Connect with us

Internacional

República Checa: Proposta de regulamentação deixa de fora circuito comercial de canábis. Associações dizem que é “uma proposta incompleta”

Publicado

em

Ouvir este artigo
Foto: D.R. | Sensi Seeds

Um grupo de peritos para a regulamentação do mercado de canábis na República Checa reuniu-se no passado dia 10 de Janeiro, para discutir a primeira versão da proposta de legislação para a legalização da canábis, O encontro trouxe a público uma série de mudanças significativas na abordagem da regulamentação da canábis no país. A proposta, apresentada pelo Coordenador Nacional de Política Anti-drogas, Jindrich Vobořil, abrange desde a despenalização da posse para uso pessoal até ao cultivo colectivo em associações de cânhamo. No entanto, a regulamentação de um circuito comercial para a canábis ficou, para já, de fora das propostas apresentadas. As associações do país defendem que a ausência de uma regulamentação de um mercado é uma solução incompleta.  

A primeira versão do projecto de lei que pretende legalizar a canábis na República Checa está a dar que falar. Apresentada durante a reunião do grupo de peritos escolhido pelo governo de Petr Fiala, a primeira versão inclui algumas mudanças cruciais na regulamentação da canábis. A versão, que as associações checas consideram incompleta e que não agrada também o Partido dos Piratas, foi apresentada pelo Coordenador Nacional de Política Anti-drogas, Jindrich Vobořil. O projecto de lei inclui a despenalização da posse de pequenas quantidades de canábis para uso pessoal, o cultivo limitado para consumo próprio, o cultivo colectivo em associações de canábis (com recurso ao auto-cultivo) e a manipulação de substâncias aditivas como parte de projectos de investigação.

Jindrich Vobořil, Coordenador Nacional de Política Antidrogas da República Checa

Para surpresa de muitos que acompanham este processo de regulamentação, a proposta não inclui a introdução de um mercado regulamentado de canábis, uma medida inicialmente prevista e que gerou descontentamento na coligação. O Partido dos Piratas chegou a descrever o projecto apresentado como uma mera “versão de compromisso da proposta do governo” e expressaram a intenção de continuar a negociar para incluir esta medida. Este ponto de discórdia é um reflexo das divergências de opinião dentro da coligação que compõe o governo checo e das diferentes formas de abordar a questão da canábis. O partido KDU-CSL (Cristãos Democratas) tem vindo sistematicamente a mostrar resistência para a aprovação desta reforma da canábis no país. Em entrevista ao Magazin Konopi, Jindrich Vobořil afirmou que esta resistência se alarga às alas mais conservadoras.

Regulamentação em stand-by?

A ausência de um mercado regulamentado no projecto apresentado pelo governo, que apenas previa regras de auto-cultivo e o funcionamento dos clubes de canábis, foi motivo suficiente para que surgissem várias vozes com posições divergentes sobre a matéria. Ao passo que Marek Výborný, Ministro da Agricultura, expressou preocupações sobre o aumento de utilizadores e os custos associados ao tratamento de dependências e programas de prevenção, Jindrich Vobořil, destacou, por outro lado, que a regulamentação consistente pode controlar eficazmente a produção, distribuição e vendas. O Coordenador Nacional de Políticas Anti-drogas fundamentou que, além de proporcionar uma prevenção mais eficaz, um mercado regulado tem o potencial de gerar anualmente milhões de coroas em impostos. O governo, por sua vez, destacou no seu programa que a regulamentação das substâncias que causam dependência corresponderá ao grau da sua nocividade. A declaração do programa do governo enfatizou ainda a implementação de uma política baseada num “conceito cientificamente comprovado e equilibrado de prevenção de riscos e redução de danos”.

Associações consideram proposta incompleta

Três organizações Checas ligadas à indústria da canábis (o cluster checo de cânhamo CzecHemp, a Safe Cannabis Association e a associação Legalizace.cz) emitiram um comunicado conjunto, onde concordaram que a reforma das leis de proibição são necessárias. Ao mesmo tempo as entidades alertam que a ausência de um mercado regulamentado é apenas uma solução incompleta.

Segundo o comunicado, “permitir o auto-cultivo e os clubes de canábis são dois passos muito importantes na direcção certa, mas não resolve um dos principais problemas resultantes da actual abordagem repressiva: os lucros enormes e sempre crescentes dos produtores e comerciantes ilegais, que representam o maior risco para os jovens e, portanto, para a sociedade como um todo”. As entidades apelam a que os legisladores continuem o trabalho de preparação de um projecto onde se inclua um mercado regulamentado de canábis, com base nas recomendações de peritos e nos resultados das reuniões dos grupos de trabalho especializados.
____________________________________________________
[Aviso: Por favor, tenha em atenção que este texto foi originalmente escrito em Português e é traduzido para inglês e outros idiomas através de um tradutor automático. Algumas palavras podem diferir do original e podem verificar-se gralhas ou erros noutras línguas.]

 

____________________________________________________________________________________________________

[Aviso: Por favor, tenha em atenção que este texto foi originalmente escrito em Português e é traduzido para inglês e outros idiomas através de um tradutor automático. Algumas palavras podem diferir do original e podem verificar-se gralhas ou erros noutras línguas.]

____________________________________________________________________________________________________

O que fazes com 3€ por mês? Torna-te um dos nossos Patronos! Se acreditas que o Jornalismo independente sobre canábis é necessário, subscreve um dos níveis da nossa conta no Patreon e terás acesso a brindes únicos e conteúdos exclusivos. Se formos muitos, com pouco fazemos a diferença!

+ posts

Sou um dos directores do CannaReporter, que fundei em conjunto com a Laura Ramos. Sou natural da inigualável Ilha da Madeira, onde resido actualmente. Enquanto estive em Lisboa na FCUL a estudar Engenharia Física, envolvi-me no panorama nacional do cânhamo e canábis tendo participado em várias associações, algumas das quais, ainda integro. Acompanho a industria mundial e sobretudo os avanços legislativos relativos às diversas utilizações da canábis.

Posso ser contactado pelo email joao.costa@cannareporter.eu

Clique aqui para comentar
Subscribe
Notify of

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Publicidade


Veja o Documentário "Pacientes"

Documentário Pacientes Laura Ramos Ajude-nos a crescer

Mais recentes

Internacional18 horas atrás

Polícia alemã esclarece que não sugeriu consumo de canábis (em vez de álcool) aos adeptos ingleses do Euro 2024

A polícia de Gelsenkirchen, na Alemanha, foi citada numa notícia onde afirmou que as atenções estariam mais centradas nos adeptos...

Eventos1 dia atrás

Substâncias sintéticas ameaçam enorme sucesso da Mary Jane Berlin

Era expectável que esta edição da Mary Jane Berlin fosse a maior concentração de sempre da comunidade da canábis na...

Nacional3 dias atrás

ICAD promove inquérito europeu sobre consumo de drogas em Portugal

O Instituto para os Comportamentos Aditivos e as Dependências (ICAD) iniciou a 4ª edição do European Web Survey on Drugs...

Eventos4 dias atrás

Maren Krings, autora do livro “H is for Hemp”, apresenta documentário sobre a Ucrânia hoje, em Lisboa

Maren Krings, fotojornalista e autora do livro “H is for Hemp” está hoje em Lisboa para apresentar o seu novo...

Internacional6 dias atrás

EUA: Pediatra Bonni Goldstein lança petição contra a proibição de medicamentos de CBD natural na Califórnia

A pediatra norte-americana Bonni Goldstein está a alertar para a tentativa de proibição de medicamentos derivados de CBD natural na...

Internacional6 dias atrás

Europa tem quase 23 milhões de utilizadores de canábis, a mais consumida de todas as substâncias ilícitas

A canábis continua a ser, de longe, a substância ilícita mais consumida na Europa. Estas são as conclusões do “Relatório...

Eventos7 dias atrás

Mary Jane celebra a cultura da canábis legal pela primeira vez na Alemanha

É já no próximo fim-de-semana, de 14  16 de Junho, que se realiza a já habitual Mary Jane, na Messe...

Eventos2 semanas atrás

CB Club reúne profissionais da canábis antecipando a Mary Jane, em Berlim

A antecipar a CB Expo (Cannabis Business Expo and Conference), que acontecerá em Dortmund, em Setembro, a CB Company vai...

Reportagem2 semanas atrás

África do Sul: a legalização de uma indústria que já prospera

Nas semanas que antecederam as eleições para Assembleia Geral na África do Sul, na passada quarta-feira, 29 de Maio, havia...

Entrevistas2 semanas atrás

Rui Reininho: “Eu acho esquisitíssimo andarem os meus colegas da GNR a meter o nariz nas propriedades das pessoas a ver o que é que esta planta faz”

Rui Reininho, músico português que ficou famoso enquanto vocalista dos GNR, dispensa apresentações. Ao contrário do que muitos pensam, não fundou...