Connect with us

Internacional

EUA: Mastercard proíbe transacções de canábis nos seus cartões

Publicado

em

Ouvir este artigo

Mastercard Inc. deu instruções aos processadores de pagamentos e aos bancos para deixarem de permitir transacções que envolvam canábis com os seus cartões de débito. Esta decisão é vista como um passo no sentido de uma maior transparência no sistema bancário, enquanto coloca desafios ao mercado. A relutância geral das redes de cartões em se envolver em transacções de canábis decorre da sua ilegalidade federal, apesar de ser legalizada em vários estados.

Ao tomar conhecimento da utilização de cartões de débito com PIN para compras relacionadas com canábis na sua rede, a Mastercard agiu rapidamente, lançando uma investigação sobre o assunto. Em conformidade com as suas políticas, a empresa instruiu as instituições financeiras que prestam serviços de pagamento a comerciantes de canábis a terminarem imediatamente estas actividades.

Na sequência da recepção de cartas de cessação e desistência da Mastercard, as empresas que anteriormente facilitavam os pagamentos por débito com PIN para a canábis estão agora a tentar encontrar soluções alternativas para os dispensários que dependem delas. Este desenvolvimento está a causar uma perturbação considerável, uma vez que a indústria procura formas de se adaptar à mudança de situação.

Enquanto a Mastercard toma uma posição, ainda não é claro se existem outras opções de pagamento digital para os compradores de canábis. A Visa Inc., outra grande rede de cartões, também fez esforços para restringir as compras de canábis na sua plataforma. A relutância geral das redes de cartões em se envolver em transacções de canábis tem essencialmente a ver com o facto de a canábis ser ilegal a nível federal, apesar de ser legalizada em vários estados.

Desafios para dispensários e consumidores

Com a repressão em vigor, os consumidores de canábis enfrentarão opções menos convenientes para comprar canábis em numerário. Embora isto possa ser uma vitória para os bancos e empresas de cartões de crédito, coloca desafios aos consumidores que preferem transacções digitais. A conveniência dos pagamentos com cartão vem muitas vezes acompanhada de sobretaxas pesadas, que eram uma fonte de receitas significativa para a indústria de processamento de pagamentos.

Esta onda de encerramentos é o mais recente desafio para as soluções de pagamento digital destinadas aos consumidores de canábis. Anteriormente, as caixas multibanco sem dinheiro tinham servido como uma opção proeminente, resultando numa lacuna de 7 mil milhões de dólares no sistema bancário.

No entanto, esse segmento enfrentou os seus próprios problemas quando dois indivíduos que dirigiam uma empresa ligada a caixas multibanco sem dinheiro foram acusados de abuso de informação privilegiada. Agora, as atenções estão viradas para as soluções de débito com PIN, que surgiram como uma alternativa viável para a compra de canábis.

Para os dispensários, navegar pela legalidade das soluções de pagamento continua a ser um desafio. Muitos lutam para saber se os serviços que adquirem de empresas de processamento menos conhecidas são legítimos. Esta falta de clareza complica ainda mais a conformidade numa indústria em que a canábis é legal em muitos estados, mas ainda é federalmente ilegal.

As acções recentes da Mastercard e a incerteza iminente em torno das soluções de débito com PIN levaram a um aumento nas consultas de alternativas de pagamento. As empresas de canábis e os especialistas da indústria estão à procura de opções viáveis para manter as transacções financeiras sem problemas face aos crescentes obstáculos.

Dificuldades acrescidas para as empresas  

As implicações destas medidas de restrição vão para além dos métodos de pagamento. Com a ausência de progressos na legalização a nível nacional, a indústria da canábis enfrenta incertezas, o que leva à descida dos preços das acções e à falta de acesso a serviços bancários essenciais. Os esforços para aprovar legislação que concedesse às empresas de canábis um melhor acesso aos recursos bancários não tiveram sucesso até agora.

Para as empresas atingidas pela repressão aos ATMs sem dinheiro, as soluções de débito com PIN ofereceram uma tábua de salvação. No entanto, com a actual onda de encerramentos a afectar estas alternativas, muitas empresas encontram-se com ainda menos opções.

Algumas poderão recorrer a soluções de pagamento ACH (Automated Clearinghouse), que são consideradas como tendo menos riscos de conformidade. No entanto, estes métodos podem ser complicados para os clientes, uma vez que exigem números de conta e de registo bancário.

Embora o dinheiro continue a ser um elemento básico para a indústria da canábis, expõe os dispensários a potenciais riscos de roubo. As soluções baseadas em cartões ofereciam conveniência aos clientes, mas com sobretaxas e opções limitadas, a indústria é agora obrigada a procurar um equilíbrio entre a facilidade para o cliente e a conformidade.

As recentes medidas tomadas pela Mastercard foram um golpe significativo para o panorama de pagamentos da indústria da canábis. Com a repressão das soluções de débito com PIN, as empresas têm de se adaptar para encontrar alternativas viáveis, enquanto navegam nas complexidades da conformidade legal e da conveniência do cliente.

À medida que o mercado da canábis continua a evoluir, as partes interessadas terão de encontrar soluções inovadoras para manter a indústria a prosperar no meio dos desafios regulamentares.

 

____________________________________________________________________________________________________

[Aviso: Por favor, tenha em atenção que este texto foi originalmente escrito em Português e é traduzido para inglês e outros idiomas através de um tradutor automático. Algumas palavras podem diferir do original e podem verificar-se gralhas ou erros noutras línguas.]

____________________________________________________________________________________________________

O que fazes com 3€ por mês? Torna-te um dos nossos Patronos! Se acreditas que o Jornalismo independente sobre canábis é necessário, subscreve um dos níveis da nossa conta no Patreon e terás acesso a brindes únicos e conteúdos exclusivos. Se formos muitos, com pouco fazemos a diferença!

+ posts
Clique aqui para comentar
Subscribe
Notify of

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Publicidade


Veja o Documentário "Pacientes"

Documentário Pacientes Laura Ramos Ajude-nos a crescer

Mais recentes

Eventos1 semana atrás

CannaTrade regressa a Zurique de 24 a 26 de Maio

A CannaTrade – Feira e Festival Internacional do Cânhamo de Zurique atinge em 2024 a maioridade, celebrando a sua 18ª...

Comunicados de Imprensa1 semana atrás

Grupo SOMAÍ e a sua subsidiária RPK Biopharma ampliam parceria com Cookies para incluir Europa e Reino Unido

LISBOA, PORTUGAL, 16 de maio de 2024 /EINPresswire.com/ — O Grupo SOMAÍ (“SOMAÍ”) e a sua subsidiária, RPK Biopharma expandiram...

Nacional2 semanas atrás

Portugal: Consumo estimado de CBD aumenta, apesar da proibição

O relatório “Cannabis in Portugal”, realizado pela Euromonitor International, divulgou os dados mais recentes sobre a indústria da canábis, os...

Nacional2 semanas atrás

“Canábis. Maldita e Maravilhosa”, de Margarita Cardoso de Meneses, chega às livrarias a 16 de Maio

Margarita Cardoso de Meneses, colaboradora do CannaReporter®, acaba de publicar o livro “Canábis. Maldita e Maravilhosa”, editado pela Oficina do...

Comunicados de Imprensa2 semanas atrás

Montemor-o-Velho: Detido por cultivo de canábis

O Comando Territorial de Coimbra, através do Núcleo de Investigação Criminal (NIC) do Destacamento Territorial de Montemor-o-Velho, hoje, dia 9...

Eventos2 semanas atrás

PTMC – Portugal Medical Cannabis reúne indústria da canábis medicinal a 22 de Maio, em Lisboa

A PTMC – Portugal Medical Cannabis vai reunir os profissionais da indústria da canábis medicinal no próximo dia 22 de...

Corporações2 semanas atrás

EUA: MedMen declara falência com 400 milhões de dólares de dívidas

A gigante norte-americana da canábis MedMen entrou em colapso sob o peso da sua dívida, anunciando na semana passada que...

Notícias3 semanas atrás

Estudo revela que legalização da canábis não aumenta consumo de outras substâncias

Um dos argumentos mais usados contra a legalização da canábis para uso adulto ou recreativo tem sido a ideia de...

Cânhamo3 semanas atrás

Letónia: Hemp School, da Obelisk Farm, é finalista do Prémio EFT Green Skills 2024

A Obelisk Farm continua a ser reconhecida mundo fora pela sua abordagem sui generais à exploração do cânhamo industrial. O projecto familiar, que...

Eventos3 semanas atrás

EUA: CannMed 24 Innovation & Investment Summit regressa a Marco Island, na Florida, de 12 a 15 de Maio

É uma das mais importantes conferências científicas sobre a indústria da canábis medicinal e regressa a Marco Island, na Florida,...