Connect with us

Cânhamo

Tailândia cada vez mais perto de reclassificar a canábis e o cânhamo como substâncias controladas

Publicado

em

Ouvir este artigo
Kitty Chopaka tem liderado várias manifestações e protestos contra a proibição da canábis na Tailândia. Foto: D.R.

A Tailândia deu mais um passo decisivo no sentido de voltar a proibir a canábis no país. Na passada sexta-feira, a Comissão de Controlo dos Estupefacientes (NCB), presidida por um alto funcionário governamental, concordou em enviar uma proposta ao Gabinete da Comissão de Controlo dos Estupefacientes (ONCB) para reintroduzir a canábis como substância ilegal.

Esta iniciativa decorre de uma directiva emitida em Maio pelo Primeiro-Ministro Srettha Thavisin, que visa encerrar a indústria tailandesa de canábis para fins recreativos. Esta acção governamental é liderada pelo Ministro da Saúde Pública, Somsak Thepsutin, reflectindo a posição do Primeiro-Ministro expressa numa entrevista concedida em Março à France 24, em que condenou o consumo de canábis como prejudicial para a saúde nacional e para a economia do país.

Justificação do Governo para a proibição da canábis

Os profissionais médicos e os académicos do Ministério da Saúde Pública têm manifestado constantemente a sua preocupação com o impacto negativo da canábis na saúde mental. A decisão do Primeiro-Ministro sublinha estas preocupações, retratando o comércio recreativo de canábis como uma ameaça nacional e um fardo económico.

Na proposta apresentada ao ONCB, as flores e extractos de canábis com um teor de THC superior a 0,2% serão proibidos a partir de 1 de janeiro de 2025. Além disso, o cânhamo voltará a ser considerado um estupefaciente proibido de categoria 5, invertendo as alterações legais introduzidas em junho de 2022 pelo antigo Ministro da Saúde Pública, Anutin Charnvirakul, que desencadearam uma revolução no domínio da canábis.

Impacto no comércio retalhista de canábis e na aplicação da lei

Esta reversão da política tornará o consumo e a venda de canábis para fins recreativos novamente ilegais. Atualmente, a Tailândia tem cerca de 7 700 pontos de venda a retalho de canábis, que poderão ser encerrados se a nova regulamentação for aplicada. O Dr. Surachoke Tangwiwat, Secretário Permanente Adjunto do Ministério da Saúde Pública, presidiu à reunião que conduziu a esta decisão, que incluiu representantes da Administração de Alimentos e Medicamentos da Tailândia e peritos académicos.

Apesar de algumas divergências no seio do NCB, a maioria votou a favor da reclassificação da canábis e do cânhamo como substâncias regulamentadas. Os opositores argumentam que esta medida causará perturbações e inconvenientes significativos, mas o governo planeia introduzir um sistema de autorização novo e simples para uma utilização pessoal limitada para fins de saúde.

Calendário de aplicação e opinião pública

Se a ONCB aprovar a proposta, o Ministro Somsak Thepsutin assinará a ordem de reversão, que entrará em vigor três meses após a publicação no Royal Gazette (o equivalente ao Diário da República português). Esta medida poderá marcar o fim da liberdade total de consumo de canábis na Tailândia já a 1 de janeiro de 2025.

As sondagens de opinião indicam um forte apoio público a esta medida. Uma sondagem realizada em maio de 2024 pelo Instituto Nacional de Administração do Desenvolvimento (NIDA) revelou que 75,65% dos inquiridos eram a favor da recriminalização da canábis para fins recreativos, com 60,38% a concordar fortemente.

Repercussões políticas e sociais

É provável que o governo liderado pelo Partido Pheu Thai, que fez da recriminalização da canábis uma das principais promessas de campanha nas eleições gerais de 2023, avance com esta política. A estratégia do governo envolve a reversão das alterações legais de 2022 e a implementação de um novo sistema de licenças sob controlo governamental.

Oposição dos grupos pró-canábis

Os grupos pró-canábis, liderados por figuras como Prasitchai Noonual, da Thai Cannabis Future Writing Network, ou Kitty Chopaka, opõem-se fortemente ao esforço de recriminalização. Estes grupos argumentam que a canábis tem benefícios significativos e apelaram a protestos, incluindo uma manifestação planeada para hoje, dia 8 de julho na Casa do Governo.

Apesar desta oposição, o governo parece estar determinado na sua decisão. O futuro da legalização da canábis na Tailândia dependerá da decisão final da ONCB e das acções subsequentes do Ministério da Saúde Pública.

 

____________________________________________________________________________________________________

[Aviso: Por favor, tenha em atenção que este texto foi originalmente escrito em Português e é traduzido para inglês e outros idiomas através de um tradutor automático. Algumas palavras podem diferir do original e podem verificar-se gralhas ou erros noutras línguas.]

____________________________________________________________________________________________________

O que fazes com 3€ por mês? Torna-te um dos nossos Patronos! Se acreditas que o Jornalismo independente sobre canábis é necessário, subscreve um dos níveis da nossa conta no Patreon e terás acesso a brindes únicos e conteúdos exclusivos. Se formos muitos, com pouco fazemos a diferença!

Clique aqui para comentar
Subscribe
Notify of

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Publicidade


Veja o Documentário "Pacientes"

Documentário Pacientes Laura Ramos Ajude-nos a crescer

Mais recentes

Cânhamo14 horas atrás

Portugal: Estudo revela disparidades alarmantes na rotulagem do CBD, que continua proibido no país

Um estudo recente sobre os produtos de CBD em Portugal revela disparidades alarmantes entre o conteúdo de canabinóides anunciado e...

Internacional14 horas atrás

Espanha: Câmara de Barcelona encerra dezenas de clubes de canábis

A Câmara Municipal de Barcelona deu início a uma forte repressão contra os clubes de canábis da cidade, ordenando o...

Internacional3 dias atrás

Alemanha aprova o primeiro clube social de canábis após a legalização

A Ministra da Agricultura da Baixa Saxónia, Miriam Staudte, anunciou esta segunda-feira que o seu gabinete autorizou o primeiro clube...

Cânhamo5 dias atrás

Tailândia cada vez mais perto de reclassificar a canábis e o cânhamo como substâncias controladas

A Tailândia deu mais um passo decisivo no sentido de voltar a proibir a canábis no país. Na passada sexta-feira,...

Internacional2 semanas atrás

Observatório Europeu da Droga e da Toxicodependência (OEDT) passa a ser Agência da União Europeia das Drogas (EUDA)

A 2 de Julho de 2024 o Observatório Europeu da Droga e da Toxicodependência (EMCDDA) passará a ser a Agência...

Eventos2 semanas atrás

ICRS – International Cannabinoid Research Society reúne médicos e investigadores em Salamanca para o 34º Simpósio sobre Canabinoides

Se pensa que a investigação com canábis é algo recente e que inda não há estudos suficientes… pense outra vez! É...

Crónica2 semanas atrás

Terroir 101 – Uma Introdução

Este artigo inicia uma série sobre temas necessários para os que acreditam que esta planta merece ser reverenciada e elevada...

Eventos3 semanas atrás

Editora do CannaReporter®, Laura Ramos, nomeada “Jornalista do Ano” nos prémios Business of Cannabis

A indústria da canábis está prestes a reunir-se em Londres para dois dias de Cannabis Europa e uma noite de...

Comunicados de Imprensa3 semanas atrás

Cannabis Europa recebe líderes europeus e norte-americanos em Londres para capitalizar o mercado europeu da canábis

A indústria norte-americana de canábis está a criar um movimento significativo através do Atlântico, à medida que os líderes deste...

Internacional4 semanas atrás

Polícia alemã esclarece que não sugeriu consumo de canábis (em vez de álcool) aos adeptos ingleses do Euro 2024

A polícia de Gelsenkirchen, na Alemanha, foi citada numa notícia onde afirmou que as atenções estariam mais centradas nos adeptos...