Connect with us

BusinessCann

Novo programa piloto pode dar acesso a canábis medicinal aos pacientes na Ilha de Man

Publicado

em

Ouvir este artigo
Texto e Foto: BusinessCann

Os 83 mil habitantes da Ilha de Man poderão ter acesso a canábis medicinal pela primeira vez em breve, com os planos do Departamento de Saúde e Assistência Social (DHSC) para o lançamento de um programa piloto.

Artigo originalmente publicado por Ben Stevens na BusinessCann

A 31 de março de 2022, o DHSC anunciou que estava a procurar uma parceria com uma farmácia comunitária na ilha para importar e dispensar medicamentos à base de cannabis (CBMPs). Embora a Dependência da Coroa tenha lutado para superar o resto do Reino Unido em termos de regulamentação da canábis, aprovando uma lei em janeiro de 2021 que permitia o cultivo, distribuição e exportação de canábis, continua a ser quase impossível para seus habitantes aceder a canábis medicinal.

Este novo piloto está pronto para ver essa mudança e poderá fornecer uma oportunidade para corrigir alguns dos problemas que afetam a indústria de canábis medicinal em todo o Reino Unido.

O projecto piloto

O DHSC está a recolher inscrições por meio de um portal de compras on-line de 30 de março a 20 de abril de 2022. De acordo com o site oficial do governo da Ilha de Man, está a planear operacionalizar um projecto piloto com a duração de no “mínimo de 12 meses” para fornecer CBMPs prescritos de forma privada aos habitantes da ilha.

Um porta-voz do governo da Ilha de Man disse que “prevê-se que a adjudicação do contrato seja emitida em maio, com o projecto piloto estará operacional só em Agosto. No entanto, isso depende do planeamento e da mobilização.’

Os candidatos devem atender a uma série de critérios para serem considerados. Isso inclui possuir instalações na ilha para estocar e distribuir produtos. “A organização será avaliada com base em critérios de qualidade que insistem em que o provedor tenha um dispensário local na Ilha de Man.” Os candidatos devem também possuir todas as qualificações, certificações e licenças necessárias para manusear substâncias controladas e ser capazes de fornecer aconselhamento clínico e suporte aos pacientes.

As regulamentações do projecto também estipulam que os candidatos deverão trabalhar em estreita colaboração com o Departamento de Saúde, para monitorar os níveis de serviço e a frequência de dispensa, e serão responsáveis ​​por todas as devidas diligências e verificações governamentais.

Uma ‘Oportunidade Maravilhosa’

As mudanças na lei do Reino Unido trazidas em novembro de 2018, permitiram que médicos especialistas prescrevam canábis medicinal, e já se estenderam às Dependências da Coroa do Reino Unido, incluindo a Ilha de Man. Desde então, a base de pacientes de canábis medicinal do Reino Unido expandiu-se rapidamente. Os números do mais recente Relatório Europeu de Canábis da Prohibition Partners sugerem que o número de produtos de canábis medicinal não licenciados dispensados ​​por prescrição privada disparou 425% no ano passado, para 23.466.

Apesar disso, o DHSC até agora não emitiu licenças de importação para a ilha, tornando a importação de CBMP para a ilha efectivamente ilegal e deixando muitos pacientes em potencial sem acesso. Steve Oliver, cofundador e diretor da The Canna Consultants, que foi contratado pelo governo da Ilha de Man para elaborar a estrutura legislativa e regulatória para a indústria, explicou que, como actualmente não é legal trazer medicamentos de canábis para a ilha, o governo tem que mudar fundamentalmente este sistema. “Isto é uma oportunidade maravilhosa de olhar para os erros que foram cometidos.”

No entanto, ele levantou preocupações de que, como a Dependência da Coroa actualmente não possui seu próprio regulador de medicamentos, isso poderá favorecer empresas do continente que já obtiveram a aprovação do MHRA e estabeleceram cadeias de produção confiáveis. Além disso, com uma população abaixo de 100.000 habitantes, o potencial demográfico de pacientes particulares dificilmente seria amplo o suficiente para sustentar um negócio que atendesse apenas aos residentes.

Se for seguido esse caminho, de clonar efectivamente o modelo usado em todo o Reino Unido, seria uma “oportunidade perdida de melhorar o sistema”, que exige que os pacientes paguem centenas de libras por mês do seu próprio dinheiro para acessar os CBMPs. Oliver sugeriu que gostaria de ver o governo chegar aos pacientes em vez de apenas às empresas para estabelecer os problemas com o sistema existente, enquanto potencialmente introduzia esquemas ‘filantrópicos’ para oferecer assistência pro-bono a alguns pacientes em troca de dados que poderia ser usado para informar ensaios clínicos.

“O que eu categorizaria como positivo é que enquanto eles estão a incentivar as pessoas a fazer pedidos de licença na ilha, se contrata uma empresa de fora da ilha, que tem o monopólio, digamos para abastecer o mercado de residentes, isso deixa de ser encorajador para a produção pelas pessoas. Então, o que eles estão a fazer é limitar o projecto a um ano de teste.”

Matt Lawson, cofundador da The Canna Consultants e administrador da I Am Billy Foundation (uma fundação administrada com Charlotte Caldwell, mãe de Billy Calwell, que visa aumentar o acesso dos pacientes à canábis medicinal e está envolvida em ensaios que buscam obter Evidência da eficácia dos CBMPs) acrescentou: “Isto dá uma oportunidade real aos pacientes da Ilha de Man de contribuir para o crescente corpo de evidências que traçam os resultados positivos dos CBMPs e para a Ilha de Man se marcar como líder na recolha de tais dados – mas deve ser direcionada para aqueles que realmente precisam desses medicamentos, e não para aqueles com capacidade de pagar por eles.”

 

____________________________________________________________________________________________________

[Aviso: Por favor, tenha em atenção que este texto foi originalmente escrito em Português e é traduzido para inglês e outros idiomas através de um tradutor automático. Algumas palavras podem diferir do original e podem verificar-se gralhas ou erros noutras línguas.]

____________________________________________________________________________________________________

O que fazes com 3€ por mês? Torna-te um dos nossos Patronos! Se acreditas que o Jornalismo independente sobre canábis é necessário, subscreve um dos níveis da nossa conta no Patreon e terás acesso a brindes únicos e conteúdos exclusivos. Se formos muitos, com pouco fazemos a diferença!

+ posts

Sou um dos directores do CannaReporter, que fundei em conjunto com a Laura Ramos. Sou natural da inigualável Ilha da Madeira, onde resido actualmente. Enquanto estive em Lisboa na FCUL a estudar Engenharia Física, envolvi-me no panorama nacional do cânhamo e canábis tendo participado em várias associações, algumas das quais, ainda integro. Acompanho a industria mundial e sobretudo os avanços legislativos relativos às diversas utilizações da canábis.

Posso ser contactado pelo email joao.costa@cannareporter.eu

Clique aqui para comentar
Subscribe
Notify of

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Publicidade


Veja o Documentário "Pacientes"

Documentário Pacientes Laura Ramos Ajude-nos a crescer

Mais recentes

Internacional19 horas atrás

Polícia alemã esclarece que não sugeriu consumo de canábis (em vez de álcool) aos adeptos ingleses do Euro 2024

A polícia de Gelsenkirchen, na Alemanha, foi citada numa notícia onde afirmou que as atenções estariam mais centradas nos adeptos...

Eventos1 dia atrás

Substâncias sintéticas ameaçam enorme sucesso da Mary Jane Berlin

Era expectável que esta edição da Mary Jane Berlin fosse a maior concentração de sempre da comunidade da canábis na...

Nacional3 dias atrás

ICAD promove inquérito europeu sobre consumo de drogas em Portugal

O Instituto para os Comportamentos Aditivos e as Dependências (ICAD) iniciou a 4ª edição do European Web Survey on Drugs...

Eventos4 dias atrás

Maren Krings, autora do livro “H is for Hemp”, apresenta documentário sobre a Ucrânia hoje, em Lisboa

Maren Krings, fotojornalista e autora do livro “H is for Hemp” está hoje em Lisboa para apresentar o seu novo...

Internacional6 dias atrás

EUA: Pediatra Bonni Goldstein lança petição contra a proibição de medicamentos de CBD natural na Califórnia

A pediatra norte-americana Bonni Goldstein está a alertar para a tentativa de proibição de medicamentos derivados de CBD natural na...

Internacional6 dias atrás

Europa tem quase 23 milhões de utilizadores de canábis, a mais consumida de todas as substâncias ilícitas

A canábis continua a ser, de longe, a substância ilícita mais consumida na Europa. Estas são as conclusões do “Relatório...

Eventos7 dias atrás

Mary Jane celebra a cultura da canábis legal pela primeira vez na Alemanha

É já no próximo fim-de-semana, de 14  16 de Junho, que se realiza a já habitual Mary Jane, na Messe...

Eventos2 semanas atrás

CB Club reúne profissionais da canábis antecipando a Mary Jane, em Berlim

A antecipar a CB Expo (Cannabis Business Expo and Conference), que acontecerá em Dortmund, em Setembro, a CB Company vai...

Reportagem2 semanas atrás

África do Sul: a legalização de uma indústria que já prospera

Nas semanas que antecederam as eleições para Assembleia Geral na África do Sul, na passada quarta-feira, 29 de Maio, havia...

Entrevistas2 semanas atrás

Rui Reininho: “Eu acho esquisitíssimo andarem os meus colegas da GNR a meter o nariz nas propriedades das pessoas a ver o que é que esta planta faz”

Rui Reininho, músico português que ficou famoso enquanto vocalista dos GNR, dispensa apresentações. Ao contrário do que muitos pensam, não fundou...