Connect with us

Cânhamo

Observatório Europeu das Drogas atento ao estatuto legal do CBD

Publicado

em

Ouvir este artigo
Foto: D.R. | Dianova, EMCDDA Lisbon

O Observatório Europeu da Droga e da Toxicodependência (OEDT ou EMCDDA na sigla em inglês), com sede em Lisboa, publicou um relatório com a sua visão sobre a comercialização de produtos à base de CBD, com baixo teor de THC, após realizar um estudo que teve início em 2018. O Observatório pronuncia-se assim sobre o estatuto legal e comercial do CBD e dos produtos à base de canábis na Europa, que tem gerado bastante confusão.

“Os objectivos específicos foram identificar e explorar ainda mais os tipos de produtos disponíveis e a variedade de pontos de venda, perfis de utilizadores, danos associados e respostas obtidas em diferentes países da UE”, escrevem os autores.

O Observatório aponta várias questões prementes com o marketing e promoção de alguns produtos com CBD em toda a Europa, incluindo a rotulagem inadequada do produto, o conteúdo inconsistente, a potencial má qualidade, a falta de reconhecimento das limitações ou o exagero sobre a eficácia dos produtos de CBD para uso terapêutico.

A falta de informação sobre o perfil de segurança ou sobre potenciais efeitos adversos ou contra-indicações foi outra das questões consideradas pelo estudo e para as quais este novo relatório alerta.

Os autores reconheceram vários desenvolvimentos regulatórios na Europa desde que a pesquisa foi lançada em 2018, não esquecendo a decisão histórica do Tribunal de Justiça Europeu sobre a proibição do CBD em França e a decisão da Comissão Europeia voltar atrás na decisão de categorizar o CBD como um narcótico.

O Observatório confirmou que a decisão do Tribunal de Justiça Europeu no caso Kanavape – em que os cinco juízes presidentes disseram que o CBD não era uma droga no sentido de um tratado global de drogas – teve implicações para a interpretação da UE sobre a legislação ligada à produção e comercialização de produtos de canábis com baixo teor de THC. “Essas implicações podem ser abordadas num futuro próximo”, refere o OEDT.

Em Portugal há mais de 70 lojas de canábis a vender produtos com CBD. Só na região de Lisboa contam-se cerca de 20. Cannabis Store Amsterdam, na Rua dos Bacalhoeiros. Foto: Laura Ramos

OEDT preocupado com informações pouco claras para o consumidor

As preocupações em torno do conteúdo de vestígios de THC em vários produtos à base de canábis foram também discutidas, incluindo os desafios de definir limites apropriados de THC através de legislação nacional. O OEDT observou que a percentagem de THC pode ser medida e referida em vários níveis, entre os quais:

O nível de THC que uma certa variedade de planta de cannabis normalmente produz;
Os níveis de THC encontrados nas diferentes partes da planta, que servem para distinguir quais partes da planta podem ser usadas para fins industriais sem testes extensivos ou o que pode ser útil para desviar para a extracção ilegal de THC;
O nível de THC encontrado nos extractos, que pode ser usado para indicar se um extracto tem
propriedades tóxicas ou não;
O nível de THC encontrado no produto final, como por exemplo um produto comestível;

O OEDT observou ainda que, embora seja mais fácil para um produtor ou processador testar uma planta ou extracto específico e controlar o THC no estágio de ingrediente, o nível de THC no produto final é “mais relevante” para a segurança do consumidor.

“É possível cultivar cânhamo com baixo teor de THC e a partir dele produzir um extracto com alto teor de THC, destacando a importância de se considerar o produto final e não apenas o insumo”, escreveu a agência. “Na rotulagem de produtos, os legisladores têm de abordar não apenas os limites de segurança, mas também a mensagem confusa dada ao consumidor, usando diferentes medições de conteúdo de THC e CBD e se a percentagem de THC, dose máxima por dia ou proporção de THC para CBD deve ser usado ”, lê-se no relatório.

“É importante reconhecer que esta é uma área em rápida evolução e actualmente relativamente limitada em termos de informações disponíveis”, escreveram ainda os autores.

“As descobertas apresentadas aqui serão necessariamente incompletas e precisam ser vistas como uma introdução à situação e às questões pertinentes, além de fornecer uma plataforma para pesquisas e monitoramento adicionais”, conclui o relatório.

 

____________________________________________________________________________________________________

[Aviso: Por favor, tenha em atenção que este texto foi originalmente escrito em Português e é traduzido para inglês e outros idiomas através de um tradutor automático. Algumas palavras podem diferir do original e podem verificar-se gralhas ou erros noutras línguas.]

____________________________________________________________________________________________________

O que fazes com 3€ por mês? Torna-te um dos nossos Patronos! Se acreditas que o Jornalismo independente sobre canábis é necessário, subscreve um dos níveis da nossa conta no Patreon e terás acesso a brindes únicos e conteúdos exclusivos. Se formos muitos, com pouco fazemos a diferença!

+ posts
Clique aqui para comentar
Subscribe
Notify of

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Publicidade


Veja o Documentário "Pacientes"

Documentário Pacientes Laura Ramos Ajude-nos a crescer

Mais recentes

Eventos1 semana atrás

CannaTrade regressa a Zurique de 24 a 26 de Maio

A CannaTrade – Feira e Festival Internacional do Cânhamo de Zurique atinge em 2024 a maioridade, celebrando a sua 18ª...

Comunicados de Imprensa1 semana atrás

Grupo SOMAÍ e a sua subsidiária RPK Biopharma ampliam parceria com Cookies para incluir Europa e Reino Unido

LISBOA, PORTUGAL, 16 de maio de 2024 /EINPresswire.com/ — O Grupo SOMAÍ (“SOMAÍ”) e a sua subsidiária, RPK Biopharma expandiram...

Nacional2 semanas atrás

Portugal: Consumo estimado de CBD aumenta, apesar da proibição

O relatório “Cannabis in Portugal”, realizado pela Euromonitor International, divulgou os dados mais recentes sobre a indústria da canábis, os...

Nacional2 semanas atrás

“Canábis. Maldita e Maravilhosa”, de Margarita Cardoso de Meneses, chega às livrarias a 16 de Maio

Margarita Cardoso de Meneses, colaboradora do CannaReporter®, acaba de publicar o livro “Canábis. Maldita e Maravilhosa”, editado pela Oficina do...

Comunicados de Imprensa2 semanas atrás

Montemor-o-Velho: Detido por cultivo de canábis

O Comando Territorial de Coimbra, através do Núcleo de Investigação Criminal (NIC) do Destacamento Territorial de Montemor-o-Velho, hoje, dia 9...

Eventos2 semanas atrás

PTMC – Portugal Medical Cannabis reúne indústria da canábis medicinal a 22 de Maio, em Lisboa

A PTMC – Portugal Medical Cannabis vai reunir os profissionais da indústria da canábis medicinal no próximo dia 22 de...

Corporações2 semanas atrás

EUA: MedMen declara falência com 400 milhões de dólares de dívidas

A gigante norte-americana da canábis MedMen entrou em colapso sob o peso da sua dívida, anunciando na semana passada que...

Notícias3 semanas atrás

Estudo revela que legalização da canábis não aumenta consumo de outras substâncias

Um dos argumentos mais usados contra a legalização da canábis para uso adulto ou recreativo tem sido a ideia de...

Cânhamo3 semanas atrás

Letónia: Hemp School, da Obelisk Farm, é finalista do Prémio EFT Green Skills 2024

A Obelisk Farm continua a ser reconhecida mundo fora pela sua abordagem sui generais à exploração do cânhamo industrial. O projecto familiar, que...

Eventos3 semanas atrás

EUA: CannMed 24 Innovation & Investment Summit regressa a Marco Island, na Florida, de 12 a 15 de Maio

É uma das mais importantes conferências científicas sobre a indústria da canábis medicinal e regressa a Marco Island, na Florida,...