Connect with us
Publicidade
Publicidade

Cânhamo

EUA: Senador do Kentucky propõe 1% como limite de THC para o cânhamo

Publicado

em

Foto: D.R.

O senador do Kentucky, Rand Paul (R-KY), apresentou um projecto de lei para triplicar a concentração de THC nas plantas de cânhamo, abordando várias preocupações que a indústria expressou sobre as propostas de regulamentos federais para a cultura.

O cânhamo e seus derivados foram legalizados aquando a aprovação da Farm Bill em 2018 e o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) começou rapidamente a trabalhar e a desenvolver regras para o novo mercado. No entanto, as partes interessadas da indústria têm protestado fortemente contra certas regulamentações restritivas, pelo facto de resultarem numa inibição do crescimento do sector.

A nova Lei do Plano de Mobilização Económica do Cânhamo de Rand Paul visa resolver esses problemas ao definir quatro regras específicas para o sector.

A reclamação mais comum que os legisladores recebem é que o cânhamo é definido pelo governo federal como contendo não mais do que 0,3% de THC. Os agricultores argumentam que o valor é muito baixo e, portanto, a nova legislação pretende aumentar esse limite para um por cento.

Também abordaria problemas com os requisitos e procedimentos de testes de acordo com os regulamentos propostos pelo USDA. A agência regulamentou que os produtores de cânhamo tenham uma janela de 15 dias para testar a flor das colheitas, de forma a garantir que a concentração de THC está dentro dos limites permitidos. Mas testar as flores pode ser oneroso e os agricultores defendem-se com a consequência que estes custos podem representar para a sustentabilidade financeira do sector, principalmente pelo facto de o THC da planta ser significativamente afectado por factores ambientais.

Para resolver esse problema, o senador está a pressionar para que os próprios produtos finais de cânhamo sejam testados, em vez da flor inicial da planta.

A legislação também exige o estabelecimento de um “certificado de sementes” para acompanhar o cânhamo no transporte. Houve casos em que a polícia apreendeu o cultivo legal, por considerar que se tratava não de cânhamo mas de canábis ilícita. Para solucionar a questão, os processadores devem ter um certificado a estipular que o cânhamo transportado contém o limite legal de THC e atestar que as sementes estão certificadas para produzir menos do que esse valor.

Finalmente, o projecto de lei criará uma definição para a margem de erro relativa aos procedimentos de quantificação da percentagem de THC. Embora a regra actual para o cânhamo dê legitimidade para a DEA estipular essa margem, o senador Paul propõe “usar 0,075 por cento como a unidade de medida padrão”, dando aos agricultores e processadores as certezas que procuram com as análises.

“Durante anos, liderei a luta em Washington para restaurar uma das colheitas historicamente vitais do Kentucky por meio da legalização do cânhamo industrial”, disse o senador em comunicado à imprensa. “Alcançámos uma vitória difícil, mas ainda há muito trabalho a ser feito para evitar que o governo federal sobrecarregue os nossos agricultores com microgestão burocrática desnecessária.”

Leia a proposta na íntegra abaixo

488282346-Hemp-act-of-2020

Publicidade
Publicidade

Veja o Documentário "Pacientes"

Documentário Pacientes Laura Ramos Ajude-nos a crescer

Mais recentes

Internacional6 horas atrás

Como vão funcionar as associações de canábis em Malta?

A Autoridade para o Uso Responsável de Canábis (ARUC), entidade Maltesa com responsabilidade na regulamentação da indústria legal e recreativa...

Corporações6 horas atrás

Organigram notificada pela Nasdaq por falhar valor mínimo de negociação

A Organigram Holdings Inc. foi notificada pela Nasdaq de que terá até ao próximo mês de Julho para atingir o...

Cânhamo1 dia atrás

EUA: FDA recusa regulamentar CBD devido a preocupações de segurança

A Food and Drug Administration (FDA) rejeitou iniciar o processo de regulamentação do CBD em produtos alimentares, por não considerar...

Internacional1 dia atrás

Hong Kong: Proibição do CBD entra em vigor a 1 de Fevereiro, com multas milionárias e penas de prisão perpétua

Hong Kong vai classificar oficialmente o Canabidiol (CBD) como uma “droga perigosa” já a partir desta quarta-feira, 1 de Fevereiro,  e...

Internacional4 dias atrás

Japão dá passos para legalizar o uso medicinal de canábis

O governo do Japão está a considerar uma revisão da sua Lei de Controlo da Canábis, que permitiria o uso...

Comunicados de Imprensa5 dias atrás

EUA: Curaleaf encerra operações na Califórnia, Colorado e Oregon

A Curaleaf Holdings anunciou hoje em comunicado de Imprensa o encerramento proactivo da maioria das suas operações na Califórnia, Colorado...

Corporações5 dias atrás

Bedrocan expande produção de canábis medicinal para a Dinamarca

O produtor holandês de canábis medicinal Bedrocan vai abrir uma nova instalação na Dinamarca, de forma a responder à procura...

Internacional5 dias atrás

Malta: Registo para obter licenças de canábis inicia a 28 de Fevereiro

Já passou quase um ano desde que Malta aprovou a legislação para regulamentar o uso adulto da canábis, permitindo a posse...

Internacional6 dias atrás

França dá um passo em frente na legalização da canábis

O Conselho Económico, Social e Ambiental (Cese) de França propôs uma “legalização supervisionada” da canábis, num esforço para “ser orientado...

Comunicados de Imprensa6 dias atrás

Suíça: Linnea obtém licença para produção e exportação de API’s com alto teor de THC

A Linnea SA obteve a licença de narcóticos da Swissmedic, a equivalente suíça ao Infarmed I.P., tornando-a numa das primeiras...