Connect with us

Opinião

O principal erro da legalização na Alemanha

Publicado

em

Foto: D.R.

A primavera alemã vai chegar com novas flores. A Alemanha é o terceiro país da União Europeia a legalizar totalmente a planta, depois de Malta e do Luxemburgo, faltando apenas a aprovação do Conselho de Estados. Nos outros países da União Europeia já existe um imenso mercado legal de CBD e outros cannabinóides, podendo este ser entendido também como ‘mercado sem THC’. No entanto, a Alemanha cometeu um erro crucial.

Com o avanço alemão já são mais de 9 os países a regulamentar o chamado “mercado recreativo” ou o “uso adulto” de canábis a nível global. Basicamente, que todos os países do mundo têm alguma abertura ou legislação para o uso medicinal. 

Desde que o Uruguai abriu o caminho das legalizações há 10 anos, na esfera nacional, tem vindo a acontecer uma onda anti-proibicionista que abre espaço para sonhar com mais justiça e quem sabe com o fim da guerra às drogas. Temos muita coisa para comemorar e aprender com esses processos e é importante enfatizar a dedicação de milhares de militantes pela causa canábica no mundo, incansáveis na missão.

“A premissa que precisamos ter quando pensamos na legalização é que os consumidores já usam canábis, independentemente da legislação. (…) Portanto, as leis não podem ser criadas como se não existisse uma cadeia produtiva complexa”.

Faz mais de dois anos que a lei da legalização alemã vem sendo desenhada e aguardada com muito optimismo. Era esperado um desenho inovador e de vanguarda, dada a importância do país no cenário europeu e global. Mas o que a gente vê hoje na lei não reflecte as expectativas do processo de elaboração e nem o impacto desejado pela articulação do movimento. O universo da política decepciona um pouco, mas a votação foi significativa: quase o dobro a favor da legalização. A luta não termina com a legalização e o esforço é contínuo para atender as necessidades das pessoas.

A premissa que precisamos ter quando pensamos na legalização é que os consumidores já usam canábis, independentemente da legislação. O acesso é muito fácil e amplo em grande parte do mundo. Portanto, as leis não podem ser criadas como se não existisse uma cadeia produtiva complexa, estruturada e internacional, estabelecida há mais de 100 anos dentro do proibicionismo. 

“Não implementar a cadeia produtiva total da planta com um acesso amplo pode ser um tiro no pé.”

Dito isto, vamos ao erro fundamental da legalização alemã: o acesso!

5 problemas principais: 

  1. Cultivo caseiro de 3 plantas, com limite de 50g por habitação, demonstra que quem negociou esses números não entende de canábis, não utiliza e nunca cultivou. Não cumpre totalmente a função e liberdade das pessoas de cultivar. Ter mais de 3 plantas pode ser usado para penalizar quem passar desse limite. Na Califórnia são 6 plantas, no Canadá são 4, mas existem outros exemplos melhores no planeta, como a Tailândia, onde o cultivo é ilimitado.
  2. O comércio de canábis no sistema de dispensários não foi incluído na lei. Pelo menos inicialmente, não haverá lojas com produtos de THC, apesar de já existirem centenas de lojas de “CBD” com uma grande infinidade de produtos, inclusive psicotrópicos. Importante realçar que estamos a falar da mesma planta.
  3. O sistema “Clube” (associações, clubes de compaixão, clube social)  é um sistema de transição que será adoptado para grupos de cultivo com até 500 pessoas. Esse sistema não dá amplo acesso à diversidade de produtos que o mercado “recreativo” tem. Basta ver a implementação dos clubes no Uruguai.  Além disso, na lei alemã vai ser limitado a 50g de flor por mês. Comparando com o mercado canadiano, uma pessoa pode adquirir 30g por compra. O limite está muito mais no dinheiro que se quer gastar do que na limitação por gramas.
  4. Na falsa tentativa de tentar proteger os jovens, a lei coloca uma limitação de THC para pessoas de 18 a 21 anos. Não faz sentido, porque não é possível controlar e fiscalizar o limite imposto. É a parte da lei que serve para conservador ver. Quando se entende sobre a manufactura dos produtos de canábis e sobre a forma de consumo percebe-se que, na prática, será impossível de implementar.
  5. Finalmente, os turistas não terão acesso ao mercado alemão. Isto é suposto acontecer num país que faz fronteira com outros 9 países e que tem um turismo mundial imenso.

Ou seja, ao invés de inovar e propor os próximos passos do futuro das legalizações mundiais, a Alemanha chegou tímida, fazendo uma bricolagem do que deu errado no Canadá e no Uruguai. Esqueceu-se de olhar para a Tailândia e não vai ajudar a cumprir os objectivos do governo alemão de acabar com mercado ilegal, reduzir o dinheiro do tráfico de drogas e aumentar a qualidade e segurança dos produtos. Sem falar no acesso ao uso medicinal.

Não implementar a cadeia produtiva total da planta e dar acesso amplo pode ser um tiro no pé no cenário conservador e facista que se impõe na Alemanha de hoje em dia. É preciso lembrar que a legalização é um processo longo e que a regulamentação será um novo capítulo nessa história.  

________________________________________________________________
Luna Vargas é antropóloga, educadora canábica, palestrante e fundadora da Inflore, uma plataforma educativa que se dedica a formar profissionais no sector da canábis. Luna nasceu no Brasil e pesquisa processos de legalização em diferentes países do mundo. Actualmente mora na Tailândia.

 

____________________________________________________________________________________________________

[Aviso: Por favor, tenha em atenção que este texto foi originalmente escrito em Português e é traduzido para inglês e outros idiomas através de um tradutor automático. Algumas palavras podem diferir do original e podem verificar-se gralhas ou erros noutras línguas.]

____________________________________________________________________________________________________

O que fazes com 3€ por mês? Torna-te um dos nossos Patronos! Se acreditas que o Jornalismo independente sobre canábis é necessário, subscreve um dos níveis da nossa conta no Patreon e terás acesso a brindes únicos e conteúdos exclusivos. Se formos muitos, com pouco fazemos a diferença!

3 Comments
Subscribe
Notify of

3 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Publicidade


Veja o Documentário "Pacientes"

Documentário Pacientes Laura Ramos Ajude-nos a crescer

Mais recentes

Internacional3 dias atrás

Paul Bergholts, alegado líder da Juicy Fields, detido na República Dominicana

Paul Bergholts, o alegado líder do esquema em pirâmide Juicy Fields, terá sido detido na República Dominicana e será submetido a...

Saúde6 dias atrás

Canabinóides revelam resultados promissores no tratamento do Transtorno da Personalidade Borderline

Uma investigação levada a cabo pela Khiron LifeSciences e coordenada por Guillermo Moreno Sanz sugere que os medicamentos à base de...

Internacional6 dias atrás

Caso Juicy Fields: 9 detidos pela Europol e Eurojustice. Burla ultrapassa 645 milhões de euros

Uma investigação conjunta conduzida por várias autoridades europeias, apoiadas pela Europol e pela Eurojust, culminou na detenção de nove suspeitos...

Internacional1 semana atrás

Utilizadores regulares de canábis podem necessitar de mais anestesia durante procedimentos médicos

Os utilizadores regulares de canábis podem necessitar de mais anestesia durante os procedimentos médicos para permanecerem sedados, se comparados com...

Internacional1 semana atrás

O futuro do CBD no Japão: Como as reformas legais irão moldar o mercado

No final do ano passado, o Japão deu um grande passo em direcção à reforma da canábis depois de aprovar...

Nacional2 semanas atrás

Portugal: GreenBe Pharma obtém certificação EuGMP nas instalações de Elvas

A GreenBe Pharma, uma empresa de canábis medicinal localizada em Elvas, Portugal, obteve a certificação EU-GMP, ao abrigo dos regulamentos...

Nacional2 semanas atrás

Álvaro Covões, da Everything is New, compra instalações da Clever Leaves no Alentejo por 1.4 milhões de euros

Álvaro Covões, fundador e CEO da agência promotora de espectáculos ‘Everything is New‘, que organiza um dos maiores festivais de...

Eventos2 semanas atrás

ICBC regressa a Berlin a 16 e 17 de Abril

É uma das maiores e mais reconhecidas conferências de B2B sobre canábis da Europa e regressa a Berlim já nos...

Internacional2 semanas atrás

A legalização da canábis na Alemanha vista pelos olhos do hacker que criou um mapa essencial

Um hacker de Koblenz, uma cidade do estado da Renânia-Palatinado, criou um mapa com os locais onde, a partir de...

Nacional2 semanas atrás

André Ventura diz que quer “Limpar toda a canábis de Portugal”

André Ventura, o conhecido líder do partido político português de extrema-direita, Chega, disse que quer “limpar toda a canábis de...