Connect with us

Saúde

O que é uma ‘má trip’ de canábis, como a evitar e como sair dela

Publicado

em

Foto: D.R.

A canábis está frequentemente associada à agradável “moca” que pode proporcionar, na maioria das vezes com sensação de relaxamento, boa disposição ou vontade de rir à toa. No entanto, há alturas em que a experiência está longe de ser agradável. Então, o que se faz se as coisas correrem mal? Para responder a essa pergunta, vamos explicar as diferentes formas de consumo, que sintomas caracterizam uma experiência desagradável, como a prevenir e como terminar com uma ‘má trip’ de canábis. 

Com a presença do Cannareporter no Boom Festival, um evento onde a redução de danos sobre o consumo de substâncias tem um papel crucial, através do serviço de drug-checking da Kosmicare, torna-se pertinente alertar os nossos leitores, principalmente os mais jovens, para os efeitos adversos que podem decorrer da utilização de canábis.

Todos os amantes de canábis já experimentaram, pelo menos uma vez na vida, uma trip desagradável de canábis. A paranóia está no seu pior e queres tanto sair da trip, mas a mesma não vai parar durante as próximas horas. Estás basicamente no teu pior pesadelo e não consegues sair dele. Para um utilizador inexperiente, tal evento pode ser traumatizante. E na pior das hipóteses, pode levar a uma impressão errada do que pode ser a experiência do consumo de canábis, ou até mesmo a uma completa aversão à mesma. 

Mas não tem de ser assim. As más trips de canábis são tanto evitáveis como tratáveis. Neste artigo, pretendemos munir-te com o conhecimento para mitigar a situação da melhor forma possível e lidar com ela eficazmente, no caso de te acontecer uma má trip de canábis. 

O que pode causar uma má trip de canábis?

Uma experiência negativa com canábis pode ser o resultado de vários factores. Para te dar uma ideia de como os diferentes tipos de métodos de consumo, bem como o próprio ambiente podem afectar a tua experiência no consumo de canábis, vamos então aprofundar mais sobre o assunto. 

Consumo de edibles

Todos conhecem, sem dúvida, o lendário rapper Snoop Dogg, que depois de Cheech e Chong será possivelmente o maior nome ligado a canábis no que toca a personalidades famosas. Pois bem, para alguém que afirma consumir cerca de 81 blunts por dia, o famoso rapper tenta evitar ao máximo o consumo de edibles, pois segundo o próprio “os edibles não possuem nenhum botão de desligar”. Para alguém que, basicamente, passa grande parte do seu dia a fumar canábis, isto talvez seja algo a ter em consideração. 

Ao contrário de fumar, vaporizar, ou mandar umas bongadas, a ingestão de canábis faz com que a mesma passe pelo tracto gastrointestinal e fígado, antes de chegar à circulação sanguínea. Como resultado, não só o tempo para se sentirem os efeitos leva mais tempo, como os mesmos se irão prolongar muito mais, logo toda a experiência dos efeitos será bastante mais forte. Isto acontece porque o fígado converte o nosso amigo Delta-9-THC em 11-Hidroxi-THC, que é um análogo mais potente, capaz de levar o consumidor numa experiência mais intensa e que pode muitas das vezes ser mais aterradora, especialmente para consumidores menos experientes. 

Muitos utilizadores de canábis, tanto novatos como os que tenham mais experiência, acabam por cometer, com alguma frequência, um erro muito básico: ingerir demasiado num curto espaço de tempo, em vez de esperarem o tempo necessário para que os efeitos do edible comecem a fazer-se sentir. A todos recomendamos que nunca sejam demasiado zelosos no que toca a edibles, especialmente se forem “novatos” neste tipo de consumo. Por experiência própria, já vimos demasiados casos onde o consumo de edibles acabou numa experiência menos agradável. Assim, recomendamos começar com pouco e esperar pelo menos duas a três horas antes de comer mais.

Dabbing

Tal como o consumo de edibles, o dabbing está naturalmente preparado para proporcionar uma experiência bastante mais forte que a fumada. O dabbing é um método relativamente novo de consumo de canábis que envolve a vaporização de concentrados de canábis – substâncias contendo cerca de 50% a 90% de THC – e onde é utilizado um aparelho chamado dabbing rig, que acaba por ser uma espécie de bongo próprio para o efeito.  Isso é muito diferente das normais flores que contêm cerca de 30% de THC, no máximo.

Para que tenham mais ou menos uma ideia, a quantidade de THC presente num simples dab, ou seja, simplesmente uma inalação, será mais ou menos o equivalente ao consumo de um charro inteiro, numa mortalha tipo king size, de uma vez só, sem qualquer interrupção. 

Para quem nunca experimentou um dab, ou até mesmo para quem já tenha experimentado, preparam-se, porque o vosso sistema endocanabinóide será fortemente inundado de THC, que, por sua vez, poderá causar sensações um pouco mais desagradáveis, mesmo para os fumadores mais experientes. Também aqui, a dosagem desempenha um grande papel. 

Consumir variedades com elevados níveis de THC

Pergunta a qualquer utilizador de canábis da velha guarda sobre a potência e eles dir-te-ão que a canábis de hoje é muito mais forte que antigamente, o que é completamente verdadeiro. Nos anos 70, 80 e até mesmo nos anos 90, os níveis de THC não excediam 10% a 15%, ou, no máximo dos máximos, os 20% já na década de 90. Hoje em dia, há variedades que podem atingir os 25% a 30% de THC. Estas são as que podem incapacitar um utilizador menos experiente num instante. 

Embora, obviamente, o THC não seja a única substância que define a “moca” no consumo de canábis, acaba por ser a mais significativa; portanto, níveis mais elevados da substância são mais susceptíveis de causar uma experiência desagradável. 

Estado Mental

Tal como o álcool, a canábis pode amplificar os teus sentimentos e o estado de espírito que tens no momento do consumo. Se uma pessoa se sentir bem-disposta, toda essa positividade ecoará ao longo de toda a experiência. Por outro lado, caso se esteja num estado mental um pouco mais negativo, isso poderá despertar e amplificar emoções mais desafiantes. Se houver algo que te perturbe ou te faça sentir doente, emocional ou mentalmente, tudo isso virá à tona muito mais facilmente. Por isso, essa não será, certamente, a melhor altura para utilizar canábis.

Contexto Social

Semelhante ao estado mental, o contexto social também desempenha um papel no resultado da tua experiência com canábis. Se estiveres com um grupo de amigos íntimos em quem confias, com boa música e boas vibrações a toda a volta, provavelmente terás uma boa experiência. Da mesma forma, estar num ambiente caótico, com pessoas que não se conhece, pode desencadear emoções incómodas. Algumas pessoas sentem-se muito mais ansiosas quando isso acontece, enquanto outras perdem o sentido da realidade. E isso pode ser uma situação assustadora. 

Quais os sintomas de uma má trip de canábis?

Embora já tenhamos descrito alguns dos efeitos de forma mais ligeira, vamos agora examinar os vários sintomas e sensações que se podem experimentar durante uma má trip de canábis. Além da típica boca seca ou alguma dissociação espacial e temporal, que podem ser, até, frequentes, outros sintomas mais exacerbados podem surgir em alguns casos e em algumas pessoas. 

Paranóia

O consumo de canábis pode, por vezes, levar as pessoas a pensar demasiado. A mente e o corpo atingem maiores níveis de ansiedade, enquanto se tenta perceber se a pessoa ao teu lado, num local público, reparou ou não no teu estado alterado. Isto pode levar ao próximo sintoma, o pânico, que faz com que toda a experiência seja ainda mais angustiante. 

Ataques de pânico 

Os ataques de pânico são de facto uma experiência assustadora. Podem causar respiração irregular, o que resulta em falta de ar, muita ansiedade, aceleração cardíaca e até desmaios. Tudo isto ocorre enquanto cenários stressantes ou intrusivos se repetem, vezes sem conta, na tua cabeça. A canábis pode tanto aumentar como provocar estes sintomas em algumas pessoas. 

É por esta razão que muitas pessoas tentam esquecer completamente as suas experiências com canábis. Afinal de contas, quem quer estar num estado de ansiedade até a um ponto de terror, mesmo que seja apenas por alguns momentos? O pior é que uma má trip de canábis pode durar horas, dependendo do método de consumo, o que pode ser extremamente preocupante para aqueles que já estão em risco de entrar em pânico. 

Alucinações

Embora as alucinações relacionadas com a canábis sejam raras e não tenham nada a ver com as que são experienciadas no consumo de substâncias psicadélicas, elas podem ocorrer – especialmente com os edibles. Muitas vezes, aqueles que experimentam doses elevadas de THC nas primeiras vezes podem experienciar o que consideram ser alucinações auditivas e/ou visuais. Isto pode ser algo com que os consumidores menos experientes, em particular, podem vir a ficar bastante alarmados. 

Tonturas

Qualquer pessoa que tenha tido uma má trip de canábis está familiarizada com o feitiço vertiginoso que inicia. Parece que o mundo à sua volta está a girar mais depressa. Imagina estar num pesadelo de montanha-russa. Muitas tonturas acontecem a fumadores principiantes, que já ingeriram muito mais do que deveriam. Mas mesmo nos consumidores mais experientes, isto pode também acontecer como resultado de se dar um dab ou até mesmo uma bongada maior do que se consegue aguentar.

Mau estar físico e vómitos

As tonturas são uma das numerosas sensações físicas potencialmente angustiantes durante uma má trip de erva, mas também se pode suar intensamente, sentir desconforto no estômago, vomitar ou ter um ritmo cardíaco acelerado. Algumas pessoas também passam por episódios de tremores e dormência. 

Como recuperar/ultrapassar uma má trip de canábis?

Quanto tempo é que estas más experiências podem durar? Isso é algo que pode variar muito de pessoa para pessoa. Se o consumo tiver sido feito através do método mais tradicional, fumar, ou até mesmo vaporizar, essas sensações poderão durar entre 1 e 2 horas, mas caso tenha sido através do consumo de edibles, ou ingerido, esses efeitos poderão durar até 8 horas ou até mais, dependendo da dose. Dito isto, estes sintomas desagradáveis, por norma vão diminuindo de intensidade com o passar do tempo, podendo até mesmo desaparecer por completo antes mesmo da “moca” terminar.

O bom de uma má experiência de canábis é que não põe propriamente a vida em risco, pelo menos no que diz respeito à possibilidade de ocorrer uma overdose fatal. Muitas vezes, trata-se de se lembrar que está sob a influência de uma substância psicotrópica e de simplesmente fazer o seu melhor para relaxar e deixar que ela passe. No entanto, como muitas pessoas podem ainda não saber, deixamos aqui algumas dicas úteis para o caso de te encontrares numa situação menos prazerosa aquando do consumo de canábis. 

Tenta acalmar-te

Embora seja mais fácil falar do que fazer, a chave aqui é desviar a tua atenção para algo que seja mais tranquilizante, ou pelo menos que distraia da situação que te encontres. Uma boa maneira de o fazer é mudar o sítio onde estejas. Se possível, dá um pequeno passeio lá fora ou encontra um lugar sereno e relaxante para te sentares um pouco. Ficarás surpreendido com o que a simples alteração do local pode fazer pelo teu estado num caso de uma má trip de canábis. 

Mantém-te hidratado

Não só o beber água pode ajudar a aliviar a sensação de boca seca que a canábis tende a provocar, mas também contribuirá para que a “moca” seja menos catastrófica. Misturar álcool também é uma péssima ideia, pois só agravará os sintomas. Quando em dúvida, hidratar! 

Respira calma e profundamente

As pessoas que passam por episódios de paranóia esquecem-se frequentemente de respirar correctamente, que é o que as leva muitas vezes pelo caminho obscuro de pensamentos invasivos ou ansiosos, que acabam por se transformar num ataque de pânico. 

Se sentires que a canábis te está a fazer entrar em pânico, tenta imediatamente regular a tua respiração. Inspira profundamente e expira lentamente até te sentires mais calmo. Pode ser necessária alguma prática e insistência para desenvolver este hábito, mas uma vez que o faças, serás capaz de cortar o pânico induzido pela canábis, antes que este se instale a sério pelo teu corpo todo. 

Toma CBD

O canabidiol, ou CBD, é frequentemente usado como um estabilizador contra o THC quando tomado em doses mais elevadas. Este canabinóide não psicotrópico reduz o potencial psicotrópico do THC, ajudando a atenuar uma má experiência no consumo de canábis, especialmente quando grandes quantidades de THC estão envolvidas. O uso do CBD no consumo de canábis pode ser através  do simples facto de adicionar flores com maiores quantidades de CBD ou até mesmo como alternativa ao uso do tabaco por completo. Outra opção é o uso de edibles e/ou tomar óleos ricos em CBD. 

Ouve música que gostes 

Uma boa canção pode fazer muito pelo teu estado de espírito actual. E ouvir música de que não se gosta pode trazer à tona os piores sentimentos. Se achas que estás prestes a entrar numa má trip, tenta colocar algumas das tuas músicas favoritas que te deixem mais à vontade, bem-disposto e tranquilo. Ver um filme ou uma série cómica também é uma excelente opção. 

Come algo doce

Comer algo doce, seja bolos, doces ou fruta, vai aumentar o açúcar no sangue e desviar os sentidos, especialmente se for uma das tuas delícias e iguarias favoritas, é possível dar a volta a uma situação desagradável e voltares a sentir-te bem. Também há quem diga que o chocolate ou o limão contribuem para reduzir a ‘moca’. 

Como evitar uma má trip de canábis?

Como se costuma dizer, mais vale prevenir do que remediar, e com isso em mente, aqui ficam algumas formas de evitar uma má experiência no consumo de canábis. 

Consumir doses pequenas

Um dos primeiros conselhos que ouvirás ao experimentar canábis, ou até mesmo qualquer outro tipo de drogas, pela primeira vez, e independentemente do método de consumo escolhido, é o já velhinho “start low and go slow”. Ou seja, começar devagar e ir com calma. Pois tal como comer uma refeição, devemos comer com calma e não comer muito ou demasiado depressa, ou rapidamente te sentirás cheio.  

Se quiseres evitar uma má experiência no consumo de canábis, deves seguir a mesma ideologia e mandar um bafo de cada vez, no caso de o consumo ser feito nos métodos mais tradicionais de fumar e/ou vaporizar. No que toca a edibles, por exemplo, começar com porções mais pequenas e esperar pelo menos umas duas a três horas antes de repetir a dose, pois os efeitos só se fazem sentir depois de feita a digestão. 

Evita consumir canábis se te sentires em baixo

Como já referimos anteriormente, o teu estado mental e emocional pré-consumo afectará o resultado da tua experiência. Como tal, evita consumir se te sentires em baixo, irritável, ou simplesmente não muito bem, de uma forma geral. Não desperdices o teu stock com uma má experiência. Afinal de contas, o consumo de canábis tem maioritariamente a ver com gerar boas experiências e momentos e não o contrário. Por isso, consumir para correres o risco de te sentires pior não é algo aconselhável. 

Coloca-te num bom ambiente 

Quando falamos num bom ambiente, referimo-nos a um local confortável, com amigos da tua confiança, boa música e uma vibe divertida e relaxante. Evita lugares que te impeçam de relaxar verdadeiramente e de tirares partido de toda a experiência da melhor forma. 

Rodeia-te de pessoas em quem cofies e com quem gostes de estar

Com referência ao ponto anterior, vale a pena estar entre pessoas em quem se confia e com quem te sentes à vontade. Quer sejam a tua família ou amigos, faz questão de ter as pessoas certas contigo. 

Descansa em condições

Quando te falta o sono, sentes-te mais resmungão e incapaz de funcionar correctamente. E se fumares também enquanto estiveres neste estado, poderás ter uma experiência menos agradável. Por isso, certifica-te de que tiveste a tua boa dose de descanso, especialmente antes de uma sessão canábica com os amigos. 

No fim, tudo ficará bem…

Seja qual for o motivo e a razão que te levou a teres uma má experiência com canábis, podes ficar descansado: no final tudo voltará ao normal! É necessário ter em conta que viver uma má trip de canábis não significa que se vá tornar algo recorrente a cada vez que se consuma canábis, até porque, tal como explicámos neste artigo, existem vários factores inerentes a que tal possa acontecer. Mesmo os consumidores mais experientes estão sempre sujeitos a ter uma experiência menos positiva. 

No entanto, se pretendes minimizar ao máximo o risco de teres uma má viagem com canábis, podes sempre ter em conta estas sugestões como formas de prevenir que tal não aconteça. E, claro, para que mantenhas uma boa, saudável e positiva relação com esta planta.  

 

____________________________________________________________________________________________________

[Aviso: Por favor, tenha em atenção que este texto foi originalmente escrito em Português e é traduzido para inglês e outros idiomas através de um tradutor automático. Algumas palavras podem diferir do original e podem verificar-se gralhas ou erros noutras línguas.]

____________________________________________________________________________________________________

O que fazes com 3€ por mês? Torna-te um dos nossos Patronos! Se acreditas que o Jornalismo independente sobre canábis é necessário, subscreve um dos níveis da nossa conta no Patreon e terás acesso a brindes únicos e conteúdos exclusivos. Se formos muitos, com pouco fazemos a diferença!

Clique aqui para comentar
Subscribe
Notify of

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Publicidade


Veja o Documentário "Pacientes"

Documentário Pacientes Laura Ramos Ajude-nos a crescer

Mais recentes

Eventos2 horas atrás

O 4:20 está a chegar e há celebrações no Porto e em Lisboa

A data da celebração da cultura da canábis está a chegar! Este sábado, 20 de Abril, é o dia em...

Internacional3 dias atrás

Paul Bergholts, alegado líder da Juicy Fields, detido na República Dominicana

Paul Bergholts, o alegado líder do esquema em pirâmide Juicy Fields, terá sido detido na República Dominicana e será submetido a...

Saúde6 dias atrás

Canabinóides revelam resultados promissores no tratamento do Transtorno da Personalidade Borderline

Uma investigação levada a cabo pela Khiron LifeSciences e coordenada por Guillermo Moreno Sanz sugere que os medicamentos à base de...

Internacional6 dias atrás

Caso Juicy Fields: 9 detidos pela Europol e Eurojustice. Burla ultrapassa 645 milhões de euros

Uma investigação conjunta conduzida por várias autoridades europeias, apoiadas pela Europol e pela Eurojust, culminou na detenção de nove suspeitos...

Internacional1 semana atrás

Utilizadores regulares de canábis podem necessitar de mais anestesia durante procedimentos médicos

Os utilizadores regulares de canábis podem necessitar de mais anestesia durante os procedimentos médicos para permanecerem sedados, se comparados com...

Internacional1 semana atrás

O futuro do CBD no Japão: Como as reformas legais irão moldar o mercado

No final do ano passado, o Japão deu um grande passo em direcção à reforma da canábis depois de aprovar...

Nacional2 semanas atrás

Portugal: GreenBe Pharma obtém certificação EuGMP nas instalações de Elvas

A GreenBe Pharma, uma empresa de canábis medicinal localizada em Elvas, Portugal, obteve a certificação EU-GMP, ao abrigo dos regulamentos...

Nacional2 semanas atrás

Álvaro Covões, da Everything is New, compra instalações da Clever Leaves no Alentejo por 1.4 milhões de euros

Álvaro Covões, fundador e CEO da agência promotora de espectáculos ‘Everything is New‘, que organiza um dos maiores festivais de...

Eventos2 semanas atrás

ICBC regressa a Berlin a 16 e 17 de Abril

É uma das maiores e mais reconhecidas conferências de B2B sobre canábis da Europa e regressa a Berlim já nos...

Internacional2 semanas atrás

A legalização da canábis na Alemanha vista pelos olhos do hacker que criou um mapa essencial

Um hacker de Koblenz, uma cidade do estado da Renânia-Palatinado, criou um mapa com os locais onde, a partir de...