Connect with us

Entrevistas

Jacqueline Poitras: “Os médicos são dolorosamente ignorantes quando se trata de canabinóides e dos seus efeitos no corpo humano”

Publicado

em

Ouvir este artigo

Fundadora da ‘MAMAKA- Mothers for Cannabis’, uma associação para pacientes de canábis medicinal da Grécia, Jacqueline Poitras tem sido uma das principais activistas pelos direitos dos pacientes europeus, participando em vários eventos em todo o mundo, incluindo no Parlamento Europeu. Actualmente, é membro do Conselho de Pacientes da IACM, que esta semana participa, pela primeira vez, na 67ª sessão da Comissão de Estupefacientes (CND) das Nações Unidas (ONU), em Viena, na Áustria.

Mãe de uma jovem com Síndrome de Aicardi, Jackie, como é conhecida no meio, foi defensora do movimento das pessoas com deficiência na Grécia durante grande parte da vida da sua filha, antes de descobrir os benefícios terapêuticos da canábis em 2014.

Através da MAMAKA, Jacqueline desempenha um papel de liderança nas mudanças nas políticas relativas à canábis na Grécia e reúne-se frequentemente com membros do Ministério da Saúde e do governo grego nos seus esforços para promover o acesso gratuito à canábis para pacientes em toda a Grécia e no resto da Europa. Falámos com ela para conhecer melhor o seu percurso pelo mundo da canábis medicinal.

Jacqueline Poitras tem sido activista pela mudanças nas políticas relativas à canábis na Grécia e na Europa

Quando e por que é que decidiu fundar a associação de pacientes Mamaka?
A Mamaka oficialmente reconhecida pelo Estado grego em 2018, mas já estava envolvida não oficialmente na defesa e educação dos pacientes desde 2015.

Como é que a canábis ajuda a sua filha? Que melhorias teve com a canábis em comparação com outros medicamentos?
A minha filha Maia tem sido bastante ajudada pela canábis desde o início de 2014. As suas crises epilépticas refractárias reduziram substancialmente e conseguimos retirá-la de dois dos seus três medicamentos anti-epilépticos. Está mais forte, mais saudável, entende mais e o seu QI emocional melhorou muito. Ela nunca chorava, por nenhum motivo. Agora ela chora, fica com raiva e geralmente é uma pessoa mais feliz. E dormir! As famílias que criam crianças com deficiências complicadas muitas vezes têm uma queixa comum: a falta de sono. Passei anos com uma séria privação de sono e encontrei inúmeras maneiras de tentar administrar algumas horas entre os seus períodos de vigília. Desde a descoberta da canábis, muitas dessas situações são coisa do passado. Não é perfeito, mas certamente é uma melhoria em relação ao que era. Os medicamentos farmacêuticos muitas vezes criaram mais problemas do que resolveram. Começar um novo medicamento pode significar todo um novo conjunto de efeitos colaterais a serem enfrentados, levando a novos medicamentos para lidar com esses problemas. A canábis não resolve o problema, mas traz um melhor equilíbrio a todo o sistema, o que nega a necessidade de polifarmácia.

Que tipo de produtos usa e como os consegue?
Até agora, estivemos completamente dependentes do mercado ilegal. Felizmente, existem canabinóides legais agora disponíveis na Grécia, mas produtos de THC com teor superior a 0,3% não estavam disponíveis até ao mês passado. Eu mesma faço a maioria dos produtos da minha filha com plantas que eu ou amigos cultivamos para ela. A manteiga é um padrão, óleos para uso emergencial e até mesmo material vegetal inteiro. Normalmente compramos CBD no mercado e recentemente decidimos experimentar o Epidyolex, que agora já está disponível mediante receita médica na Grécia.

Como é a situação actual do acesso à canábis medicinal na Grécia?
Temos um acesso muito bom a produtos canabinóides legais de todos os tipos – CBD, CBG, CBN, CBDA, etc. e numa variedade de formas, incluindo flores. No entanto, foi aprovada uma lei em 2021 que proíbe a importação de produtos que contenham mais de 0,3% de THC e, portanto, ficamos à espera, aguardando os produtos cultivados localmente por empresas gregas desde 2017, quando a canábis medicinal foi descriminalizada pela primeira vez. Ainda no mês passado, a primeira flor foi disponibilizada no mercado, um produto equilibrado CBD:THC e muito mais serão disponibilizados nos próximos meses, acreditamos. Foi uma longa espera pelos pacientes.

A Jacqueline faz parte do Conselho de Pacientes da IACM, que está presente, pela primeira vez, na 67ª sessão da Comissão de Estupefacientes (CND) das Nações Unidas (ONU), de 14 a 22 de Março, em Viena, na Áustria. Qual seria o melhor resultado deste encontro, na sua perspectiva e da IACM?
Se a ONU/CND considerasse a desclassificação total da canábis, ou pelo menos para uso medicinal, evitaríamos todas estas estruturas jurídicas complicadas que tiveram de contornar as restrições dos tratados internacionais. Esta planta é, de facto, um botânico terapêutico tradicional utilizado há milénios pelos seres humanos. Os impedimentos legais que dificultam a investigação e o acesso dos pacientes à canábis são um crime que precisa de ser combatido. O reconhecimento e a inclusão da canábis na farmacopeia dos medicamentos fitoterapêuticos beneficiaria toda a humanidade e não apenas as grandes empresas farmacêuticas, que correm para encontrar formas de garantir a exclusividade.

Quais são os maiores desafios que enfrenta como uma mãe que luta pelo acesso à canábis?
O estigma. O facto de as pessoas ouvirem ‘canábis’ e não pensarem num medicamento. Eles pensam apenas nos danos que nos disseram que ela provoca (a maioria dos quais são, na verdade, criados pelo sistema ilegal que leva as pessoas ao mercado negro) e reconhecem apenas o seu uso recreativo, que é uma compreensão unidimensional da planta. Depois, o custo. Para muitos de nós, o custo dos produtos que chegaram ao mercado é inacessível, porque a maioria das famílias não tem cobertura de planos de seguro. Falta de apoio. Os médicos são dolorosamente ignorantes quando se trata de canabinóides e dos seus efeitos no corpo humano. Muitos são até abertamente contra o uso de canábis, especialmente na medicina pediátrica. Isto obriga os pais a terem de tomar sozinhos decisões médicas sérias para os seus filhos, sem o apoio de um médico para os orientar durante o processo e assumir a responsabilidade. Isto pode ter resultados devastadores em famílias que já estão terrivelmente sobrecarregadas, emocional e psicologicamente, muitas vezes levando a experiências traumáticas para os irmãos, acrescentando stress indevido aos relacionamentos e até mesmo conduzindo à dissolução das famílias.

Se pudesse decidir, como resolveria a situação da canábis na Europa?
Numa palavra: regulamentar. Disponibilizar a canábis numa multiplicidade de formas e acesso, legalizando e regulamentando o processo, garantindo que produtos seguros e de qualidade estejam disponíveis para qualquer uso que se decida ser apropriado na vida de cada paciente. Igualmente, fazer com que a canábis esteja disponível para todos os cidadãos europeus, independentemente do país em que residam. A canábis é uma planta que pode oferecer tanto a tantas pessoas que realmente não há necessidade de se preocupar com a amplitude do mercado. Produtos farmacêuticos disponíveis mediante receita médica nas farmácias. Pontos de comercialização especializados, de acesso aberto ao mercado adulto. Associações de canábis onde o cultivo e espaços de cultivo partilhados tornam possível a especificidade e a experimentação que vemos ser frequentemente necessária no uso médico. O incentivo às pequenas indústrias caseiras, que desenvolvem produtos de alta qualidade, enriquecendo as economias locais e proporcionando empregos para jovens e curiosos empreendedores. Isto levaria a uma explosão na investigação e no investimento que, por si só, resolveria muitos dos problemas que enfrentamos. A União Europeia tem no seu cerne a visão de uma Europa onde todos os cidadãos gozem de direitos e benefícios iguais. Só legalizando e regulamentando a canábis em toda a UE poderemos falar de um dia em que todos os pacientes terão direito à terapia da sua escolha.

 

____________________________________________________________________________________________________

[Aviso: Por favor, tenha em atenção que este texto foi originalmente escrito em Português e é traduzido para inglês e outros idiomas através de um tradutor automático. Algumas palavras podem diferir do original e podem verificar-se gralhas ou erros noutras línguas.]

____________________________________________________________________________________________________

O que fazes com 3€ por mês? Torna-te um dos nossos Patronos! Se acreditas que o Jornalismo independente sobre canábis é necessário, subscreve um dos níveis da nossa conta no Patreon e terás acesso a brindes únicos e conteúdos exclusivos. Se formos muitos, com pouco fazemos a diferença!

Clique aqui para comentar
Subscribe
Notify of

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Publicidade


Veja o Documentário "Pacientes"

Documentário Pacientes Laura Ramos Ajude-nos a crescer

Mais recentes

Internacional3 dias atrás

Paul Bergholts, alegado líder da Juicy Fields, detido na República Dominicana

Paul Bergholts, o alegado líder do esquema em pirâmide Juicy Fields, terá sido detido na República Dominicana e será submetido a...

Saúde6 dias atrás

Canabinóides revelam resultados promissores no tratamento do Transtorno da Personalidade Borderline

Uma investigação levada a cabo pela Khiron LifeSciences e coordenada por Guillermo Moreno Sanz sugere que os medicamentos à base de...

Internacional6 dias atrás

Caso Juicy Fields: 9 detidos pela Europol e Eurojustice. Burla ultrapassa 645 milhões de euros

Uma investigação conjunta conduzida por várias autoridades europeias, apoiadas pela Europol e pela Eurojust, culminou na detenção de nove suspeitos...

Internacional1 semana atrás

Utilizadores regulares de canábis podem necessitar de mais anestesia durante procedimentos médicos

Os utilizadores regulares de canábis podem necessitar de mais anestesia durante os procedimentos médicos para permanecerem sedados, se comparados com...

Internacional1 semana atrás

O futuro do CBD no Japão: Como as reformas legais irão moldar o mercado

No final do ano passado, o Japão deu um grande passo em direcção à reforma da canábis depois de aprovar...

Nacional2 semanas atrás

Portugal: GreenBe Pharma obtém certificação EuGMP nas instalações de Elvas

A GreenBe Pharma, uma empresa de canábis medicinal localizada em Elvas, Portugal, obteve a certificação EU-GMP, ao abrigo dos regulamentos...

Nacional2 semanas atrás

Álvaro Covões, da Everything is New, compra instalações da Clever Leaves no Alentejo por 1.4 milhões de euros

Álvaro Covões, fundador e CEO da agência promotora de espectáculos ‘Everything is New‘, que organiza um dos maiores festivais de...

Eventos2 semanas atrás

ICBC regressa a Berlin a 16 e 17 de Abril

É uma das maiores e mais reconhecidas conferências de B2B sobre canábis da Europa e regressa a Berlim já nos...

Internacional2 semanas atrás

A legalização da canábis na Alemanha vista pelos olhos do hacker que criou um mapa essencial

Um hacker de Koblenz, uma cidade do estado da Renânia-Palatinado, criou um mapa com os locais onde, a partir de...

Nacional2 semanas atrás

André Ventura diz que quer “Limpar toda a canábis de Portugal”

André Ventura, o conhecido líder do partido político português de extrema-direita, Chega, disse que quer “limpar toda a canábis de...