Connect with us

Internacional

Canadá: 5 anos depois da legalização, estudo revela “modesto aumento” do consumo de canábis

Publicado

em

Ouvir este artigo

Um estudo longitudinal realizado por investigadores da universidade de McMaster (Canadá), Waterloo (Canadá) e Memphis (EUA) e publicado no final de Setembro, revelou que as previsões apocalípticas dos políticos mais conservadores não se concretizaram: a utilização de canábis entre os jovens não disparou, o consumo problemático entre o grupo etário que apresenta maior prevalência de utilização também não, e o uso entre os consumidores mais antigos até diminuiu.

Em 2018, o Canadá regulamentou a canábis para uso adulto. Uma década é o tempo mais ou menos recomendado para se poder avaliar o impacto de uma mudança de paradigma destas dimensões. Mas cinco anos volvidos desde a legalização, já é possível tirar algumas ilações.

Num grupo de estudo de 619 “jovens adultos de alto risco”, residentes no Ontário, a média da frequência de uso de canábis diminuiu em relação ao que era habitual pré-legalização, assim como as consequências associadas a esse uso; mas o padrão de frequência de uso alterou-se significativamente.

“Aqueles que consumiam canábis com frequência durante a pré-legalização, mostraram uma redução do uso consistente com o envelhecimento dos consumidores; e aqueles que não usavam canábis pré-legalização mostraram um aumento modesto do consumo”, conclui o estudo. Portanto, o consumo médio diminuiu, mas entre os novos consumidores houve um ligeiro aumento. No entanto, as consequências associadas ao consumo não acompanharam essa subida.

O estudo durou três anos consecutivos, avaliando jovens dos 19,5 aos 23 anos de idade (55,9 % mulheres), grande parte deles com episódios regulares de consumo intenso de álcool, dos quais 65% tinham usado canábis nos 30 dias anteriores ao início do estudo.

Este estudo confirma o que já se tinha verificado um ano antes com a divulgação de um artigo publicado na revista “Frontiers in Psychiatry”, em 2022, elaborado por vários investigadores do Centre for Addiction and Mental Health e dos Departamentos de Psiquiatria, Farmacologia e Toxicologia da Universidade de Toronto, com base nos diversos inquéritos feitos por diferentes organismos do país desde a legalização.

“O Canadá tem um dos níveis de consumo de canábis entre adolescentes mais altos do mundo; e a prevalência de uso entre a juventude canadiana é cerca do dobro da prevalência de uso entre outras populações de 25 anos ou mais. No entanto, os dados dos anos pré-legalização mostram uma tendência a diminuir no uso de canábis por adolescentes”, resumiam os autores.

Embora alguns dos inquéritos consultados tivessem resultados contraditórios, uns apontando para uma diminuição do consumo entre adolescentes e outros alegando que houve um aumento, a conclusão é que “estatisticamente falando” esse aumento era inexpressivo. O Canadian Cannabis Survey de 2021, por exemplo, apontava para um aumento do uso de 36% para 44% entre 2017 e 2021 nos jovens dos 16 aos 19 anos; e de 44% para 52% entre 2018 e 2020, na faixa etária dos 20 aos 24 anos. Um aumento médio de 7%, similar ao aumento em todas as faixas etárias entre 2018 e 2022 (de 21,9% a 27,2%) o que, realmente, fica bastante longe das previsões fatalistas iniciais.

Por outro lado, no mesmo artigo referem que em 2022, 61% dos consumidores afirmou comprar habitualmente a sua canábis em estabelecimentos legais e mais 8% em lojas online legais. Não se fala de quantos utilizadores recorrem ao cultivo, sendo que este só é legal em alguns distritos (até 4 plantas por habitação) mas certamente se pratica em todo o país.

A legalização no Canadá permite ainda a venda de canábis a jovens a partir dos 18 ou dos 21 anos dependendo dos distritos, que apenas podem ter na sua posse até 30 gramas de canábis seca ou o equivalente em produto fresco.

São precisos mais alguns anos para avaliar se a diferença na qualidade dos produtos de canábis no mercado regulado irá ter um impacto significativo nos possíveis problemas associados ao consumo desta substância a longo prazo. Voltando ao primeiro estudo, a tendência parece ser para diminuírem, mas só com o tempo se saberá se em termos de redução de danos, a legalização é realmente vantajosa – apesar de se poderem verificar pequenos aumentos no consumo.

 

____________________________________________________________________________________________________

[Aviso: Por favor, tenha em atenção que este texto foi originalmente escrito em Português e é traduzido para inglês e outros idiomas através de um tradutor automático. Algumas palavras podem diferir do original e podem verificar-se gralhas ou erros noutras línguas.]

____________________________________________________________________________________________________

O que fazes com 3€ por mês? Torna-te um dos nossos Patronos! Se acreditas que o Jornalismo independente sobre canábis é necessário, subscreve um dos níveis da nossa conta no Patreon e terás acesso a brindes únicos e conteúdos exclusivos. Se formos muitos, com pouco fazemos a diferença!

+ posts
Clique aqui para comentar
Subscribe
Notify of

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Publicidade


Veja o Documentário "Pacientes"

Documentário Pacientes Laura Ramos Ajude-nos a crescer

Mais recentes

Eventos1 semana atrás

CannaTrade regressa a Zurique de 24 a 26 de Maio

A CannaTrade – Feira e Festival Internacional do Cânhamo de Zurique atinge em 2024 a maioridade, celebrando a sua 18ª...

Comunicados de Imprensa1 semana atrás

Grupo SOMAÍ e a sua subsidiária RPK Biopharma ampliam parceria com Cookies para incluir Europa e Reino Unido

LISBOA, PORTUGAL, 16 de maio de 2024 /EINPresswire.com/ — O Grupo SOMAÍ (“SOMAÍ”) e a sua subsidiária, RPK Biopharma expandiram...

Nacional2 semanas atrás

Portugal: Consumo estimado de CBD aumenta, apesar da proibição

O relatório “Cannabis in Portugal”, realizado pela Euromonitor International, divulgou os dados mais recentes sobre a indústria da canábis, os...

Nacional2 semanas atrás

“Canábis. Maldita e Maravilhosa”, de Margarita Cardoso de Meneses, chega às livrarias a 16 de Maio

Margarita Cardoso de Meneses, colaboradora do CannaReporter®, acaba de publicar o livro “Canábis. Maldita e Maravilhosa”, editado pela Oficina do...

Comunicados de Imprensa2 semanas atrás

Montemor-o-Velho: Detido por cultivo de canábis

O Comando Territorial de Coimbra, através do Núcleo de Investigação Criminal (NIC) do Destacamento Territorial de Montemor-o-Velho, hoje, dia 9...

Eventos2 semanas atrás

PTMC – Portugal Medical Cannabis reúne indústria da canábis medicinal a 22 de Maio, em Lisboa

A PTMC – Portugal Medical Cannabis vai reunir os profissionais da indústria da canábis medicinal no próximo dia 22 de...

Corporações2 semanas atrás

EUA: MedMen declara falência com 400 milhões de dólares de dívidas

A gigante norte-americana da canábis MedMen entrou em colapso sob o peso da sua dívida, anunciando na semana passada que...

Notícias3 semanas atrás

Estudo revela que legalização da canábis não aumenta consumo de outras substâncias

Um dos argumentos mais usados contra a legalização da canábis para uso adulto ou recreativo tem sido a ideia de...

Cânhamo3 semanas atrás

Letónia: Hemp School, da Obelisk Farm, é finalista do Prémio EFT Green Skills 2024

A Obelisk Farm continua a ser reconhecida mundo fora pela sua abordagem sui generais à exploração do cânhamo industrial. O projecto familiar, que...

Eventos3 semanas atrás

EUA: CannMed 24 Innovation & Investment Summit regressa a Marco Island, na Florida, de 12 a 15 de Maio

É uma das mais importantes conferências científicas sobre a indústria da canábis medicinal e regressa a Marco Island, na Florida,...