Connect with us

Saúde

Estudo in vitro demonstra como o THC e seus derivados poderão ajudar a evitar doenças como o cancro, inflamação, ou fibrose pulmonar

Publicado

em

A ligação do canabinóide THC com a enzima da autotaxina. Creditos: Mathias Eymery/EMBL, Isabel Romero Calvo/EMBL

Um estudo do Laboratório Europeu de Biologia Molecular, publicado na Life Science Alliance demonstrou, através de ensaios in vitro, que o THC, bem como o seu derivado 9(R)-Δ6a,10a-THC (6a10aTHC) e também o seu precursor Ácido Tetrahidrocanabinólico (THCA), podem inibir a actividade catalítica de uma enzima essencial para o ser humano. Trata-se da autotaxina (ATX), que desempenha um papel importante no desenvolvimento do cancro, inflamação, glaucoma ou fibrose pulmonar.

A equipa de investigação do Laboratório Europeu de Biologia Molecular (EMBL) foi também capaz de, durante as suas investigações, determinar a estrutura tridimensional do THC quando ligado à autotaxina, através da utilização de dados cristalográficos.

A autotaxina é uma enzima que desempenha um papel importante de várias funções celulares importantes no organismo humano, especialmente a produção da molécula chamada ácido lisofosfatídico (LPA), que estimula a proliferação das células. Uma desregulação na produção de LPA pode dar origem ao desenvolvimento de cancros, inflamações ou fibrose pulmonar.

À luz destas novas descobertas por parte da equipa da EMBL, que constituem a base molecular para explicar como o THC interage com a autotaxina, os investigadores sugerem que o THC pode em breve tornar-se um candidato muito atractivo para o desenvolvimento de medicamentos ligados as patologias provocadas pela desregulação na produção de LPA pelo organismo.

O que é a autotaxina?

Trata-se de uma enzima que é responsável, principalmente, pela produção de ácido lisofostatídico no sangue. A ligação entre a autotaxina e o ácido lisofostatídico foi já documentada por estar ligada e ser responsável por inúmeros processos fisiológicos e patológicos, incluindo o desenvolvimento vascular e neurológico, dor neuropática, assim como outras doenças de imunodeficiência, tais como o cancro e a esclerose múltipla.

“A autotaxina é uma enzima essencial no ser humano”, declarou Mathias Eymery, estudante de doutoramento na equipa McCarthy e primeiro autor da publicação. “É responsável pela produção de LPA, uma importante molécula sinalizadora lipídica derivada de membranas mediadora de muitas funções celulares diferentes. Sabe-se que as desregulações da produção de LPA por autotaxina têm um papel no desenvolvimento do cancro, inflamação, ou fibrose pulmonar”.

O sistema endocanabinóide (SEC) é outro sistema que serve de sinalização importante no organismo humano, tendo ele receptores espalhados pelo sistema nervoso, quer central quer periférico, e como é explicado pelos investigadores no seu estudo, o SEC mais amplo sobrepõe-se a outras vias de sinalização, incluindo o LPA e os seus receptores.

O SEC, como todos sabemos, é influenciado pelo uso da canábis, que introduz canabinóides exógenos (externos ao organismo) como o THC, CBD, CBG e todos os outros fitocanabinóides da canábis, no corpo humano. Dada a existência dessa sobreposição do SEC e as vias de sinalização do LPA, os investigadores propuseram-se assim a testar se os compostos canabinóides poderiam também afectar a sinalização do LPA.

A função da autotaxina pode ser inibida pela ligação com o THC

Através da validação das análises bioquímicas, a equipa de investigadores da EMBL avaliou a actividade de duas isoformas da autotaxina: a autotaxina-beta (ATX-β) e a autotaxina-gama (ATX-γ), contra uma variedade diversificada de canabinóides, tais como o THC, THCA, 6a10aTHC (conhecido também como delta-3 THC), o CBD, e o 5-DMH-CBD (um derivado sintético do CBD) bem como os endocanabinóide anandamida (AEA) e 2-arachidonoylglycerol (2-AG), e o canabinóide sintético JWH018.

O THC e o seu derivado 6ª10aTHC, mostraram sinais de forte inibição da catálise de cada um dos isofórmios da autotaxina durante os ensaios. O THCA também mostrou sinais de inibição, mas de uma forma menos significativa que os outros dois. O canabinóide sintético, JWH018 e os dois endocanabinóides, anandamida e 2-AG, não tiveram quaisquer efeitos sobre a actividade catalítica da autotaxina. O CBD apenas afectou fracamente a isoforma ATX-β e o 5-DMH-CBD aumentou a inibição da autotaxina, quando comparado com o CBD.

A equipa de investigadores procurou também pesquisar a interface de ligação do THC com a autotaxina. Utilizando dados cristalográficos, foi-lhes possível construir um modelo 3D das interfaces de ligação entre ambos, confirmando assim que tanto o THC como o 6a10aTHC têm um bom ajuste contra o sítio activo da autotaxina.

Os inibidores de autotaxina podem ajudar a combater patologias como o glaucoma e a fibrose pulmonar

Apesar das descobertas feitas, a equipa de investigadores teve o cuidado de salientar que apesar de apontarem para uma forte inibição da catálise da autotaxina pelo THC e canabinóides semelhantes em ambiente in vitro, é ainda necessário proceder a mais investigações e estudos para se confirmar se os mesmo resultados se aplicam in vivo, aquando do consumo de canábis.

No entanto, aponta que o LPA já é sabido que esteja presente na saliva humana e que a expressão da autotaxina foi também já detectada nos tecidos das glândulas salivares. E uma vez que a canábis é maioritariamente consumida sobre a sua forma fumada, alegam que o fumo da canábis certamente entrará em contacto com a saliva, e dessa forma, teria certamente a possibilidade de afectar a sinalização da ATX-LPA in vivo.

Segundo a equipa de investigadores, estudar se o THC pode inibir a autotaxina in vivo é relevante, uma vez que os inibidores de autotaxina já são objecto de ensaios clínicos e de avançados esforços no que toca à sua investigação. O estudo desta relação entre a canábis e a autotaxina poderá também ajudar a comunidade cientifica e médica a compreender melhor os mecanismo por detrás dos efeitos do uso da canábis para fins medicinais e terapêuticos.

Um dos exemplos, é o facto de recentemente ter sido descoberto que os pacientes que sofrem de glaucoma tendem a ter níveis de autotaxina e LPA elevados e que a pressão intra-ocular (PIO), a principal causa do glaucoma, pode ser reduzida em animais ao ser-lhes administrado um inibidor de autotaxina. Por outro lado, os investigadores da área da canábis observaram já que o THC parece reduzir a PIO em indivíduos saudáveis, mas o mecanismo por detrás de tal acontecimento não era muito claro.

“Os nossos dados podem explicar a base molecular do efeito terapêutico da canábis medicinal em doentes com glaucoma, uma vez que o THC pode reduzir a formação de LPA, inibindo a actividade enzimática da ATX”, escreveram os investigadores no seu estudo.

Vários inibidores da autotaxina estão actualmente a ser investigados como potencial forma terapêutica para a fibrose pulmonar idiopática. No entanto, o ensaio clínico de Fase III, intitulado ISABELA, e que se destinava ao estudo da mais avançada molécula que tem como alvo a autotaxina, a Ziritaxestat (Glpg1690) da Galápagos N.V,  foi recentemente descontinuado, devido ao “perfil de risco-benefício já não apoiar a continuação do estudo”. No entanto, existe já uma formulação de THC, o Dronabinol, aprovado pela Food and Drugs Administration (FDA), que é aceite por ter um perfil de efeitos secundários tolerável.

“Neste contexto, a nossa observação de que o THC é um inibidor parcial da ATX é de grande interesse, porque esta molécula é um medicamento aprovado pela FDA, o que poderia reduzir os níveis de LPA de forma incompleta”, acrescentam os investigadores. “Além disso, o facto de o THC poder atravessar a barreira hemato-encefálica torna-o um candidato atraente para tratar doenças neurológicas”, concluíram.

 

____________________________________________________________________________________________________

[Aviso: Por favor, tenha em atenção que este texto foi originalmente escrito em Português e é traduzido para inglês e outros idiomas através de um tradutor automático. Algumas palavras podem diferir do original e podem verificar-se gralhas ou erros noutras línguas.]

____________________________________________________________________________________________________

O que fazes com 3€ por mês? Torna-te um dos nossos Patronos! Se acreditas que o Jornalismo independente sobre canábis é necessário, subscreve um dos níveis da nossa conta no Patreon e terás acesso a brindes únicos e conteúdos exclusivos. Se formos muitos, com pouco fazemos a diferença!

Clique aqui para comentar
Subscribe
Notify of

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Publicidade


Veja o Documentário "Pacientes"

Documentário Pacientes Laura Ramos Ajude-nos a crescer

Mais recentes

Eventos23 horas atrás

ICBC Berlim volta a brilhar. É o início de uma nova era para a indústria da canábis na Alemanha

A ICBC Berlin foi a primeira grande conferência internacional sobre canábis a ocorrer após a legalização do uso adulto na...

Eventos3 dias atrás

O 4:20 está a chegar e há celebrações no Porto e em Lisboa

A data da celebração da cultura da canábis está a chegar! Este sábado, 20 de Abril, é o dia em...

Internacional6 dias atrás

Paul Bergholts, alegado líder da Juicy Fields, detido na República Dominicana

Paul Bergholts, o alegado líder do esquema em pirâmide Juicy Fields, terá sido detido na República Dominicana e será submetido a...

Saúde1 semana atrás

Canabinóides revelam resultados promissores no tratamento do Transtorno da Personalidade Borderline

Uma investigação levada a cabo pela Khiron LifeSciences e coordenada por Guillermo Moreno Sanz sugere que os medicamentos à base de...

Internacional1 semana atrás

Caso Juicy Fields: 9 detidos pela Europol e Eurojustice. Burla ultrapassa 645 milhões de euros

Uma investigação conjunta conduzida por várias autoridades europeias, apoiadas pela Europol e pela Eurojust, culminou na detenção de nove suspeitos...

Internacional2 semanas atrás

Utilizadores regulares de canábis podem necessitar de mais anestesia durante procedimentos médicos

Os utilizadores regulares de canábis podem necessitar de mais anestesia durante os procedimentos médicos para permanecerem sedados, se comparados com...

Internacional2 semanas atrás

O futuro do CBD no Japão: Como as reformas legais irão moldar o mercado

No final do ano passado, o Japão deu um grande passo em direcção à reforma da canábis depois de aprovar...

Nacional2 semanas atrás

Portugal: GreenBe Pharma obtém certificação EuGMP nas instalações de Elvas

A GreenBe Pharma, uma empresa de canábis medicinal localizada em Elvas, Portugal, obteve a certificação EU-GMP, ao abrigo dos regulamentos...

Nacional3 semanas atrás

Álvaro Covões, da Everything is New, compra instalações da Clever Leaves no Alentejo por 1.4 milhões de euros

Álvaro Covões, fundador e CEO da agência promotora de espectáculos ‘Everything is New‘, que organiza um dos maiores festivais de...

Eventos3 semanas atrás

ICBC regressa a Berlin a 16 e 17 de Abril

É uma das maiores e mais reconhecidas conferências de B2B sobre canábis da Europa e regressa a Berlim já nos...