Connect with us

Internacional

Espanha: Será o cultivo de canábis em interior responsável pelas falhas eléctricas na Andaluzia?

Publicado

em

Ouvir este artigo
Foto: D.R. - Greenhousegrower.com

Mais de 50.000 espanhóis sofreram recentemente cortes no fornecimento de electricidade, chegando a durar mais de 48 horas, em alguns casos. O fenómeno tem sido recorrente e a Endesa atribuiu a causa das falhas às ligações ilegais para o cultivo de canábis indoor. O caso acabou em tribunal e a companhia eléctrica está a ser fortemente criticada pelas comunidades, que acusam a empresa de não conseguir garantir a manutenção da infraestrutura. Há uma manifestação marcada para dia 30 de Setembro.

[Tenha em atenção que este texto foi originalmente escrito em Português e é traduzido para inglês e outros idiomas através de um tradutor automático. Algumas palavras ou expressões podem diferir do original.]

A canábis está no centro de uma polémica em Espanha, que está a ser uma autêntica dor de cabeça para os envolvidos. Em causa estão os recorrentes e prolongados cortes no fornecimento de energia eléctrica, que têm acontecido em vários bairros e cidades da Andaluzia. Os residentes e grupos de vizinhos já reivindicam, há vários anos, por melhores condições na rede eléctrica, que defendem estar obsoleta e a necessitar de reformas. Os residentes interpuseram, inclusivamente, uma acção em tribunal contra a empresa que fornece a energia eléctrica, a Endesa.

Do lado da Endesa, as ocorrências são justificadas como resultado da saturação da estrutura devido às ligações ilegais que são realizadas para o cultivo de canábis em interior. Em comunicado, a Endesa diz que desmantelou, em colaboração com as Forças de Segurança, cerca de 1.800 casos de fraude relacionados com o fornecimento de energia para plantações de canábis, uma média de cinco por dia.

Cidadãos alertam para problemas sociais

As justificações da eléctrica não convencem, porém, os moradores, que acusam a empresa de falhar no cumprimento da gestão da rede e na sua manutenção. A Plataforma contra os cortes de luz anunciou que este verão 50 mil andalusos sofreram cortes regulares no fornecimento de electricidade, motivo que levou à indignação dos milhares de cidadãos que cumprem com os pagamentos das suas facturas de electricidade, mas que não vêm retribuído o serviço contratado. A situação agrava-se quando estão em causa residentes em situação de vulnerabilidade, como doentes ou geradores de emergência.

Esta é uma questão que já se arrasta há vários anos e é relatada por vários moradores num documentário que explica o problema em que vivem. A Plataforma denunciou cortes de luz que vão até às 48 horas, lamentando que não existam esforços ou alternativas para garantir o fornecimento de electricidade aos mais vulneráveis.

“Este grave problema não se pode centrar em exclusivo na canábis”

Rosa García, delegada da Associação Pro Direitos Humanos de Andaluzia (APDHA), interveio mesmo na reunião de accionistas da Endesa, onde teceu fortes criticas à empresa pelos cortes de luz recorrentes e pelo problema social que acarretam, em casos que “no norte de Granada, acontece há mais de 14 anos”. Rosa García argumentou também que a empresa não está a cumprir com a sua responsabilidade de garantir que não ocorram cortes de luz, garantindo que é possível acabar com estas situações fazendo melhorias na infraestrutura. A delegada deixou ainda a informação de que a APDHA recorreu aos tribunais para colocar termo a esta violação dos direitos humanos, defendendo que “a cidadania e as instituições estão a compreender cada vez mais que o discurso sobre este grave problema não se pode centrar em exclusivo na canábis; trata-se de algo diferente e a perspectiva e as soluções têm que vir de outra gestão”, afirmou Rosa García à imprensa espanhola.

Endesa aposta na colaboração institucional para desmantelar mais ligações ilegais

Em comunicado de Imprensa, a Endesa anunciou que nos últimos três anos, através das suas redes subsidiárias de distribuição, detectou cerca de 190.000 casos de fraude eléctrica. Só em 2022 foram encerrados 55.167 processos de fraude, o que significa uma média de mais de 150 por dia, com crescente preponderância de casos relacionados com plantações de canábis.


No seu relatório, a companhia eléctrica espanhola estimava que o consumo anual de electricidade utilizada ilegalmente para alimentar estas plantações de canábis ascende a 2.200 GWh, o equivalente ao consumo anual da cidade de Sevilha.

“Estes números mostram a dimensão de uma prática ilegal que coloca em grave risco a segurança dos cidadãos, provoca a deterioração da qualidade do abastecimento aos cidadãos e encarece as contas pagas por todos os consumidores”, disse José Manuel Revuelta, Director Geral da Endesa Networks, reiterando a sua vontade de colaborar com administrações, instituições e forças de segurança para encontrar soluções para esta situação.

No último ano, a Endesa interveio milhares de vezes, em conjunto com as Forças de Segurança, para desmantelar ligações ilegais, anunciando que são detectadas 24 fraudes a cada 25 inspecções nas áreas com alta concentração de perdas.

Manifestação marcada para 30 de Setembro

A plataforma interdistrital de Barrios Hartos convocou uma manifestação para o dia 30 de Setembro, para insistir na defesa dos serviços públicos básicos. A concentração inicia-se às 11h00 e a manifestação decorrerá com o mote ‘Cortaram-nos a electricidade, aumentaram a água’.

Laura Cárdenas, porta-voz da plataforma que surgiu em resposta aos contínuos cortes de energia que há anos sofrem nos bairros operários da capital andaluza, explicou à Europa Press que o fornecimento de energia eléctrica nos bairros representados pela plataforma interdistrital está “relativamente positivo” nas zonas que têm apresentado as suas reclamações com manifestações na rua.

A plataforma exigiu que fosse tornada pública a informação sobre o volume de investimentos realizados pela Endesa nos últimos 20 anos, a data de instalação dos transformadores e cablagens e as inspecções realizadas na rede, numa carta enviada ao Ministério da tutela, que exigia igualmente que o conselheiro Jorge Paradela “retirasse das suas declarações a ligação entre o cultivo de canábis e os bairros que são afectados pelos cortes no abastecimento”.

 

____________________________________________________________________________________________________

[Aviso: Por favor, tenha em atenção que este texto foi originalmente escrito em Português e é traduzido para inglês e outros idiomas através de um tradutor automático. Algumas palavras podem diferir do original e podem verificar-se gralhas ou erros noutras línguas.]

____________________________________________________________________________________________________

O que fazes com 3€ por mês? Torna-te um dos nossos Patronos! Se acreditas que o Jornalismo independente sobre canábis é necessário, subscreve um dos níveis da nossa conta no Patreon e terás acesso a brindes únicos e conteúdos exclusivos. Se formos muitos, com pouco fazemos a diferença!

+ posts

Sou um dos directores do CannaReporter, que fundei em conjunto com a Laura Ramos. Sou natural da inigualável Ilha da Madeira, onde resido actualmente. Enquanto estive em Lisboa na FCUL a estudar Engenharia Física, envolvi-me no panorama nacional do cânhamo e canábis tendo participado em várias associações, algumas das quais, ainda integro. Acompanho a industria mundial e sobretudo os avanços legislativos relativos às diversas utilizações da canábis.

Posso ser contactado pelo email joao.costa@cannareporter.eu

Clique aqui para comentar
Subscribe
Notify of

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Publicidade


Veja o Documentário "Pacientes"

Documentário Pacientes Laura Ramos Ajude-nos a crescer

Mais recentes

Eventos1 semana atrás

CannaTrade regressa a Zurique de 24 a 26 de Maio

A CannaTrade – Feira e Festival Internacional do Cânhamo de Zurique atinge em 2024 a maioridade, celebrando a sua 18ª...

Comunicados de Imprensa1 semana atrás

Grupo SOMAÍ e a sua subsidiária RPK Biopharma ampliam parceria com Cookies para incluir Europa e Reino Unido

LISBOA, PORTUGAL, 16 de maio de 2024 /EINPresswire.com/ — O Grupo SOMAÍ (“SOMAÍ”) e a sua subsidiária, RPK Biopharma expandiram...

Nacional2 semanas atrás

Portugal: Consumo estimado de CBD aumenta, apesar da proibição

O relatório “Cannabis in Portugal”, realizado pela Euromonitor International, divulgou os dados mais recentes sobre a indústria da canábis, os...

Nacional2 semanas atrás

“Canábis. Maldita e Maravilhosa”, de Margarita Cardoso de Meneses, chega às livrarias a 16 de Maio

Margarita Cardoso de Meneses, colaboradora do CannaReporter®, acaba de publicar o livro “Canábis. Maldita e Maravilhosa”, editado pela Oficina do...

Comunicados de Imprensa2 semanas atrás

Montemor-o-Velho: Detido por cultivo de canábis

O Comando Territorial de Coimbra, através do Núcleo de Investigação Criminal (NIC) do Destacamento Territorial de Montemor-o-Velho, hoje, dia 9...

Eventos2 semanas atrás

PTMC – Portugal Medical Cannabis reúne indústria da canábis medicinal a 22 de Maio, em Lisboa

A PTMC – Portugal Medical Cannabis vai reunir os profissionais da indústria da canábis medicinal no próximo dia 22 de...

Corporações2 semanas atrás

EUA: MedMen declara falência com 400 milhões de dólares de dívidas

A gigante norte-americana da canábis MedMen entrou em colapso sob o peso da sua dívida, anunciando na semana passada que...

Notícias3 semanas atrás

Estudo revela que legalização da canábis não aumenta consumo de outras substâncias

Um dos argumentos mais usados contra a legalização da canábis para uso adulto ou recreativo tem sido a ideia de...

Cânhamo3 semanas atrás

Letónia: Hemp School, da Obelisk Farm, é finalista do Prémio EFT Green Skills 2024

A Obelisk Farm continua a ser reconhecida mundo fora pela sua abordagem sui generais à exploração do cânhamo industrial. O projecto familiar, que...

Eventos3 semanas atrás

EUA: CannMed 24 Innovation & Investment Summit regressa a Marco Island, na Florida, de 12 a 15 de Maio

É uma das mais importantes conferências científicas sobre a indústria da canábis medicinal e regressa a Marco Island, na Florida,...