneladas de haxixe no Rio Guadiana

A Unidade de Controlo Costeiro e de Fronteiras (UCCF) da Guarda Nacional Republicana (GNR) apreendeu na passada sexta-feira, dia 23...

Eventos4 dias atrás

Spannabis 2024: Barcelona acolhe a 20ª edição da maior exposição de canábis do mundo, de 15 a 17 de Março

Barcelona prepara-se para acolher a 20.ª edição da Spannabis, a maior feira de canábis do mundo, nos próximos dias 15,...

Internacional1 semana atrás

Alemanha: Bundestag votou hoje a favor da legalização da canábis, mas ainda é necessária a aprovação do Conselho Federal

O Bundestag debateu e votou esta tarde o projecto da legalização do uso pessoal de canábis no país, com 407...

Internacional1 semana atrás

Alemanha: Legalização vai ser discutida esta sexta-feira, dia 23

O Bundestag da Alemanha vai finalmente deliberar sobre a legalização da canábis para consumo pessoal no país. O debate, que tem sido...

Cânhamo1 semana atrás

Cultivo de Cânhamo nos Açores vai ter sessão de esclarecimento na Ilha Terceira

A Confraria Internacional Cannabis Portugal e a CannAzores unem esforços para promover uma Sessão de Esclarecimento sobre o Cultivo de...

Saúde2 semanas atrás

CBD e CBC mostram resultados promissores no carcinoma espinocelular de cabeça e pescoço

Um estudo publicado na revista Cancers descobriu que os extractos de canábis ricos em CBD (canabidiol) podem matar células cancerosas da...