Connect with us

Internacional

Brasil: Marcas exploram marketing da canábis em produtos sem canábis

Publicado

em

Ouvir este artigo
O creme hidratante explora o nome e a folha da canábis, mas não tem canábis. Foto: D.R.

O mercado da canábis não-medicinal está a reinventar-se cada vez mais no Brasil. Algumas empresas estão a fazer sucesso com cosméticos, outras vendem suplementos de proteína para atletas e a última moda são os bombons em forma de flores de canábis. Tudo isto seria maravilhoso se os produtos realmente tivessem canábis, mas tanto o hidratante como a proteína e os bombons apenas exploram o marketing da planta: os produtos não contêm nada derivado da canábis.

A agência de vigilância sanitária do Brasil, a Anvisa, permite apenas o uso da canábis para fins medicinais e somente através da importação. Plantar canábis também não é, teoricamente, permitido no Brasil. Além disso, a canábis para fins cosméticos, alimentares ou têxteis não está prevista na lei. A legislação, contudo, não reflecte um cenário de ebulição desses produtos em todo o mundo. Para não perder essa onda, os empresários usam a criatividade para aproveitar o momento de crescimento do sector da canábis e todo o apelo que o tema gera nos activistas da causa.

Foi o que fez o farmacêutico e bioquímico Rafael Borges, que se juntou ao empresário Bohumil Bartonicek para fundar a Cannabingredients, cujo principal produto é o Hemp Protein. A empresa processa cânhamo cultivado na China para produção de proteína em pó. O produto é voltado para a suplementação alimentar de atletas.

“Apesar de não ter cânhamo, o produto leva HEMP no nome e a embalagem é ilustrada com folhas de canábis”.

“Quando a gente começou a identificar que os alimentos de cânhamo são muito comuns fora do Brasil e que aqui ficavam num limbo legal, a gente falou ‘pronto é isso que a gente quer’, porque não tem gente explorando isso e a nossa meta é popularizar a canábis, não só na parte medicinal, mas também alimentar. Então por isso a gente escolheu o alimento com a parte macro nutricional que é a proteína”, explicou Bohumil.

Segundo Rafael Borges, o atleta garante uma melhora de carga proteica e recupera o músculo de forma muito mais rápida com a proteína do cânhamo do que com o whey protein e de uma forma muito mais saudável. Porém, os brasileiros não podem vender o produto no país natal. Hoje, o Hemp Protein está disponível nos EUA, Canadá, Equador e Uruguai. No Brasil, a solução foi colocar no mercado o “Like Hemp Protein”, que é a base das proteínas da ervilha, arroz e fava.

Like Hemp Protein, suplemento proteico com nome e folhas de ‘hemp’, mas sem o ‘hemp’

“Eu comecei a pesquisar profundamente os benefícios do cânhamo para a saúde. Mas chamou atenção a quantidade de BCA, que são três aminoácidos essenciais: Leucina, Isoleucina, Valina. E o cânhamo possui uma propriedade desses BCAs muito relevante. Nós testamos mais de 10 proteínas para chegar a um produto que tivesse a mesma concentração e proporção de BCAs”, garante o cientista. Apesar de não ter cânhamo, o produto leva HEMP no nome e a embalagem é ilustrada com folhas de canábis.

Mais audaciosos foram os empresários da Croc Buds, uma marca de bombons que imitam o formato de uma flor de canábis. O produto também é livre de qualquer derivado da planta. O ingrediente mais próximo da canábis que os bombons têm são os terpenos, como o diesel ou o lime kush, porém oriundos de outras plantas. Apesar de não conter canábis, o produto promete experiências relaxantes, revigorantes ou que promovem a criatividade. Mas, para não ficar tão longe do universo canábico, a Croc Buds também comercializa itens para o uso adulto, como piteiras.

À procura de alternativas para a proibição

Além do uso comestível, a canábis também está a ser explorada mundo afora como um produto cosmético, seja pelos seus efeitos calmantes, analgésicos e anti-inflamatórios, seja também pelo seu aroma perfumado. E no Brasil, o quarto maior mercado de produtos cosméticos do mundo, as empresas olham com muito interesse.

Além dos próprios canabinóides, como o CBD e o THC, comuns em produtos medicinais, o óleo da semente do cânhamo também tem propriedades benéficas para a pele. 

Mas num cenário de proibição, as empresas têm procurado alternativas para o mercado brasileiro. Nesse sentido, a Beraca, empresa especializada no desenvolvimento de tecnologias e matérias-primas para a indústria de cosméticos e farmacêutica, lançou o que eles chamam de “uma alternativa legal ao canabidiol”, o Beracare Cannabinoid Active System (CBA).

Segundo a empresa, o composto é uma mistura de óleos amazónicos e, assim como o canabidiol, seria um fitocanabinóide responsável pela produção de beta-endorfinas que promovem a sensação de bem-estar, redução da inflamação e melhorias na cicatrização da pele.

Croc Buds, bombons de chocolate no formato de canábis, mas sem qualquer canábis

“Estamos felizes por manter o nosso pioneirismo com o lançamento de um produto 100% natural, brasileiro e legalizado. Embora o nome remeta para o Canabidiol, o Beracare CBA não possui nenhum componente ligado propriamente à canábis sativa na sua fórmula”, afirma Marianna Cyrillo, gerente de Comunicação e Marketing da Beraca.

No entanto, segundo a farmacêutica e bioquímica Luzia Sampaio, pós-doutorada em Fisiologia com ênfase na canábis medicinal, o CBD é basicamente composto por beta-cariofileno, um terpeno bastante presente na canábis e noutras plantas, mas não pode ser chamado de “fitocanabinóide”.

“Eles usam o óleo de copaíba, que é rico em beta-cariofileno, mas nem sequer doseiam os níveis dessa substância. O beta-cariofileno é um terpeno que apresenta, sim, actividade canabi-mimética, mas quando administrado em altas doses. Ele não é um canabinóide e não pode ser tratado como se fosse”, pondera.

Este cenário pode mudar, ainda em 2022, quando for votado pelos parlamentares brasileiros um projecto de lei que legaliza o cultivo de canábis para fins medicinais e também industriais, onde está incluído o uso em alimentos e cosméticos. A proposta já passou numa comissão.

O momento político do Brasil, no entanto, não é favorável à aprovação desse tema, já que o presidente Jair Bolsonaro é um opositor radical da canábis. Os deputados que apoiam o projecto acreditam que apenas em 2023, numa eventual vitória do candidato de oposição, Lula da Silva, o projecto possa ter chance de ser aprovado e finalmente a canábis ser legalizada no Brasil.
___________________________________________________________________
Este artigo foi originalmente publicado na edição #6 da Cannadouro Magazine

 

____________________________________________________________________________________________________

[Aviso: Por favor, tenha em atenção que este texto foi originalmente escrito em Português e é traduzido para inglês e outros idiomas através de um tradutor automático. Algumas palavras podem diferir do original e podem verificar-se gralhas ou erros noutras línguas.]

____________________________________________________________________________________________________

O que fazes com 3€ por mês? Torna-te um dos nossos Patronos! Se acreditas que o Jornalismo independente sobre canábis é necessário, subscreve um dos níveis da nossa conta no Patreon e terás acesso a brindes únicos e conteúdos exclusivos. Se formos muitos, com pouco fazemos a diferença!

Clique aqui para comentar
Subscribe
Notify of

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Publicidade


Veja o Documentário "Pacientes"

Documentário Pacientes Laura Ramos Ajude-nos a crescer

Mais recentes

Eventos22 horas atrás

ICBC Berlim volta a brilhar. É o início de uma nova era para a indústria da canábis na Alemanha

A ICBC Berlin foi a primeira grande conferência internacional sobre canábis a ocorrer após a legalização do uso adulto na...

Eventos3 dias atrás

O 4:20 está a chegar e há celebrações no Porto e em Lisboa

A data da celebração da cultura da canábis está a chegar! Este sábado, 20 de Abril, é o dia em...

Internacional6 dias atrás

Paul Bergholts, alegado líder da Juicy Fields, detido na República Dominicana

Paul Bergholts, o alegado líder do esquema em pirâmide Juicy Fields, terá sido detido na República Dominicana e será submetido a...

Saúde1 semana atrás

Canabinóides revelam resultados promissores no tratamento do Transtorno da Personalidade Borderline

Uma investigação levada a cabo pela Khiron LifeSciences e coordenada por Guillermo Moreno Sanz sugere que os medicamentos à base de...

Internacional1 semana atrás

Caso Juicy Fields: 9 detidos pela Europol e Eurojustice. Burla ultrapassa 645 milhões de euros

Uma investigação conjunta conduzida por várias autoridades europeias, apoiadas pela Europol e pela Eurojust, culminou na detenção de nove suspeitos...

Internacional2 semanas atrás

Utilizadores regulares de canábis podem necessitar de mais anestesia durante procedimentos médicos

Os utilizadores regulares de canábis podem necessitar de mais anestesia durante os procedimentos médicos para permanecerem sedados, se comparados com...

Internacional2 semanas atrás

O futuro do CBD no Japão: Como as reformas legais irão moldar o mercado

No final do ano passado, o Japão deu um grande passo em direcção à reforma da canábis depois de aprovar...

Nacional2 semanas atrás

Portugal: GreenBe Pharma obtém certificação EuGMP nas instalações de Elvas

A GreenBe Pharma, uma empresa de canábis medicinal localizada em Elvas, Portugal, obteve a certificação EU-GMP, ao abrigo dos regulamentos...

Nacional3 semanas atrás

Álvaro Covões, da Everything is New, compra instalações da Clever Leaves no Alentejo por 1.4 milhões de euros

Álvaro Covões, fundador e CEO da agência promotora de espectáculos ‘Everything is New‘, que organiza um dos maiores festivais de...

Eventos3 semanas atrás

ICBC regressa a Berlin a 16 e 17 de Abril

É uma das maiores e mais reconhecidas conferências de B2B sobre canábis da Europa e regressa a Berlim já nos...